quarta-feira, 27 de março de 2013

Il Pizzarium, Parque das Nações, Lisboa




Cheguei ao Il Pizzarium através deste site dedicado às famílias e às actividades em família, e "cenas" afins: o Pumpkin. Lá têm uma lista com restaurantes child friendly, que eu consultei para arranjar um sítio para um almoço rápido, em conta, e com espaço para a brincadeira das crianças. 

O Il Pizzarium era um deles, mas só no Verão... e nós fomos no Inverno... é que eles têm uma esplanada no Terraço dos homens muralha, que deve ser muito simpática, com um local para as crianças estarem entretidas, mas que obviamente não estava disponível quando lá estivémos! Mas como é uma pizzaria, o serviço é relativamente rápido e dá para aguentar! :)

 



Escolhemos para entrada uns pães deliciosos acompanhados de manteiga de alho, acabadinhos de fazer, e que apenas souberam a pouco! Para almoço escolhemos as pizzas, que são de um tamanho generoso, massa fina e com uma variedade enorme de ingredientes.





O espaço interior é pequeno, mas parece que a esplanada no Verão deve ser bastante boa. O ambiente é familiar e informal; o serviço foi um pouco desorganizado, mas apenas por estava lá uma ajudante de última hora, muito simpática mas com pouca prática (acredito que numa situação normal tudo corra muito melhor).




Com os refrigerantes e os cafés, a conta ficou em  31,5 €. Nada mau! :)

Será um sítio a experimentar quando tivermos um tempo mais ameno, mais quentinho... 

Isso vai acontecer, não vai?! É que já começo a ter algumas dúvidas... :)



Il Pizzarium

Rua Comandante Cousteau, Lote 4, Loja C
1990 - 067 Lisboa
Tel.: 216070179, 938672014

11h30-23h00



Nota: Fotos de www.il-pizzarium.pt e Joana, come a papa.


terça-feira, 26 de março de 2013

Eric Kayzer





E eis que surgiu mais uma cadeia de padarias em Lisboa [ou, se quisermos chamar os bois pelos nomes, mais umas fábricas de encher pneus]! E agora chegou a hora da penitência... Sim, eu sei que a Eric Kayzer já abriu à resmas de tempo mas, como algum poeta de vão de escada já deve ter dito, o tempo é fluido e escorregadiço por isso quando caímos em nós Tumba! estamos a escrever um post "ligeiramente" atrasado... Pior [estou numa fase de purga], demorei tanto tempo que já existem dois Eric Kayzer e meio (shame on me!!!! shlap! shlap!). Mas adiante.


Segundo reza a história, o Sr. Eric Kayzer é um homem apaixonado pelo pão, de tal maneira que quando vê uma baguette logo se agarra a ela [como a perturbadora imagem assim o comprova.... too many jokes]. E foi esta paixão pelo catetinho [alguém ainda se lembra de onde vem esta referência?] que serviu de motor para o que se viria a tornar uma cadeia internacional de boulangeries, agora chegada a Portugal. Em nota de rodapé.... Tenho de referir que o Sr. Eric teve muita sorte, fosse ele português e se tivesse apaixonado por um pão com chouriço ou sandes de courato (primeiro teria levado poucas no recreio, teria) a vidinha dele estaria, quando muito, associada a um império de roulottes :-).


Amoreiras
Existem duas Eric Kayzer em Lisboa, uma nas Amoreiras (a primeira) e outra no Chiado (na antiga livraria Portugal). A Eric Kayzer das Amoreiras sofre um bocadinho de falta de originalidade decorativa, isto porque a cor escolhida para pintar as paredes é idêntica à da sua concorrente no mercado da panificação (Padaria Portuguesa), mas tirando isso é um espaço agradável com a possibilidade (caso o tempo o permita) usufruir de esplanada.

A Eric do Chiado está pintada com uma cor completamente diferente, algo que eu chamaria verde anémico, mas que não lhe dá um ar espectacularmente convidativo (o segundo piso então é de uma esterilidade que até dói.... meus! era uma livraria tentem lá dar um ar mais cozy à coisa sff). E a Eric do Chiado, penso eu de que, peca por alguma dificuldade organizativa (que já me levou a desistir de comprar) mas nada que supere a frequente anarquia de uma Padaria Portuguesa (na qual, no entanto, nunca desisti de comprar.... pancadas!).

Chiado
A meia Eric Kayzer fica dentro do supermercado do Corte Inglés. É uma banca com alguns artigos seleccionados, para quem não tem oportunidade de ir às Amoreiras ou Chiado e quer um mimo do Eric Kayzer (sem malícia).

O pão vem em várias cores e paladares, já comprei e gostei, já comprei e pensei "o continente faz igual e mais barato", portanto cada um encontrará o seu nicho-pão. Mas são as tartes que mais apelam aos meus olhos de glutão :-) São boas de ver e de comer! Desde as maminhas da Marie Antoinette até às tartes de maçã.... vale tudo menos arrancar olhos. Só os croissant com amêndoas não fizeram o meu género, tanto que não consegui chegar ao fim de um.

Como dizem os franceses, Bon Appetit!




ERIC KAYSER

Eric Kayzer 1
Amoreiras Plaza | Rua Professor Carlos Alberto da Mota Pinto
1070-374 Lisboa
T | 211 927 894
Encerramento: não encerra
Horário de Funcionamento: 07h30 às 20h30 (2ª/Sáb) | 09h00 às 19h00 (Dom)

Eric Kayzer 2
Rua do Carmo, nº 70
Encerramento: não encerra
Horário de Funcionamento: 07h30 às 20h30 (2ª/Sáb) | 09h00 às 19h00 (Dom)



segunda-feira, 25 de março de 2013

A Torradinha, São Francisco - Alcochete



Comecei por tomar conhecimento da existência da Torradinha através da Susana Pinto - Sweet Stylist (uma vez que é lá que expõe e comercializa alguns dos seus trabalhos/produtos). A Torradinha também tem a sua página de Facebook, que é muito activa, e todos os dias nos delicía com os produtos disponíveis para almoço ou lanche!

A Torradinha fica em S. Francisco, que para quem não sabe, é uma localidade entre Alcochete e Montijo, ou seja, não fica muito em caminho para quem faz a sua vida toda em Lisboa. No entanto, aproveitando uma tarde sem crianças e uma ida ao Freeport (aqui fica a sugestão), lá fui à Torradinha lanchar e aproveitar para provar algumas das coisas que me vão deliciando todas as manhãs via FB! :)





A minha escolha foi para um chá de frutos silvestres e um pastel de feijão e o B. optou por um cupcake de chocolate com cobertura de menta e uma meia de leite. Estava tudo óptimo! A cobertura do cupcake estava com o toque ideal de sabor a menta, que combinava muito bem com a base de chocolate! Com muita pena minha já não haviam empadas de galinha de Pegões... fica para um próximo lanche!


Em relação ao preço, foi bastante económico... aliás, continuo a achar que o filho da dona da Torradinha enganou-se na conta! Ficou tudo por 3,20 €. Pode ser que entretanto a senhora veja este post e diga qualquer coisa sobre isto!



No local estão expostos alguns trabalhos de cake design da Susana Pinto e são comercializados alguns produtos (bolachas, cupcakes, etc).

Se estiverem por perto, aproveitem para conhecer! :)

A torradinha

Alameda Júlio Diniz 69
S. Francisco 2890-307 Alcochete
Tel. 212 317 471
Horário:
Seg-Sab - 7-20h| Dom - 7-13h


Nota: Fotos de Joana, come a papa e página de facebook da Torradinha.



sexta-feira, 1 de março de 2013

Choupana Caffé - Lisboa





Ah tanto tempo que não escrevia nada... O sebastião já me deve ter rogado para lá de muitas pragas mas aqui estou eu de volta ao ativo. A ausência deveu-se a 3 motivos: falta de tempo, falta de inspiração e a famigerada troika, que isto de ir jantar fora agora é luxo dos grandes, que só se faz em dias de festa. E, e... Ainda ontem passei à porta de vários restaurantes no LxFactory que não conheço (não quer dizer que sejam novos) e pensei: tenho de cá vir jantar. Depois desceu o anjinho da troika que me disse: "Vais gastar mais de 20 euros num jantar? Olha que isso dá para fazer compras no supermercado para 2 semanas". Pronto, passou-me a vontade mas que apetecia, apetecia. 

Fui pela primeira vez ao Choupana por volta do Natal passado, num dia escuro e frio, quando juntámos 4 amigos a lanchar. Voltei lá ontem para ter uma experiência mais abrangente e poder escrever o post com mais conhecimento de causa.

O sebastião que me perdoe mas começo a ficar um pouco aborrecida do estilo industrial, shabby, com o mobiliário despernado e em más condições. No Natal inclusivamente havia cadeiras tortas (como podem imaginar extremamente desconfortáveis). Ontem as cadeiras tinham sido substituídas, o que já permite uma permanência confortável durante um período maior de tempo, mas não muito, mas continuam a popular por lá bancos bastante desconfortáveis.  Mas não é incomum ver pessoas a trocar de mesa porque a delas tem as pernas desniveladas, para depois descobrirem que a mesa do lado está igual. Por isso, acabem lá com essa história, foi giro o primeiro e o segundo, mas agora já não é novidade, é apenas incómodo. 

Quanto à boa da comidinha, os scones são regulares, grandes é verdade. No entanto, para mim a grande desilusão foi o croissant de açúcar. Eu sei que a culpa é minha, não tinha nada que olhar para o croissant e ver um do Careca, mas digam lá que não é parecido...  Por isso o meu pequeno e limitado cérebro pensou que ia provar um croissant do Careca, mas não, muito longe digo. Não é mau, mas não há aquela adesão estomacal como nos do Careca. 

Para completar a minha experiência levei para casa um Henrique (requeijão com doce envolto em massa folhada), e um pão de mafra e um de milho. Os pães eram bons, nenhuma 7ª maravilha do mundo antigo, mas cumpriam bem a sua função. O Henrique teve um problema, foi-me vendido como um salgado e quando o provei era doce, ora como eu não gosto da mistura de doce e salgado, muito menos quando o salgado é queijo, vamos pôr assim, não terminei. 

Conclusão, muito giro, pouco confortável e não fiquei fascinada com a cozinha. De volta à padaria portuguesa. 


Choupana Caffé
Avenida da República 25A - Lisboa
Tel: 213570140
De Segunda a Domingo - 7h-20h