quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Museu do Azulejo, Lisboa

   




Foi preciso a colega que passava a vida a falar-me da cafetaria do Museu do Azulejo partir desta para melhor, ou seja reformar-se, para finalmente me decidir a desencaminhar alguém para lá ir almoçar. A velhota fartava-se de dizer que era muito agradável e que não se comia mal (apesar de na maioria das vezes só lá ir beber café...) mas nunca me deu para lá ir... quando muito insistem parece que, por vezes, tem o efeito oposto ao pretendido...


Então, numa sexta-feira perfeitamente anónima, sem ninguém esperar (nem eu próprio!) atirei o barro à parede ou, neste caso, à Joana :-) E como o barro era dos bons, pegou e lá fomos a todo o vapor.




O Museu do Azulejo fica lá nos confins do mundo, mais concretamente na rua de Madre Deus, perto do Lidl de Xabregas e do Convento do Beato. Apesar de uma localização um pouco fora de mão, o estacionamento não foi difícil, na verdade havia vários lugares mesmo junto ao Museu, mas em caso de necessidade é só estacionar no Lidl e andar meia dúzia de metros.

O Restaurante/Cafetaria do Museu do Azulejo ou MNAz tem uma sala interior, decorada com azulejos oitocentistas provenientes de uma antiga cozinha palaciana, com vista para o jardim de Inverno do Museu, onde fica uma esplanada. O jardim é simples, com plantas ao longo do seu perímetro, um pequeno lago ao centro e (felizmente) uma espécie de "telheiro" que deixa entrar a luminosidade mas faz sombra (assim não derretemos enquanto comemos). Nós ficámos numa mesa na esplanada e parecia que estávamos noutro mundo, sem stresses nem barulhos, só paz e descontracção. Realmente este é um local óptimo para fazer uma refeição com descontracção.

    
 
 
A ementa não é muito variada, um prato de peixe e outro de carne, mas existem sempre quiches, crepes e saladas caso nenhum dos pratos do dia agrade. Nós escolhemos coelho à caçador, pois a nenhum de nós apeteceu perca assada, e estava óptimo e em quantidade mais que boa! 

Para sobremesa, dividimos uma tarte de maçã mesmo ao gosto da Joana.... maçã reineta do princípio ao fim!! Estava óptima, com todo o preceito de não ser industrial, mas um bocadinho de açúcar não lhe teria feito nada mal... e com bolo de chocolate na montra... bem fica para a próxima! Pagámos 11€ pp, o que não é baratuxo mas também não é uma calamidade, e mereceu nem que seja pelo momento de paz no fim de uma semana atribulada.

O atendimento é do mais poliglota possível (mais facilmente vos perguntam em inglês que em português) para além de simpático mas não esperem celeridade, em concordância com o espírito pacífico do local tudo é feito com muita calma. Por isso local óptimo para almoçar ou lanchar se tiverem tempo, senão começam a stressar e lá se perde o efeito do local.
 
Info
Terça-feira a Domingo | 10 h às 18 h
Rua da Madre de Deus, nº4, Lisboa
Link

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Darwin's Café - Lisboa





Uma das criticas que me é dirigida mais frequentemente pelos outros dois colaboradores deste blog, é que ando desaparecida, por isso decidi surpreendê-los com posts em dias consecutivos (óbvio, que a grande surpresa seria mesmo pôr em dia os 539 posts que tenho em atraso). Mas diga-se de passagem que o Nadal e o Djokovic também não estão a facilitar nada esta tarefa, grande final do US Open!

Algures em Agosto, e antes das minhas férias, estes vossos amigos decidiram juntar-se e irem lanchar ao Darwin's Café. Ora, poderia parecer uma missão fácil, combinar um lanche entre três pessoas que trabalham na mesma instituição e com horários semelhantes. Mas, não. Tudo acontecia, surgia sempre alguma coisa, o que levou a que este evento demorasse mais de um mês a conseguir realizar-se. Mas um belo dia, todos os astros se alinharam e lá fomos nós, em direcção ao pôr-do-sol ou como quem diz, Belém.

Compreendo que a arquitectura do edifício não agrade a todos, e eu normalmente não gosto muito deste tipo de arquitectura, mas acho que a Fundação Champalimau está muito bem conseguida. Nunca lá tinha estado, mas de perto o edifício é ainda mais imponente e interessante, por isso recomendo a todos uma visita pelos espaços públicos da fundação.

O edifício é fantástico, mas o Darwin's Café não lhe fica atrás. O espaço de refeições é grande, com um pé direito gigantesco, e está decorado com um bom gosto incrível. Dentro do mesmo género do LA Caffé – Avenida da Liberdade (um dos vários posts que já deveria ter escrito), mas creio que está melhor conseguido.

Sentámo-nos na esplanada, até porque o espaço interior pareceu-me só estar disponível para almoços e jantares. Mas é uma zona muito agradável e com uma vista fantástica. Os sofás também pareceram ter muito potencial para alapar durante uma tarde inteira.

Em relação à comidinha, pedimos dois lanches para os três. Os lanches são compostos por dois scones, um croissant folhado e uma fatia de bolo à escolha. A acompanhar queijo, fiambre, manteiga e duas compotas. Tudo fantástico, e com um aspecto muito pipoca.

O único reparo vai para o atendimento, que ficou um pouco aquém. É lento, pouco simpático e no momento de pagar foi preciso andar atrás dos empregados. E quando decidi pedir uma factura? Foi o descalabro, cheguei a fazer ponto de honra conseguir a bendita da factura. 

La dolorosa, é isso mesmo, mui dolorosa. Com lanches a 9 euros, e cafés/bebidas a 2,5€, não seria de esperar outra coisa, 10 euritos por pessoa. É uma tarde muito bem passada e agradável, mas assim para o caro. Em relação ao restaurante, que não experimentámos, tem preços semelhantes ao LA Caffé da Av. Liberdade, preços que rondam os 13€ o prato, o que deve significar que é necessário alguma ginástica para conseguir pagar menos de 20€ por pessoa.   

Darwin's Café
Champalimaud Centre for the Unknown
Av. Brasília, Ala B
Lisboa
Tel - 21 048 02 22
info@darwincafe.com

Almoço: 12H30 - 15H30
Lanche: 16H30 - 18H30
Jantar: 19H30 - 23H00.
Às Segundas encerra ás 16H00.
(se chegarem entre as 18h30 e as 19h30 não há mesas disponíveis, só mesmo os sofás)

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

O Caçador, Portimão

 
 


Bem, dizer que o restaurante fica em Portimão é um pouco abusivo, e nós bem que podemos dizer isso, pois o depósito estava nas últimas e nunca mais chegávamos ao restaurante. Ora, o restaurante fica em Rasmalho, assim como quem vai para Monchique e pára no meio de nenhures.

E como é que fiquei a saber da existência do restaurante? Nada mais simples, o restaurante é do primo de uma amiga de um amigo, como podem ver é quase família. Como a amiga do amigo estava de férias ao mesmo tempo que nós, e estava a dar uma mãozinha ao primo, decidimos acompanhá-la até ao restaurante e experimentar.

E não é que foi uma boa experiência!! O local é muito simpático, com uma esplanada onde é possível jantar (e servir de jantar para as melgas, é o ciclo da vida), e imagine-se até conseguimos ir lá num daqueles raros dias em que estava uma noite agradável. O serviço é também muito simpático, divertido e poliglota.

Apesar de existirem pizzas e pastas, optámos todos por comida tradicional portuguesa com twist. Para mim, o borrego com molho de rosmaninho era de longe o melhor, mas os outros pratos também estavam bons. As sobremesas, quase todas caseiras, eram boas, apesar de todos termos ficado um pouco intrigados, e mais tarde desiludidos, com o arroz doce com chocolate.

No final, pagamos 17 euros por pessoa, o que me parece um pouco elevado para um restaurante tão fora de mão, mas por outro lado foi uma noite bem passada e em boa companhia.

O Caçador
Qt. Torrinha
Rasmalho
 -  Portimão 

Tel: 28249187

Nota: foto retirada de http://ab-imagensincriveis.blogspot.com/2010/12/portimao-02-portugal.html




terça-feira, 6 de setembro de 2011

Francesinhas

Apesar de nenhum de nós ser do Porto, é dado adquirido que somos "todos os três" fãs incondicionais de francesinhas! E o que é difícil encontrar uma boa francesinha em Lisboa?!!
No Porto o nosso local de eleição vai para a Cufra. Em Lisboa têm havido algumas tentativas...(1, 2, 3, 4)...nem sempre bem sucedidas!

Mas nós temos uns leitores que são uns queridos, e vão dando sugestões, as quais nós apreciamos muito e tentamos seguir... e no post da Casa dos Caracóis foi-nos deixada uma sugestão de um óptimo local em Azeitão para comer francesinhas!

A Nortenha fica em Brejos de Azeitão, parece que é realmente muito afamada pelas suas francesinhas (pelo menos, assim que pesquisei no Google tudo o que me apareceu sobre a Nortenha estava relacionado com francesinhas); como eu, Joana, moro na margem sul (mais conhecida como deserto) lá arrastei a respectiva família para descobrir então as potencialidades deste espaço. :)

Casa de decoração simples, situada na Rua de São Gonçalo, fácil estacionamento, serve além das francesinhas os tradicionais bifes, bifanas, secretos, e afins. Existem três francesinhas à escolha: sem ovo, com ovo, com camarão (esta última, um pouco mais cara). Escolhemos duas com ovo e uma sem, um bife à portuguesa (há uma esquisitinha na família...); todos acompanhados de uma generosa porção de batatas fritas. O molho "atira mesmo" para o picante...passámos grande parte do tempo a assoprar! :)

com ovo

sem ovo

Eu gostei bastante desta francesinha...achei que estava bem confeccionada, bem servida, o molho um bocadinho picante demais (mas eu tenho uma tolerância baixa ao picante), e até fica perto de casa... :) Houve quem achasse que o molho sabia demais a tomate para o que é a tradicional francesinha. Ah, é verdade...o bife à portuguesa também estava bom! :)
E ficou tudo muito em conta...francesinhas, bife, sumos, cafés - 10 euros/pp. Preço simpático!


No dia seguinte chego ao trabalho, e em conversa com um colega que também gosta muito de comer, estava eu toda esperta a dizer que tinha descoberto um sítio muito bom para as francesinhas, quando o A. me diz: não, não...o melhor sítio para comer francesinhas é no Marco, nas Colinas do Cruzeiro (Odivelas, para quem não sabe...)! E salta logo outra colega que diz: ah pois é! são um espectáculo! muito boas! :) E eu pensei: querem ver que ainda tenho de ir comer francesinhas mais uma vez esta semana?! oh pá, que chatice! isto há alturas difíceis na vida... :))
No dia seguinte, lá tive um trabalho enorme a convencer o Sebastião a irmos experimentar esta nova sugestão...foi horrível, resistiu imenso!!! acho que foi tipo...5 segundos... :))

E então, Colinas do Cruzeiro...aí vamos nós!!! :)


O Restaurante Marco é um negócio com origem em Vila Nova de Famalicão, ou seja, malta do Norte que resolveu dar-nos a benesse de termos por cá esta iguaria! :)
Fica então nas ditas Colinas do Cruzeiro, não me peçam muitos pormenores, foi a primeira vez que lá fui, mas fica na rua dos bancos (e parece que é muito afamado por lá, portanto, perguntando deve ser fácil). Tem uma decoração gira, simples, muito arejada, em tons laranja e castanho, e além das mesas normais tem umas "boxes" onde cabem quatro pessoas que também lhe conferem alguma piada (servem por exemplo para confinar barulho de família de 4 pessoas barulhentas...ainda me há-de servir um dia, tenho a certeza!). Deixo-vos aqui algumas fotos:


As francesinhas existem em quatro variedades; nós escolhemos a especial e a portuguesa. A saber: a portuguesa não tem o bife, vem com alface e bacon, é mais pequenina; a especial tem a composição tradicional e é bem composta!!!
Aqui fica a portuguesa:



Aqui fica a especial:




Como vêm, tudo com muito bom aspecto! Fazendo aqui um pequeno ranking, considero a francesinha do Marco melhor que a da Nortenha. No meu caso particular, que não aprecio muito comida picante, achei este molho mais suave e portanto gostei mais.
No Marco servem-se muitas outras coisas além das francesinhas: pratos de peixe e carne, sandes, pregos, hamburgers, pizzas, etc. Nós provámos além das francesinhas, uns rissóis de carne que estavam óptimos. Já não conseguimos como é óbvio chegar às sobremesas! Pagámos 11,5 €/pp (se saltarem os rissóis, fica-vos pelos dez euros).


Foi portanto uma semana em cheio! Quanto a mim, tenho finalmente dois bons locais onde comer esta iguaria tão apreciada. Se estiver em casa...Nortenha! Se estiver em Lisboa...Marco!


Aqui ficam os contactos:

Nortenha - Casa das Francesinhas
Rua de São Gonçalo, 238, Lj C
Brejos de Azeitão
Encerra ao domingo.
Tel. 210 866 611


Restaurante Marco
Rua Pulido Valente, zona 7, lote 1, loja 3
Colinas do Cruzeiro
Odivelas
Fechado até às 12:00

Seg - Qui: 12:00 - 1:00;  Sex - Dom: 12:00 - 2:00
Tel. 219 327 898/914 747 896/211 581 814


Nota: fotos da Joana e do Sebastião, e do FB do Restaurante Marco.