quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Cascata, Abrantes

  
  
Quis o destino que ao voltar a Abrantes, após uma ausência de 12 anos, fosse exactamente ao sítio onde tinha estado anteriormente...que é?!? O Hospital de Abrantes! É verdade...tive a oportunidade de fazer um estágio de 15 dias, ainda durante o curso, onde conheci várias pessoas fantásticas e onde aprendi imensas coisas. Agora, que voltei a Abrantes, tive de ir lá parar (kid's rules...mas posso dizer que a urgência pediátrica funcionou muito bem...fica aqui o elogio!). Mas, no entretanto, ainda conseguimos dar uma voltinha pequena em Abrantes e seguir para o nosso local de estadia (Herdade de Cadouços).
  
Antes de sair de Lisboa, já levámos o trabalho de casa feito relativamente aos restaurantes...para não andarmos de nariz no ar à procura de um sítio giro, porque com crianças é sempre mais complicado! E quando pesquisei locais em Abrantes surgiu-me sempre a "Cascata", com boas recomendações e tal e tal...e portanto, morada anotada, GPS ligado e lá fomos nós. O restaurante não fica exactamente em Abrantes. Ainda demos algumas voltinhas para lá chegar mas com o amigo GPS tudo se resolveu... Chegamos lá, e vemos um local graaande, com sítio para casamentos, baptizados e afins, o que fez logo pensar que isto ía correr mal...pensei logo que era comida "feita à pressão", muito industrializada, e nós queríamos era comida regional! Lá descobrimos a entrada para a sala de refeições e, ao subirmos as escadas, vamos reparando na quantidade de prémios e menções expostas na parede, o que me descansou um pouquinho o espírito!


Entramos então numa sala com uma decoração o mais tradicional possível e fomos rapidamente sentados e atendidos...vieram logo uma série de iguarias para a mesa (que são uma verdadeira tentação e, nestes sítios, a pessoa tem mesmo de se conter porque senão janta só entradas...).


E para pratos principais, escolhemos uns filetes de polvo com arroz de feijão, lombo de porco e secretos. Posso dizer que estava tudo uma delícia! Os meus filetes de polvo estavam óptimos, super tenrinhos e o arroz de feijão estava mesmo no ponto!
Para a sobremesa foi-nos sugerida uma charlotte de chocolate...e aqui fica a fatia generosa da charlotte coberta com uma camada de chantilly...divinal!


Resumindo, só posso recomendar! Um ambiente sossegado, uma decoração tradicional e cuidada, um atendimento muito simpático e eficiente (queridos com os pikenos, e os meus são "muita chatos"...), e comida de excelente qualidade. Fazer aqui o casamento ou passar o reveillon é capaz de não ser nada mau! (e bem mais em conta que por Lx, presumo...)
Por tudo isto pagámos 52 euros. Adequado ao que foi consumido!


Localização:

Rua Manuel Lopes Valente Júnior, 19-A
Alferrarede 2200-260 Abrantes
Tlf. 241 361 011 / 919 584 903
e-mail: restaurante@cascata.pt
  
  

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Poison D'Amour, Príncipe Real





Aproveitando os fantásticos dias de Inverno que temos tido... [dêem-me um cachecol (e um casaco) que eu conquisto o mundo! ou pelo menos Lisboa...]...e sentindo necessidade de preparar o meu sistema operativo para a sobrecarga alimentar a que iria ser sujeito durante o fim-de-semana natalício, decidi ir experimentar uma pâtisserie de que muito se fala, lá para os lados do Príncipe Real.

Prevendo a desgraça que iria ocorrer uma vez entrando na pâtisserie, antes de entrar fomos fazer uma caminhada pelo (algo abandonado) Jardim Botânico, para, como hei-de dizer, abrir o apetite e, naturalmente, rever o Jardim.

Quando já tínhamos andado q.b. [ainda entrámos em algumas lojas na Rua da Escola Politécnica, entre elas uma mercearia gourmet que merece uma segunda ida... nem que seja para ver se fico a saber o nome :-)], eu comecei, qual criança a fazer birra, a dizer tenho fome!... quero sentar!...eu quero! eu quero! [com beicinho e tudo], e assim lá fomos em direcção ao Poison d'Amour.

E sim, veneno de amor é realmente o nome perfeito... Sei que me mata um bocadinho sempre que como estas coisas mas é amour e, pelo menos até virar diabético insulinodependente sem alguns dedos dos pés, julgo que a chama da paixão vai continuar a arder no meu coração nos tempos mais próximos.

A escolha do veneno foi difícil, tendo necessitado a ajuda da jovem simpática [e paciente] que nos estava a servir para fazer uma escolha informada de dois gateaux para mim [só um era impossível]. Foi algo como escolher a Miss Universo no meio de dezenas de candidatas com grande potencial.

Mas calma. Ainda nem sequer falei do espaço e ambiente do Poison d'Amour. Bem, posso afirmar com toda a convicção que me assiste que gostei do espaço. A decoração está fantástica, desde o preto do tecto e chão, o branco das paredes e o azul celeste das cadeiras e bancos, tudo faz pendant, com um ar moderno a "cheirar" a clássico. Os focos de luz e as cadeiras (muito confortáveis) foram os elementos de que mais gostei. Apesar do frio que se faz sentir [e da chuva que um dia há-de vir], o tempo quente voltará certamente e o Poison d'Amour tem um terraço, que parece retirado de um palacete, com vista para o Jardim Botânico, mesmo a pedir um lanche num dia morno de Primavera.
 

Entrada
Sala grande

Sala pequena
Terraço




E nem a banda sonora é deixada ao acaso, com la chanson française a reforçar o espírito francês que se quer fazer transmitir neste espaço [reconheci La Bohème de Charles Aznavour que por sua vez me fez lembrar a versão da Mafalda Arnauth, e da qual gosto bastante].
Depois de tudo isto, não gostei de quê? [pausa para efeito dramático] De tudo! Bem, na verdade o que aconteceu foi que criei expectativas diferentes do que depois encontrei...  Esperava algo mais clássico, com candeeiros elaborados, papel de parede, dourados.... algo mais Louis XIV e menos Philippe Starck. Esperava ter o recanto com a Marie Antoinette espalhado por toda a pâtisserie :-)

Obviamente que a qualidade dos mimos com que me presenteei ajudou a cimentar o gosto pelo Poison d'Amour :-). O chá [e sim, fui eu que bebi o chá.... não sei porquê acham sempre que o chá é para mulheres... porque não umas chávenas mais másculas, com o símbolo do Benfica por exemplo?], capuccino, croissant (fantasticamente estaladiço... eleva a fasquia de dificuldade para pôr a manteiga mas no fim faz com valha a pena o esforço) e os três bolos (eheheheh) estavam todos fantásticos. Os bolos foram de diferentes áreas de gulodice, um Erisson [chocolate, com chocolate, sobre chocolate... até sentem as borbulhas a aparecer na cara só de ler? imaginem se comerem! comerem não, sentirem o chocolate a desfazer-se na boca], um Religieuse [perdoem-me o sacrilégio, mas parece um profiterole gigante com cobertura e recheio de café] e uma Bavaroise [menos doce do que os outros, para desenjoar, mas fresca e com um recheio fantástico].


No fim, o que se pagou (10€ pp) não me pareceu excessivo tendo em vista a qualidade do que se comeu e onde se comeu. E, mais ainda, o tamanho dos bolos é salutar pois já paguei o mesmo por gulodices bem mais pequenas.


Localização
Rua da Escola Politécnica, 32
Príncipe Real, 1250-102 Lisboa
Tel: 213 476 032
  
  

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Boas Festas



Aqui ao lado, no moodscape, já temos uma foto da árvore de Natal que está na Baía de Cascais (foto tirada pelo Sebastião). Este ano, em Lisboa, não há! Vamos pensar que para o ano será melhor...
O essencial neste fim-de-semana natalício é envolver-nos no espírito da quadra de Paz, Amor e Partilha! Deixar de lado a frustração destes últimos meses e não pensarmos naquilo que poderá acontecer no ano de 2012!
Por isso, o 12h30 deseja a todos um Feliz Natal e próspero Ano Novo! Pela nossa parte, faremos um esforço para continuar os nossos périplos pelos locais de boa comida.

Boas garfadas natalícias!

12h30

   

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Restaurante Almourol, Tancos

  
  
Para gozar uma estadia oferecida no Natal anterior (obrigada, C. e R.) escolhemos a zona do médio Tejo para passar o fim-de-semana. E iniciámos o passeio em Vila Nova da Barquinha (zona ribeirinha toda renovada e muito gira), seguindo para Tancos a fim de visitar o belo Castelo de Almourol. Mas com "a barriga a dar horas" fizémos uma paragem para almoçar no Restaurante Almourol. E foi uma excelente opção para iniciar esta série de refeições regionais... :))
O Restaurante Almourol está situado na zona ribeirinha de Tancos, com uma bela vista sobre o rio Tejo, que ainda se acentua mais num dia de Sol lindo, como era o caso:


E então, para começar, vieram logo para a mesa o pão, a broa de milho, as azeitonas e um petisco de farinheira com ovo mexido (que estava uma verdadeira delícia).


Pedimos ainda uma sopa para as minhas crianças e para nós escolhemos Migas de Bacalhau à Manuel Pescador com Gambinhas fritas (só fazem para duas pessoas). O prato era supostamente para duas pessoas, mas digo-vos já que, com as entradas que comemos antes, isto daria à vontade para três... aqui fica:




As migas de bacalhau eram uma delícia, só por si; com esta travessa cheia de gambas fritas, melhorou ainda mais a qualidade da refeição! :))
Apesar de estarmos bem compostos, não resistimos a provar as sobremesas! Escolhemos uma simples mousse de chocolate e doce regional de Tancos (à base de pão, doce de ovos, canela). Tudo muito, muito bom!

A somar a isto tudo, as bebidas e os cafés, e a conta ficou-se pelos 46,85 €. Cerca de 18 euros/pp (divido sempre por 2 1/2). De referir que existem pratos mais em conta na ementa, e que as sobremesas rondaram os 2,20 € (!!).

Aqui ficam mais algumas imagens:




Localização:

Rua Cais de Tancos, Nº 2 a 6
2260-314 Tancos

249 720 100; 968 058 506; 913 324 145
Horário de Funcionamento
Almoços: 12.00 H às 14.30 H Jantares: 19.30 H às 22.00 H
Descanso Semanal:
• Janeiro a Junho e Setembro a Dezembro - 3ªs e 4ªs Feiras:
• Julho – 3ªs Feiras
• Agosto – Aberto todos os dias


E aqui fica uma foto do motivo da nossa paragem por estas redondezas:

 

  
   

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Turkish Kebab House, Almirante Reis

   
  

Admito desde já que não era bem este o restaurante que tinha em mente quando dei a ideia de irmos jantar uma kebab... mas a pesquisa internetica no aparelho da maçã não estava pelos ajustes, apenas surgindo o Turkish Kebab House como opção :-) Como ainda não tínhamos experimentado o TKH, decidimos que esta seria uma tão boa oportunidade como outra qualquer.
 
 
O TKH fica em plena Almirante Reis, mais ou menos equidistante da estação de metro dos Anjos e Intendente, sendo um restaurante turco que é turco, em contraponto à franchise ao qual estamos tão habituados nos centros comerciais. Ficar na Almirante Reis apenas confere autenticidade à casa comercial, quase nos transpondo para a região de onde a comida é originária.

A sala de refeições é um tanto ou quanto apertadita por isso:
grupos >2 = reservar!! ou  grupos >2 = com uma sorte do caraças conseguem mesa
grupos <=2 = com alguma sorte arranjam mesa facilmente
sem mesa = take away

Como éramos apenas dois, conseguimos espremer os nossos corpinhos Danone numa mesa encravada entre a parede e outra mesa. Enquanto esperávamos as nossas Donner Kebab Frango, decidimos abrir as hostilidades com uma chamuça e um pão recheado (não fixei o nome). Até que não estavam más mas o facto de serem aquecidos no microondas retira-lhes parte da graça e sabor.

As Kebab Frango estavam óptimas! Bem servidas, com carne e vegetais q.b. e um excelente tempero. Deixou-me a vontade para lá voltar e provar outras especialidades da casa.

O menu de 4,9€ envolve kebab + batatas fritas + bebida = :-) Nos tempos das vacas magras (estilo meninas da Triumph) podemos sempre ir jantar fora sem gastar 25€.


Localização
Av. Almirante Reis n.º 40 E/F,
1150-019 Anjos - Lisboa
Tlm 936602826
Horário: 2a a Dom | 10h00-00h00
 
   

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

A Brejoense, Azeitão

   
  
 
Para começar, devo dizer que este post estava há muito tempo no forno, a cozinhar lentamente, pelo Sebastião...isto porque esta pastelaria é um dos "sítios da vida" do Sebastião! Mas como ele me "roubou" o post da Evian (que é a pastelaria da minha vida, snif, snif, vou lá desde pequenina...), eu agora faço o mesmo! :)

Após duas ou três tentativas frustradas de provar as tão famosas iguarias de Brejoense, os astros lá se alinharam numa bela manhã gelada de 8/Dez... muito, muito frio, mas pouquinha vontade de fazer o pequeno-almoço, levaram-nos a Azeitão.

E posso desde já dizer que todas as expectativas criadas ao longo destes anos foram superadas! A montra divide-se em três partes, e tudo tem um aspecto divinal! Aqui não há pastelaria re-inventada...é tudo tradicional, como se gosta! Agora nesta época tem um acrescento, que são todas as iguarias da época natalícia! Um mimo para os olhos, e para a boca, devo acrescentar! Portanto o primeiro desafio é: escolher o que se vai comer...é muito difícil, só vos digo! Então nós escolhemos, após grande indecisão, um palmier recheado, um suíço e um queque com nozes!

Mas como não ficámos contentes com isto, decidimos levar para casa então as iguarias do Natal: uma filhós, uma azevia de batata doce (também há de grão, calma, calma!!). Fiquei ainda de olho nos bolos rei e rainha, pequeninos, mesmo bons para uma pikena família de quatro... :) mas fica para a próxima!

Mea culpa...não tenho fotos! Mas a confusão é grande, e eu com os meus pikenos não consegui dar conta do recado todo...o que me deixa a mim uma bela desculpa para lá voltar, e a vocês a curiosidade ainda mais aguçada, certo?! :)

Recomendo vivamente! E não ficou mt caro! Vou mostrar a minha lista de "compras" para ficarem com uma ideia: galão, meia de leite, leite com chocolate, queque, palmier, suíço, filhós, azevia, donuts "de berlim" = 8 euros! Pareceu-me bem!

De referir, que existe também um serviço de refeições em modo self-service (que me pareceu com muito bom aspecto), e serviço de take away. A Brejoense encerra às segundas. E aos domingos de Páscoa (esta foi uma das tentativas frustradas...). :))


Localização:
Rua de Lisboa, 310-312
(é mesmo na N10, fácil de encontrar...)
Brejos de Azeitão - São Lourenço
Tel. 210 453 370