sexta-feira, 21 de maio de 2010

Frutalmeidas II


  
Não imaginam a minha dor de coração quando fechou o Frutalmeidas no Residence Saldanha. E agora?  Como vai ser a vida daqui para a frente? Obvio que podem dizer que Alvalade é já ali ao lado, mas o meu coraçãozinho não deixou de ficar partido. Felizmente, o Sebastião em boa altura disse-me que eles tinham aberto ali ao lado, perto da MAC.

Hoje como tinha de prestar vassalagem a essa grande entidade lisboeta, a EMEL, e é mesmo ali ao lado da MAC (casa que me viu nascer à 32 anos, 8 dias, 10 horas e alguns minutos) decidi averiguar onde seria o novo Frutalmeidas, e não foi difícil de encontrar.

O novo Frutalmeidas fica numa das esquina das traseiras da maternidade. A qualidade continua a mesma, pelo menos a fatia de bolo de morango estava deliciosa. O espaço é grande, desafogado e com uns janelões enormes que nos permite desfrutar da vista para a rua. O atendimento continua simpático e rápido, até porque os empregados são os mesmos, incluindo os gémeos (bem, só vi um deles, presumo que o outro também ainda lá trabalhe).

Única nota negativa, não gostei muito do novo logo. Mas se eles continuarem a ter bolos de morango deliciosos e pasteis de massa tenra quentinhos e bons (como as castanhas), estão perdoados. 


Frutalmeidas
Cruzamento da Rua Latino Coelho com a Rua Pedro Nunes
Seg a Sab das 8h às 20h

terça-feira, 18 de maio de 2010

Tasca do Leandro, Costa da Caparica

A Tasca do Leandro está situada no novo "paredão" da Costa da Caparica. Esta zona foi alvo de uma profunda requalificação (amplo passeio, praias um "pouquito" maiores, novas instalações para os restaurantes, parques de lazer, etc). É um dos muitos restaurantes existentes ao longo da linha de praia e foi a nossa escolha por indicação de colegas (entre todos eles, tão semelhantes entre si, não havia nenhum que saltasse à vista!). Azar o nosso, era o último no sentido em que vínhamos a caminhar...e isto a 4, e com algum vento de fim de tarde não é fácil! Mas não desmoralizámos e lá fomos!

Então, como eu já disse, é apenas mais um restaurante que serve um sem número de tostas, sandes, saladas, batidos, sumos, almoços e jantares! No entanto, bate aos pontos os restantes na decoração e conforto do espaço! Aqui o mobiliário é de jardim, com cadeirões largos, recheados de almofadas, bem como uns amplos e confortáveis sofás brancos. 
As cores oscilam entre o branco, violeta, verde e castanho! Uma conjugação óptima, que reflecte a mistura de ambiente praia e lounge. Para completar a música que vai passando ajuda à descontracção e à "boa vida".

Neste final de tarde, nós optámos por umas tostas e sumos de manga/laranja e ananás/hortelã. Estava tudo bom, mas também acho que não é por aqui que o sítio faz a diferença. Não consumimos nada que não pudéssemos no restaurante do lado! Mas aqui estávamos era muito bem instalados! :) E a vista da praia, do mar, um espectáculo! A vista do mar apazigua-me sempre os sentidos!

Tasca do Leandro

Muralha da Praia, Apoio de Praia n.º 6
Costa da Caparica
Tel.: 925 100 288
__________________________________________________________________________

Estive na Tasca do Leandro esta semana a comemorar o solstício de Verão, e realmente tem uma decoração muito acolhedora, muito melhor do que a dos anteriores. Sim, porque a tasca fica no final da correnteza dos novos "caixotes" da Costa e por isso, como a Joana, tive de ir quase até às praias de S. João para lá chegar.

Entretivemo-nos com petiscos, sangria e crepes de gelado com chocolate quente. A sangria estava boa, e qualidade da comida é razoável, nada de extraordinário. O que realmente nos deixou boquiabertos foi o preço, 12 euros por pessoa, ao fim de tanta comida e bebida ficamos muito surpresos (alegremente surpresos).

sininho

Meco IV - Amo.te Meco

Pois então, vamos lá ao nosso almoço de 5 horas de dupla comemoração (aniversário do blog e da sininho). Tal como uma boa parte do país, também o 12h30 estava a gozar uma bela tolerância de ponto e por isso, foi possível sair um pouquinho de Lisboa e aproveitar o que de bom a Margem Sul tem para nos oferecer!

Após alguma insistência minha, decidimos ir conhecer o novo Amo.te Meco. Eu tinha estado no Meco à pouco tempo, no Bar do Peixe e verifiquei que já tinha aberto este novo espaço e fiquei curiosa por conhecer. Sininho concordou logo ... Sebastião ficou um pouco renitente (ah e tal, espaço da moda, caro, não se come nada de jeito...!). Mas lá ficou rendido às nossas pressões!

Uma coisa que tem de se ter em conta neste tipo de espaços é que a ajuda do São Pedro é preciosa e fundamental! Nós ficámos a temer por esta parte a caminho do Meco (uma chuvada à moda do nosso recente Inverno), mas providencialmente assim que chegámos o tempo melhorou e ficou uma tarde de sol radioso. Apenas o vento e a temperatura não deram tréguas!

Por esta razão ficámos instalados no interior do restaurante. Mas não pensem que por causa disso ficámos prejudicados "nas vistas". Nem pensar! A sala está dotada de amplas janelas que permitem uma vista excelente sobre o verde, o areal e a água. Num dia como este até é melhor porque temos tudo isto, mas recolhidos numa sala quentinha por onde entra o sol em todo o lado.

A decoração do interior e da esplanada é toda em branco (cadeiras, mesas, candeeiros, cortinas). Tudo muito clean, a constrastar com o acolhedor das madeiras. Logo à entrada existe ainda um pequena zona de estar, com sofás com um ar muito confortável, onde também estão expostos alguns dos produtos de merchandising do amo.te.


Fomos rapidamente sentados e atendidos, com direito a algumas sugestões para o almoço. Decidimos todos não contrariar e aceitar as sugestões... açorda de camarão, lombos de bacalhau com pasta de azeitona e broa e polvo à lagareiro. Não acatámos foi a sugestão da sangria de champanhe! Foi-nos ainda providenciado um pequeno conjunto de entradas (pão, azeitonas, manteiga aromatizada, paté de atum, croquetes, queijo). Temos aqui um reparo a fazer: os croquetes têm de vir quentinhos para a mesa.... senão parece que estamos a lanchar à pressa numa pastelaria/café qualquer às 5 da tarde! De resto tudo ok!

Os pratos principais demoram a chegar... porque aqui estamos sem pressas, conversa-se, vê-se as vistas! relax! por isso, nunca vão lá para um almocinho rápido! Entretanto, lá chegou a nossa paparoca... e estava tudo ok excepto.... a açorda de camarão! Pois é...Sininho que é um verdadeiro guia de açordas de camarão, não gostou! Por isso, é porque a açorda não deve ser mesmo nada de especial! O bacalhau e o polvo estavam óptimos, acompanhados de umas batatinhas e grelos! Muito bom! E em quantidades qb...não se fica "a meia ladeira" por aqui! :)

E depois lá fomos para a nossa parte favorita: a sobremesa! As nossas escolhas foram para o cheesecake e bolo de chocolate com sorvete de limão. E pois que escolhemos muito bem! Estavam óptimas!

E fomos ficando, ficando, ficando na conversa... então aqui não é para se "estar"?! Pois nós seguimos também a sugestão do espaço e como ficámos com fome, lá fomos pedindo mais umas coisas. Ficámos tanto tempo que os empregados para o final já olhavam um pouquinho de lado...:)

Não se poderia deixar de falar na dolorosa... pois é verdade... um pouquinho dolorosa! Pelo almoço tivémos de desembolsar 24 €/pp. É um pouquito carote, é verdade! Mas tem de se ter atenção à localização, decoração, espaço, qualidade da maior parte do que foi servido.

No Amo.te Meco é possível também consumir tostas, sandes, saladas, petiscos, ou seja, pequenas refeições antes ou depois de uma bela tarde de praia! Ou um lanche de Inverno! Além da sala e da esplanada existe também uma vasta área de pinheiros, onde estão espalhados pufs e onde se pode descansar e limpar um pouquinho os pulmões! O Amo.te Meco tem ainda um parque de estacionamento privativo.
Localização:
Amo.te Meco
Rua Praia do Moinho de Baixo
Aldeia do Meco - Sesimbra
Tel.: 213 420 668, 912 160 384
Sex e Sab - 12h às 2h
Qua, Qui, Dom - 12h às 0h
A partir de 1/06 aberto todos os dias.

domingo, 16 de maio de 2010

Segundo aniversário!


É verdade...o tempo passa! E o 12h30 já comemorou o segundo ano de existência!

Em dia abençoado pela vinda do Papa a Portugal (13/Maio), que nos permitiu um almoço de 5 horas fora de Lisboa...que se prolongou a lanche! Pois é...confesso que tinha o rabo quase quadrado de estar sentada...mas quando o 12h30 se junta, e ainda com a A. como companhia, a conversa nunca mais acaba! Já para não falar da pequena S., que é uma fala-barato! :)

A todos os que nos acompanham, aqui no blog e no facebook, muito obrigada pela vossa atenção e comentários...e voltem sempre!

Boas Garfadas!

12h30

segunda-feira, 10 de maio de 2010

À Parte, Saldanha



à parte de que irmos ao À Parte não estava nos nossos planos (na verdade estávamos longe de pensar que acabaríamos a jantar na zona do Saldanha) julgo poder afirmar, com a mais profunda das convicções, de que foi mais um daqueles casos em que sem planos e reservas se consegue great things :-)

à parte de que o prelúdio deste jantar não ter sido dos mais auspiciosos (foi cometido um suicídio económico logo no início da tarde), deambular pelo Chiado a ver lojas, e a concluir que os cupcakes foram inventados apenas para fazer cáries, diabéticos e novos ricos (vendedores), fez levantar a moral. Quando chegou a altura de decidir onde jantar, chegámos ao impasse do costume mas, depois de alguma discussão, decidimos tentar um restaurante que fica relativamente perto do Chiado.

à parte de que o nosso alvo inicial (Fenícios) estar a abarrotar de gente e nos terem dito claramente de que não havia possibilidade de mesa sem reserva, conseguimos delinear um plano B e C com relativa facilidade..... o que para a coligação Sebastião/sininho nem sempre é fácil.... E melhor, todo o trajecto entre Chiado, Fenícios (Conde Redondo) e À Parte foi feita a pé, sem grandes queixumes por parte da sininho (andar "muito" a pé + sininho = drama, horror, tragédia).

à parte de que quando chegámos à porta do À Parte este estar a abarrotar, e termos temido que mais uma vez íamos levar com um "não temos mesa deviam reservar", tudo correu pelo melhor. Tinham mesa na esplanada que nós prontamente aceitámos - não estava muito frio e, como o sr que nos atendeu nos tentou dizer num brasileiro difícil de entender, esta está protegida.

à parte de estar a abarrotar de gente, o que dificultou a parte de absorver os sorroundings, o restaurante é deveras curioso. O restaurante foi continuado para dentro da casa que existia por detrás do espaço comercial. As divisões da casa foram preservadas, podendo jantar-se no que eram os quartos, cozinha, sala de jantar e pátio. Se repararem, no início do longo e estreito corredor que dá acesso às divisões da casa/restaurante, está a porta de entrada no apartamento :-) Cada sala parece um novo restaurante com uma decoração diferente, variando de salas escuras e minimalistas a salas totalmente brancas e acolhedoras. Gostei especialmente da cozinha....

à parte de parecer estarmos a meter intrometer no espaço privado de alguém, não conseguimos resistir a meter o bedelho  em algumas das diferentes salas. Neste restaurante (mediante reserva :-) é possível ter uma divisão só para nós, o que garante privacidade e espaço para toda a algazarra que se quiser sem chatear vivalma :-)



à parte de temermos que fossemos levar com fumo, e respectivos fumadores, a refeição toda (felizmente tal não aconteceu), rapidamente foi-nos dada a ementa e como já estávamos com alguma larica, a escolha não foi muito demorada: risotto de caril com gambas e alheira de caça. Se a alheira estava boa, o risotto estava excelente! E se se considerar que o aspecto dos pratos é um bom indicador da sua qualidade, então pelo que vi passar este restaurante tem mais para descobrir.

à parte de que a mesinha de jardim que nos serviu de mesa de jantar ser desproporcionalmente pequena e baixa, tudo o resto estava muito bom (comida, atendimento, ambiente, decoração), fazendo com que a vontade de voltar seja grande. Mais ainda como não tivemos estômago para sobremesa, temos de resolver esta grave lacuna. A conta foi simpática, cerca de 14€ (dizem que a caipirinha estava muito boa).

à parte de ter começado todos os parágrafos com à parte porque o restaurante se chama à parte, o espaço está muito bem conseguido e original, a comida muito boa e com grande potencial para jantares de grupo.

Onde fica
Avenida Defensores de Chaves 14 C1000-117 Lisboa
São Jorge de Arroios
Telef. 213543068
Encerramento: Domingos
Horário: 2ª a 6ª - 09:00 às 24:00. Sábado - 12:00 às 15:30 e das 19:00 às 24:00

terça-feira, 4 de maio de 2010

Merry Cupcakes e Tease

Nos últimos tempos tem havido uma proliferação de locais e blogues que vendem cupcakes. Nós também quisemos participar nesta moda e decidimos experimentar dois locais: o Meery Cupcakes no C.C. do Campo Pequeno, e o Tease no Chiado.

Num destes dias, após uma sopinha como almoço, dirigimo-nos à banca dos Merry Cupcakes. Eu provei um red velvet, e o Sebastião como queria ter uma amostra maior provou dois mini: um de baunilha e outro de chocolate. Comer cupcakes em andamento é trabalhoso e potencia o desastre, mas a menos que se peça para embrulhar e ir comer para outro sitio, não existe outra solução. Acheio-os também um bocadinho para o carote, tudo bem, são giros e decorados e tal, mas também não há necessidade de pedir tanto dinheiro por um bolinho. Quanto a sabor nada de especial, o bolo era seco e sem grande piada, e a cobertura não lhe acrescentava nada.

O Tease tivemos oportunidade de experimentar à hora do lanche, o Sebastião inteligentemente dispensou a prova, eu por outro lado menos perspicaz, decidi comer um cupcake acompanhado de uma coca-cola light. Imaginem quanto me pediram por tal iguaria? 4.90€. É verdade, acho que várias cores me passaram pela cara, e um destes dias ainda hei-de ter a presença de espírito para dizer a quem me está a atender que por esse preço comia uma refeição inteira, virar costas e vir-me embora. Infelizmente, ainda não foi desta.

cupcake era bom, bastante superior aos do Merry Cupcakes. A variedade é que não é muita, é que com a velocidade com que são vendidos temos de nos cingir ao que existe naquele momento, e não podemos pensar muito não vá vir alguém e comprar todos. Sim, sim, vi várias pessoas, e não estive lá mais de 15 minutos, que compraram caixas de cupcakes.

Confesso que fiquei um pouco traumatizada com os preços (então com a coca-cola a 2.50€, nem se fala), e com a relação preço/qualidade dos cupcakes. Posto isto, não me parece que vá aderir à mais recente moda gastronómica de Lisboa. Vou-me ficar pelos croissants com chocolate da Bénard ou pelos palmiers cobertos da Bela Ipanema, só para referir alguma da nossa maravilhosa e deliciosa pastelaria tradicional.

 
C.C. do Campo Pequeno - Lisboa
Preços - 1.85 a 2.25€, mini 1.40 a 1.60€
Rua do Norte 31-33- Lisboa
Segunda a Sábado, das 12h às 23h
Preços - 2.40€ a 2.75€, mini 1.30€