segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Doca de Santo, Docas

 

 
 
É difícil ser um habitante de Lisboa e nunca ter andado pelas Docas. E quando eu digo habitante, faço-o num sentido mais abrangente, mais magestático como diria a outra, incluindo aqueles que vivem em Lisboa apesar de morarem nessa região anónima chamada subúrbio. 

Apesar de ter um bocado de turistas a mais (especialmente à noite), mesmo assim continua a ser o poiso de muito tuga. Admito que sempre utilizei as Docas mais na sua forma diurna que nocturna, com a extinta Zona Doca a servir as honras da casa. Belas tardes a ver navios e a meter a colherada numa bela taça de gelado. À Doca de Santo só tinha ido para comer gelados na Artisani, com quem partilham o deck.

Foi preciso uma reunião de antigos colegas de trabalho para finalmente conhecer o Doca de Santo. Não sei se gostei do restaurante por ele ser realmente bom, ou por ter gostado tanto do convívio com colegas a quem há muito tinha perdido o rastro :-)
  

 
  
Os cogumelos salteados de entrada estavam bons. O prato principal era bife com molho cocktail (mas não posso dar a certeza), batatas fritas e arroz. Quando o bife é tenro, como era o caso, a refeição atinge o patamar de muito bom, pois bifes em que não se tenha que aplicar força bruta para cortar ou bater as castanholas mais vezes que gostaríamos (com uma visita ao Dr. Stanley para corrigir o desgaste) é sempre uma grande vitória. O molho estava igualmente bom, mesmo a gritar: "Ensopa-me numa bela fatia de pão, cariño!" :-)

 
Nem as sobremesas desiludiram... o bolo de chocolate (que parece ser bastante conhecido), o cheesecake ou mesmo a mousse de manga estavam todos óptimos! Só não provei a fruta (blagh!!) mas quem comeu, gostou (blagh!!blagh!!).

A conta foi 21€ pp - menu de grupo, com bebidas à descrição... e garanto que a sangria foi bebida sem qualquer descrição :-)

Como podem ver pelas fotos retiradas do site do restaurante, não é só de jantares que vive o Doca de Santo. A esplanada é muito confortável, convidando a relaxar e apreciar a vista.


Localização
Armazém CP - Doca de Santo Amaro
1350-353 Lisboa
Tlm.213 963 535
  
  
 

sábado, 14 de janeiro de 2012

Golf d'água, Aroeira

  
  
As festividades natalícias deixaram-nos exauridos...de tal forma, que tivémos de tirar um dia de férias para descansar! Arrumar a casa, deitar os laços, deixar os miúdos brincarem com os presentes, etc, etc...e claro que fazer almoço não fica bem neste conjunto de actividades...

Estava um dia frio, mas muito solharengo, e lembrei-me de irmos almoçar à praia! Mas o Bar do Peixe encerra à terça, Amo-te Meco não apetecia..., sobrava o Borda d'água! Felizmente lembrei-me de ir confirmar aquilo que eu já sabia, que é: os restaurantes de praia só abrem ao fim-de-semana no Inverno! E muitos deles estão inclusivamente fechados para férias!

Mas nas minhas pesquisas descobri que tinha aberto, na Herdade da Aroeira, um restaurante que pertence ao grupo Borda d'água, e pasme-se! até estava aberto! Toca de enfiar a miudagem no carro, e Aroeira aí vamos nós!

O restaurante fica na zona comercial da Herdade da Aroeira, chegando à entrada do condomínio é só dizer ao segurança que pretendemos ir ao restaurante, e já está! A partir daqui podem passear livremente pela Herdade...(o que me pareceu bastante adequado e condizente com a definição de condomínio fechado...a sério, é verdade...eu também andei por lá a ver as maisons!).



Voltando ao restaurante: estão a ver o Borda d'água?! É só visualizá-lo sem areia e ao pé de pinheiros e casas! É o mesmo tipo de restaurante, de dinâmica, de comida, tal e qual! Tem uma esplanada muito agradável, uma zona interior de cafetaria e outra de restaurante.


E como podem ver pelos individuais, ainda dá para aprender umas coisitas sobre golf...(assim sempre podem "mandar qualquer coisa para o ar" no trabalho e dar um ar de que o golf é a vossa vida ao fim-de-semana...lol)!

Escolhemos umas sandes e uns hamburgers para a refeição, coisas simples, porque comida em excesso já tinha havido no Natal! Além destas sandes mais elaboradas, o Golf d'água disponibiliza massas, pizzas, bifes, pratos de peixe, etc. Têm normalmente uma sopa de legumes que dá imenso jeito às famílias... :)) Existem também várias sobremesas, que pela descrição, me pareceram bem, mas que não provámos devido ao estado de hiperglicémia em que ainda nos encontrávamos...

A esplanada e o interior do restaurante são bastante agradáveis, com uma decoração muito gira, numa boa mistura de branco e cor forte. Podem ver mais fotografias no site do restaurante. Eu não consegui tirar porque os miúdos estavam do pior... apenas não se deixem iludir no tamanho do restaurante; é um pouco mais pequeno do que aparentam as fotografias.

Algumas notas adicionais:
  • pagámos 28 euros por dois hamburgers, uma focaccia de camarão, sumos, batatas fritas, sopa, cafés (não me pareceu excessivo pelo tipo de sítio que é...)
  • a esplanada fica sem sol muito cedo (eram 15:30 e já não havia sol), o que é muito importante para as tardes de inverno;
  • o atendimento foi rápido e eficiente, mas isto foi numa 3ª feira inocente; "cheira-me" que este sítio padece do mesmo mal dos sítios giros ao pé da praia, ao fim-de-semana - atendimento desorganizado e lento, em que é preciso levar pelo menos 500g de paciência! Se entretanto lá for beber um café a seguir ao almoço, deixarei aqui a minha opinião acerca disso;
  • ao fim-de-semana deve estar a abarrotar....
  • só agora reparei que o Borda d'água não teve ainda direito a post no 12h30...estranho, muito estranho...até porque Sininho e eu vamos lá com alguma frequência! :) temos de colmatar esta falha!

Localização:
Av. Pinhal da Aroeira, loja 9
Herdade da Aroeira
Aberto todo o ano (excepto 1/1 e 25/12), das 8h às 0h
Tel. 216 034 456
   
  

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Chico Elias, Tomar

 
  
Para aproveitar ao máximo o passeio por esta zona, decidimos visitar, na manhã de Domingo, o Convento de Cristo, em Tomar (aproveitar enquanto era grátis aos Domingos de manhã...), seguido de almoço na zona. Novamente após pesquisa fiquei com um nome: Chico Elias. Se pesquisarem "restaurantes" e "Tomar", este nome aparece incontáveis vezes e sempre com boas apreciações. E nós decidimos não contrariar...

Tal como a Cascata não ficava bem em Abrantes, este também não fica bem em Tomar...fica em Algarvias, uma localidade logo à saída de Tomar. Não houve grande problema porque o acesso de Tomar ao convento está em obras e portanto fizémos um desvio que passava exactamente por....Algarvias! e vimos logo o "Chico" na ida para o convento!

Aqui está ele, o belo Convento de Cristo!

Lá demos a nossa volta pelo convento, mostrei tudo ao P., a famosa janela, e toca de voar para o restaurante que já eram 13h e nestes sítios nunca se sabe...

Chegamos ao restaurante, tocámos à campainha, e vem uma senhora com ar simpático que pergunta logo se temos reserva (mau, mau, pensei, isto não começa bem...). Lá disse que não tínhamos e ela respondeu "é q nós só trabalhamos com reservas..." (logo agora que já me cheirava a comida boa...) "mas eu vou ver o q se pode arranjar" (ah bom, vá lá, vá lá, que nós estamos cheios de fome...). Quando volta, diz-nos que só tinha dois pratos disponíveis. Não me perguntem qual era o outro...eu fixei-me em cabrito assado no forno de lenha, com batatinhas e grelos de acompanhamento! E lá fomos encaminhados para a sala, sentar, e tal e tal...

Entretanto, lá nos fomos apercebendo do quentinho da sala (estava um dia cinzento e gelado), da hiper-mega decoração de Natal e da quantidade enorme de molduras com referências da imprensa ao restaurante ("estamos mesmo no sítio certo", pensei...).




A senhora lá foi trazendo o pão e perguntando as bebidas, e a sopa da S., e depois pergunta se queremos uma morcelazinha mesmo acabada de assar...venha ela... entretanto o B. diz-me baixinho: então e euros?! nós ainda não sabemos nada sobre isso, certo?!... (porque isto foi tudo feito sem ver a ementa, os preços... uma maluqueira!) Olhem, dias não são dias, não há-de ser nada!

E vou-vos deixar com as fotos...não farão certamente jus ao que nós comemos! Os temperos, os cheiros, a qualidade, a quantidade...tudo, tudo muito bom! A D. Maria do Céu é verdadeiramente uma cozinheira de "mão cheia" e merece todos os elogios!





Depois de enfardarmos isto tudo (sim, porque a partir de uma certa quantidade de comida já se aplica este verbo) ainda tivémos de provar um leite-creme (quem é que calava o miúdo, se não houvesse doce..), que como seria de esperar, estava óptimo!
Que mais dizer?! Não sei! Será que uma hora de almoço dá para ir a Tomar?! É que eu ía já...
Pequeno pormenor já no encerramento do almoço: só têm café de saco...mas, pronto, tendo em conta tudo o que ficou para trás, estão perdoados!

Outro pormenor a ter em conta, e este muito importante, e que poderia ter estragado isto tudo: lembram-se da minha conversa no início com a senhora? Então é assim: eles trabalham só com reservas; telefona-se, são ditos os pratos disponíveis para o dia pretendido e faz-se a reserva. Aparecer assim como nós pode não correr bem! Eu suspeito que deve haver sempre alguma comida para os incautos, que aparecem sem reserva, mas nunca se sabe! Por isso, conselho número 1: reservar! Até porque só assim poderão provar uma das especialidades muito faladas : coelho cozido na abóbora. Nós vimos passar um para uma mesa, e tadito, lá ia ele com as patas de fora e focinho mergulhado dentro da abóbora! Deve ser bom! :)) Também podem marcar refeições para grupos.

E no final, a nossa grande incógnita durante toda a refeição, ou seja, a conta. Não foi grave, foi perfeitamente adequado, e não foi necessário ficar a lavar os pratos...pagámos 54 euros. Só vos digo que foi o dinheiro que melhor me soube gastar em restaurantes...recomendo vivamente!

Localização:
Rua Principal, 70
Algarvias 2300-302 Tomar
Encerra: 3.ª feira e Domingo (jantar)
Tel. 249 311 067
Reserva obrigatória!