segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Moma, Baixa Pombalina



Não, não fui almoçar a Nova Iorque. Não é que não me apetecesse mas só tenho uma hora para almoço, o que deixa pouco espaço de manobra caso haja algum contratempo :-)

Lisboa não é NY mas não deixa de ser uma cidade fantástica, especialmente nos dias em que o sol de Inverno incide nas sete colinas, dando calor a quem se passeia. Ir almoçar à baixa num dia de semana e, ainda por cima, levando carro, era uma tarefa fadada ao desastre (com pouco mais de uma hora de almoço, impossível!). Mas, teimoso como sou, decidi pôr os pneus em marcha e lá fui eu, convicto que, na pior das hipóteses, iria chegar à Baixa e voltava para trás sem comer. Mas só a viagem teria valido a pena :-)

As árvores da Avenida da Liberdade começam a perder a folhagem permitindo que a luz consiga (finalmente!) chegar a quem passeia, a pé ou de carro, dando vida e luz a uma Avenida, que de outra forma, é algo escura e sombria. O Rossio e as ruas que o ligam à Praça do Comércio, cheios de luz e cor, e os reflexos prateados do rio ao fundo (verdadeiro momento kodak) fizeram as delícias dos meus olhos e elevaram-me o espírito.

Ok, lamento pelo momento de má poesia mas não resisti :-) Cheguei ao Chiado, pude escolher o lugar onde queria estacionar (lugares na rua dos Armazéns do Chiado??? bizarro... o suficiente para me fazer olhar e tentar perceber se estaria a fazer algo que me levasse a multa), e, depois de pôr moedinha no parquímetro, lá fui Rua de São Nicolau a baixo à procura do 49, número da porta do restaurante Moma.




Com um aspecto bastante distinto dos restaurantes que pululam pela Rua Augusta e respectivas paralelas/perpendiculares, tornasse fácil dar conta da sua presença. Clean cut (o branco predomina, desde as paredes até às toalhas de mesa), sem decorações pitorescas ou snack-barescas e sem homens com ementa na mão a perguntar "Whant to lunch? Food very good!", não é à partida um restaurante para turistas mas para gente da terra. O Moma (para já) só serve almoços e a carta muda todos os dias.

A comida parece variar entre a típica portuguesa e a italiana mas com a rotatividade de pratos outras gastronomias poderão surgir. No dia em que decidi experimentar o Moma, fiquei-me pelos pasteis de massa tenra, arroz de coentros e salada. Estavam excelentes! Melhor só o arroz de coentros da minha mãezinha :-)

Após acabar a minha última garfada, decidi unilateralmente que dias não são dias e lá me atirei de cabeça a uma fatia de bolo de chocolate (estava ali mesmo na montra, à minha frente, a sorrir para mim). E ainda bem que o fiz, estava mesmo bom!

Depois do café, pedi a conta (10,5€) e lá fui desmoer o excelente repasto até ao carro, pensando como gostaria de aproveitar o dia para passear em vez de ir trabalhar.... mas enfim, tem de ser... Mas espero poder repetir esta proeza um destes dias!

Em nota de rodapé, o atendimento é rápido e simpático, tem esplanada e segundo dizem é conveniente reservar pois existem dias em que arranjar mesa é difícil (não tive problemas mas nunca se sabe...).


onde...
Rua de São Nicolau nº49, 1100-547, Lisboa
TLM.914417536
Horário: 11h30 às 18h00
Encerramento: Domingos

__________________________

Joana, come a papa acrescenta:

É verdade, confirma-se! Come-se muito bem, foge ao restaurante para turista, tem um ar clean e simpático! Nós optámos por filetes de pescada com arroz de berbigão e esparguete com camarão salteado (ambos muito bons!), e para sobremesa, o bolo de chocolate já referido e pannacota (muito bons, também!). Assistimos também a uma cena gira: duas estrangeiras pedem dois copos de champanhe e a dona/gerente não se ficou e disse logo que sim, que tinha...garrafa de champanhe tinha, não tinha era flûtes! Mas não se acanhou e vai a correr à "Casa" comprar os ditos para servir o champanhe... Pelo bem que comemos, pelo que pagámos (12,5 €/pp), e pela simpatia e pela boa vontade em servir...sim, recomendamos! :)
 
 

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Chez Degroote, Chiado


E pensar que a escolha do local para jantar começou no Parque da Nações.... mas graças a algumas indecisões e wrong turns acabámos no Chiado à procura de lugar para estacionar e para comer :-) Quis o destino que rapidamente encontrássemos um local legítimo para deixar o carro e que (ainda mais incrível) eu me recordasse de duas sugestões feitas num comentário ao post sobre O Alfaia. Entre o Vitali e o Chez Degroote, escolhemos o segundo.


O restaurante Chez Degroote fica na rua dos Duques de Bragança, ou seja (para os menos esclarecidos em relação à toponímia de Lisboa... como eu), ao fundo da rua do Teatro Estúdio Mário Viegas. Se o exterior do restaurante tem um ar completamente inconspicuous, já o interior é uma bomba visual :-) Cor, cor e mais cor e não, não servem comida mexicana ou sul americana. Com azulão, verde e laranja espalhado pelas paredes, ombreiras, portas, janelas e toalhas de mesa é difícil não ficar à espera que nos sirvam margherita's. Admito que é um pouco de estímulo a mais mas tolerável.

A ementa é tendencialmente portuguesa, mas passando vai desde os bifes até aos wok's. Nós ficámo-nos pelo bife Chez Degroot com arroz branco e farinheira com ovos mexidos e batatas frita. Enquanto esperávamos pelos prato atacámos o pão acabadinho de torrar e as diferentes manteigas e paté disponíveis. Nada como pão quente e coisas boas para besuntar para alegrar uma conversa :-)

Entretanto chegaram os pratos. Na generalidade ambos os pratos estavam bons, apenas o arroz que acompanhava o bife estava menos bem. As batatas fritas foram uma boa surpresa pois vinham às rodelas e com casca, duas características que gosto de ver nas minhas batatas.

Após alguma reflexão sobre o que comer para sobremesa, escolhemos tarde de maçã e bolo de chocolate. Sim, eu sei (...que tudo são recordações :-) que as escolhas não foram muito originais e, pior ainda, não foram muito satisfatórias. Mas pronto. comeram-se.

No fim, a conta rendeu 20€ pp. Tendo em vista que se bebeu vinho, atacou o couvert e se comeu prato e sobremesa, não acho excessivo. O atendimento é rápido e simpático.

Gostámos do restaurante mas não ficou no topo das preferências, quer pelo ambiente demasiado estimulante quer por uma comida regular. Necessário dizer que os wok tinham um aspecto interessante.

onde...
Rua dos Duques de Bragança, 4 - Lisboa
Telefone.213472839
Encerramento: Sábados (Almoços), Domingos e Feriados
Horário: 2ª a 6ª: almoços: 12h00 às 15h00 ou 5ª a Sáb: jantares: 19h00 às 23h00

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Amarra Ó Tejo, Almada

   
Este não é definitivamente um restaurante para todos os dias ou qualquer ocasião....como dizia a Sininho, é um "restaurante estupidamente romântico"...pois é! :) Resolvi surpreender a minha cara-metade num dia especial e pensei que o Amarra Ó Tejo seria uma boa opção. E foi!

Confesso que estava um pouco apreensiva... após a escolha, fiz uma pesquisa mais ou menos extensa na net e encontrei de tudo! Os que adoraram, os que detestaram, os assim-assim... e como o preço também não é para todos os dias, fiquei um pouco apreensiva (para mim não há nada pior que pagar muito e comer mal!). Tentei por isso não elevar muito as minhas expectativas...


Começo pela localização... que dizer?! não sei... perfeita, sensacional, fantástica... são palavras que me ocorrem! O restaurante está situado no castelo de Almada, mesmo no topo da arriba, sem nada à frente a não ser uma vista imensa sobre a cidade de Lisboa, a ponte e o rio! Quando cheguei ao restaurante já era noite e portanto ficámo-nos pelas imensas luzinhas que pontuam a cidade e a ponte. O pôr-do-sol aqui também não deve ser nada de se deitar fora... :) Contemplar a ponte 25 de Abril na quietude deste restaurante, abrigados do vento, tem muito encanto, pois que tem (sim, aqui até a ponte, local de tormento diário para mim, ganha encanto!).


Então, e porque é que o restaurante é tão romântico?! Pela localização, pela vista, pela disposição das mesas (um voltado para o outro, ambos voltados para a vista), pela luz reduzida, pelo ar intimista.

A ementa é composta maioritariamente por pratos de peixe, ficando os pratos de carne em segundo plano. Nas entradas, ficámos só pelo couvert (pão, azeitonas e azeite). As nossas escolhas recaíram na garoupa crocante em cama de legumes e pato lacado com risotto de chouriço. Devo dizer que estavam ambos excelentes! Em tudo: quantidade, qualidade, apresentação. O risotto de chouriço tinha um sabor e uma consistência perfeitos.

A carta de sobremesas é vasta, o que gera alguma dificuldade na escolha... tarte de maçã e noz e brownie de avelã, ambos com gelado de baunilha, foram as nossas opções! Pois que não sei que mais dizer... óptimas, fantásticas, "daquelas boas, mesmo boas" :)...

Nós não bebemos vinho... pagámos 29€/pp. No entanto, com uma entrada ou com vinho a conta ultrapassa facilmente os 30-35€/pp. É um pouco caro, claro que sim! Mas como eu disse, também não é para todos os dias! Refeições de família ou amigos não ficam bem aqui... é mesmo indicado para "grupos de dois"... eventualmente um almoço de negócios...

As minhas expectativas foram largamente ultrapassadas. Tudo o que nos foi servido estava de uma qualidade excelente, não nos fazendo lamentar o preço que pagámos.

Algumas notas menos positivas a assinalar: os empregados estão vestidos de um modo demasiado informal (calças de ganga, t-shirt, ...) e às vezes essa informalidade extravasa um pouquinho para o contacto com o cliente! Não condiz muito com o espaço nem com o tipo de restaurante. A melhorar...


Localização:
Jardim do Castelo de Almada
Tel. 212 730 621
Encerra à segunda-feira.
Horário: 12:30 - 15:00; 19:45 - 22:30
Reserva aconselhável.
 

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Food & Bubbles, Carnide

 
A razão para este jantar foi de grande alegria e comoção... estivemos a festejar a partida desta para melhor de três amigos e, não menos importante, fazermos a partilha dos bens (vulgo testamento) da sininho. Infelizmente, os três amigos estão bem de saúde e a divertir-se à grande algures no sudoeste asiático, mas como ainda não voltaram ainda tenho a esperança de ficar com um MacBook em 3ª mão :-)

O Food & Bubbles fica escondido entre os prédios na parte de trás do Colombo, vulgo Carnide "nova" ou antigo local para estacionar sem pagar. Já tínhamos ido jantar ao F&B depois de uma sessão de popcorn's e sofrimento vampiresco :-), e como detestámos quisemos repetir a experiência...nãaaaaaaaaaaaa... as sessões de masoquismo estão restritas aos filmes da saga Twilight, que vamos ver no cinema apesar de sabermos de antemão que vai ser bosta :-9 

O restaurante por outro lado foi uma agradável surpresa! Excelente comida, bom atendimento, espaço bem decorado e óptima localização. Mas vamos por partes. O espaço está decorado de forma simples e alegre, com espaço entre as mesas para se poder circular à vontade e poder estar no convívio sem importunar ninguém, tornando um bom local para fazer um jantar de amigos :-) por vezes algo barulhentos.


A comida é uma mistura entre comida portuguesa e internacional, com excelente resultado! A moqueca de peixe, bife à Bubbles, polvo e folhado de marisco foram as vítimas dos nossos garfos e facas assassinas... e que óptimas vítimas! A maioria concordou que a comida, em quantidade e qualidade, estava óptima (apenas houve um apontamento para umas batatas e tal).

Para sobremesa,  variámos entre tarde de chocolate e de maçã que estavam boas (não fizeram dar um pulo de eureka mas não estavam más :-)

O atendimento é simpático e rápido a servir. E a conta? Perfeitamente adequada ao ingerido... ~15€ pp. Dizem as boas línguas que as caipirinhas não são nada más...

E aqui fica mais um post de serviço público... em vez de irem aos restaurantes do Colombo e comer outra vez um frango bébé ou uma sola Portugália, atravessem as traseiras do Colombo e vão até ao F&B - apanham ar, fazem exercício e comem bem (P.S. não tenho % no restaurante :-)

onde?

Rua Adelaide Cabete 7-B, 1500-023 Lisboa (Carnide)
Telf. 214052557
Encerramento: Domingos (Jantares) e Segundas
Horário de Funcionamento: Ter - Sab: 10:00 - 23:00 | Dom: 10:00 - 16:00
 

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Restaurante Campo Alegre, Porto


  
O Restaurante Campo Alegre é um daqueles sítios tradicionais, clássicos, pequenos e intimistas, onde entramos e ficamos com a sensação imediata de que vamos comer bem! :) é uma sensação agradável... :) Melhor ainda, quando as expectativas se concretizam e nós comemos realmente bem!

A oferta culinária do Restaurante Campo Alegre baseia-se nas tradições alentejanas, mas também nas influências africanas. Por isso, é possível uma escolha variada de sabores e de pratos. Não optámos por escolher entradas...calculámos que isso iria comprometer a nossa capacidade de ingerir o que viria a seguir! Para pratos principais, as nossas escolhas recaíram em Arroz de Pescada com Camarão e Ameijoas e Filetes de Polvo com Arroz de Polvo (polvo Paul foge porque aqui pelo Campo Alegre és vítima fácil...:) muitos pratos de polvo disponíveis!). Ambos os pratos estavam excelentes! Muito bem servidos, arrozes no ponto certo, polvo tenrinho... tudo muito bom!

Para sobremesa escolhemos um semifrio de chocolate e morango. Estava bom, cumpria o objectivo...mas arrependo-me de não ter dado uma oportunidade à sericaia! A verdade é que houve imensa coisa de que me arrependo não ter dado uma oportunidade; o que é bom, não é?!

Importante também é referir o atendimento: simpático, rápido, numa voz feminina com sotaque do Porto suave.... :)

A dolorosa não foi grave, considerando tudo o que falei anteriormente. Pão+azeitonas, dois pratos, sumos, uma sobremesa, cafés = 14 euros/pessoa. Parece-me bem! :)

Localização:
Rua do Campo Alegre, 416
(junto à AXA Seguros)
Porto
Tel.: 226 097 328
 

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Churrasqueira Rocha, Mealhada

 

Finalmente voltei à Bairrada! Depois de anos a fio, a percorrer a A1 para partilhar as tradições da Páscoa em Caminha (nem sempre foi A1...ainda sou do tempo de se fazer parte do percurso na EN1...meu Deus! como era possível!), e parar obrigatoriamente na Mealhada para almoçar um belo leitão....este tempo de abstinência foi doloroso!! Durante estes anos todos, vários foram os restaurantes que experimentámos por diversas razões: o nosso já estava cheio, vamos ao do lado; uma nova recomendação; o nosso começou a esticar-se na conta, vamos experimentar outro; etc, etc... Experimentámos vários, uns mais conhecidos, outros menos. Vou optar por não enunciar os que ficaram para trás!

De há uns anos a esta parte, e por recomendação de amigos do meu pai que habitam na região, começámos a frequentar a Churrasqueira Rocha. Aparentemente igual a tantos outros (e aqui começa a dificuldade em escolher...eles são aparentemente iguais) mas, segundo parecia, com um leitão mais bem confeccionado e uns preços mais simpáticos. Fomos, comemos, e ficámos fãs....de tudo! E por isso este é o nosso restaurante na Mealhada p'ra aí há uns 13 anos. Já o recomendámos a vários amigos e todos gostaram muito!

Neste meu recente city break no Porto, planeei antecipadamente a viagem para que na vinda a passagem na Mealhada calhasse mesmo por volta das 12-13h... coincidência?! Nãaaao.... já alguém louro e magro dizia que "não há coincidências"....

Entretanto deparei-me com um restaurante totalmente renovado... antigamente tinha um ar 80's...agora tem um ar giro, do séc. XXI (condutas de ar condicionado à vista, mas giras...). A simpatia e eficiência no atendimento mantêm-se, a gestão da mesas também é muito eficaz. Sim, este pormenor é fundamental! Só para terem uma ideia: quarta-feira, dia inocente, almoço, e mesmo assim fizeram duas voltas nas mesas, e olhem que aquilo é grande... O leitão continua definitivamente na moda! E como tudo o que está na moda....está caro! É verdade...não sei se foi por ser eu a pagar, mas achei um bocadinho cara a dose de leitão (dantes, eu não pagava...haviam o pai e a mãe...agora já sou eu que estou nesse papel).

Passo a explicar: uma dose de leitão, que consiste em 3 pedaços, custa a módica quantia de 9 euros...sem guarnições, que são pagas à parte! Ou seja, duas pessoas têm de pedir duas doses...três pessoas pode ser que se orientem com as mesmas duas! Relativamente às guarnições, fiquei sem perceber muito bem como são cobradas...pela leitura da ementa pareceu-me que eram 2€/pp/guarnição. Nós pedimos batatas e salada, e só nos cobraram 4 € (pode ter sido porque a dona do restaurante achou muita graça ao P. e à S., e foi ela que fez a nossa conta...).



No que verdadeiramente interessa.... sim, o leitão continua óptimo! o pão fantástico! as batatas fritas do melhor! A pele muito crocante, muito estaladiça, a carne tão macia!

A gama de sobremesas para completar esta bela refeição é vasta, todas confeccionadas no restaurante. Além de fruta e um Pingu (kids..!), escolhemos tarte de natas. Estava muito boa, mas para meu desgosto vinha com doce de ovos, que não é muito do meu agrado (mas isso é só um problema meu!).

Para quem gosta, o vinho da região parece que é um excelente complemento para este repasto. Nós, pois que não opinamos sobre isso...

No meio disto tudo, e depois de eu ter dito que a dose de leitão era cara, a conta não ficou excessiva - 32 euros (2+1/2, que a S. ainda não consome destas iguarias). E porquê? Porque as sobremesas não são caras (cerca de 2 euros), as bebidas e o pão também não, as guarnições já expliquei...e acho que se equilibrou tudo! Mas juro, que quando vi o preço e a composição da dose, pensei que se calhar ia comer uma lagosta e não leitão! :)

Recomendo vivamente este restaurante!
 
Localização
Travessa da Churrasqueira
Fonte Nova - Mealhada
ou seja, N234 (Mealhada em direcção ao Luso)
Tel.: 231 202 357
Encerra às Terças.
Tem parque de estacionamento próprio.