terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Ultralento, Lisboa

já andava com o telefone deste restaurante escrito na agenda à algum tempo, mas ainda não tinha surgido a oportunidade de o utilizar. foi então que as estrelas se alinharam e a oportunidade surgiu. e ainda bem.....

chegar........
o Ultralento fica situado no coração de Campolide e, associado à sua localização geográfica, vem o único defeito do restaurante - o estacionamento. a melhor opção é o parque subterrâneo de Campolide (quase ao pé das Amoreiras) mas se forem pessoas com persistência e paciência (ou com um Smart :-) pode ser que encontrem um bocado de passeio livre.

entrar e olhar em volta.......
influenciado pelo look algo vintage do site do restaurante e pelas descrições que encontrei espalhadas pela net, tinha formado a ideia de que o Ultralento teria uma decoração informal e acolhedora. quando entrámos no restaurante, o espaço revelou-se substancialmente diferente do esperado. mas, felizmente, nem sempre diferente é mau. na verdade, o restaurante apresenta um ambiente moderno (conseguido com as paredes cinza escuro metálico) com pormenores vintage, como os candeeiros das décadas de 60 e 70, todos diferentes, que iluminam as mesas, ou os individuais em palhinha, existentes debaixo dos pratos, também eles todos diferentes. combinando o moderno e o retro foi conseguido um ambiente moderno mas longe de ser frio e estéril. aliado à decoração estava uma excelente selecção de música, criando em conjunto um ambiente muito agradável .

sentar e escolher.........
depois de sentados, veio a ementa e com ela um dos pontos altos do restaurante, o atendimento. a forma apaixonada e algo teatral como são explicados os pratos que pensamos comer, dando ênfase aos ingredientes e a todo o processo de confecção, faz com se fique a salivar muito antes de vermos a comida. por isso deixo aqui o alerta, não perguntem muitos pratos pois, em vez de ajudar na selecção, pode fazer com que tenham ainda mais dificuldade em decidir o que vão comer.

segundo o que nos foi explicado, a ementa foi desenvolvida em torno da cozinha mediterrânica, pelos seus sabores e valores nutritivos, e da cozinha indo-goesa resultando assim em pratos que envolvem paladares de ambas as culturas gastronómica.

comer, comer......
nós ficámo-nos pelos bojes como entrada, bifinhos com batatas de mostarda e caril de peixe e camarão como pratos principais. o que são bojes? essa foi a nossa primeira pergunta mas, infelizmente, não consigo reproduzir a explicação. posso é dizer que eram muito bons :-) e tinham o aspecto de pequenas filhoses.

os pratos principais estavam muito bons! os bifinhos desfaziam-se na boca e as batatas estavam divinais (salteadas com grãos de mostarda) e o caril tinha um picante não agressivo e estava bem confeccionado em termos de especiarias (só foi pena o peixe estar mal passado). a comida, a companhia e o ambiente calmo e descontraído (a sala tem uma boa acústica, o que permite falar em vez de gritar) deram azo a uma excelente refeição.

e calmamente sair.....
e porquê o nome de Ultralento? segundo os mentores do restaurante "Ao acto da alimentação acrescentamos tempo, para degustar, para usufruir, para deleitar, acreditamos que esse tempo deve ser ultralento." e a verdade é que ninguém nos pressionou ou apressou para acabarmos a refeição ou vagarmos a mesa, deixaram-nos marinar no restaurante até estar prontos para o deixar.

se ainda não perceberam, gostei muito deste restaurante, e ao qual pretendo voltar assim que houver oportunidade, e aconselho que façam o mesmo.

localização.....
Rua General Taborda 47 A - Campolide
1070-138 Lisboa
Telef 213879186
Preço médio: 20€ pp
Encerramento: Domingos
Horário: 2a a 5a - 12:00 às 23:00, 6a a sabado - 12:00 às 24:00

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Fast Food

É a crise meus amigos... É a crise... (diz-vos este vosso Velho do Restelo)

A crise está aí, e isto de ir a restaurantes onde se paga 20 euros por cabeça foi chão que já deu uvas. A outra razão para escrever este post é que apareceram no mundo do fast food 2 locais gourmet, dos quais gosto muito e recomendo vivamente para refeições mais baratas.
O mais conhecido é o h3, já existe em vários centros comerciais, em que o primeiro foi no Monumental, e é um local onde se pode comer um bom hamburger (de carne de vaca, e não de animal não identificado) que pode vir mal passado, médio ou bem passado. Como acompanhamento existem umas batatas fritas tipo pala-pala deliciosas, e quem gosta diz que o esparregado é muito bom. Existe ainda a possibilidade de acompanhar a comida com sumo de limão (feito com limões) ou chá gelado em vez das tradicionais bebidas à pressão (que também existem). O preço de cada refeição fica entre os 5 e 8 euros.
No entanto, a democratização geográfica fez com que a qualidade da casa diminuísse (como acontece em tantos casos), e já me aconteceu pedir mal passado e vir bem passado e outras combinações, agora peço médio e vejo o que me calha na rifa.
O outro é o CitySandwich, menos conhecido e existe apenas em 2 localizações, o que permite que a qualidade da comida servida seja mais controlada. O que me fez procurar o CitySandwich foi ter a assinatura do chef Guerrieri, criador do Mezzaluna e do Brusketta, e como sou fã do Brusketta e o Mezzaluna também me pareceu muito bem (ao palato, porque a carteira ficou a chorar copiosamente) decidi ver o que é que o chef tinha inventado desta vez.

Ora, o CitySandwich tem sandes, pizzas e massas. Provei as sandes, e o que vos posso dizer é que o pão é muito bom e os ingredientes, que são muitos por sandes, são de muito boa qualidade e combinam muito bem entre si. Vê-se que houve preocupação na criação das sandes, nos ingredientes que as compõe, e em incluir ingredientes tipicamente portugueses como alheira ou torresmos.

Existe a possibilidade de fazer um menu, com batatas e bebida, eu comi apenas a sandes e fiquei muito satisfeita, a roçar o cheia. Os preços são a apartir dos 5 euros por sandes.


City Sandwich
http://www.chefguerrieri.com/ (vejam o filme com as sandochas)

Rua Joaquim António de Aguiar 73 - Lisboa (na esquina com Rua da Artilharia 1)
Take Away - 213 876 261
Delivery - 213 813 939 (no menu)
Seg a Sex - 11h a 20h e Sab 12h a 16h

Forum Almada 10h-24h

h3
Várias localizações
http://www.h3.com.pt/

Marisqueira de Ribamar, Ribamar-Ericeira

Após 7 anos de ausência desta bela localidade que é a Ericeira...deixou de ficar "em caminho" e adquiriu o estatuto de "passeio"...decidimos fazer uma incursão por lá, comer bem, passear, apanhar sol, e algum frio também!! Posso dizer desde já que todos os objectivos foram largamente cumpridos! A seguir à Ericeira, passando Ribeira d'Ilhas, entramos em Ribamar; terra esta que se assemelha a Paços de Ferreira, mas em vez de casas de móveis temos marisqueiras! Como nestes casos é sempre difícil escolher, seguimos uma recomendação e fomos à Marisqueira de Ribamar. Esta casa existe desde os anos 70, foi recentemente herdada por dois irmãos, que lhe deram um toque mais moderno e tomaram conta do "assunto". Posso dizer que fomos atendidos de forma muito simpática, eficiente e rápida (conjugação nem sempre fácil de encontrar). A mesa...pois, a mesa demorou um pouquinho! Ou chegam às 12h ou então parece que podem contar sempre com uma hora de espera!

Nós optámos por um arroz de gambas e mexilhão; ao almoço não gostamos de comer marisco "puro e duro", normalmente fica lá mais para o fim da tarde. O arroz era supostamente para duas pessoas, mas asseguro que dava bem para três pessoas. Muito bem composto de gambas e mexilhão, arroz no ponto certo, com um leve travo picante! Muito, muito bom!
As opções são diversas: algumas travessas compostas de variedades de marisco (com diversos tamanhos e respectivos preços), arroz de marisco, lulas, etc, etc. Pratos de carne só um: bife da vazia. Existe também uma sopinha de legumes muito boa, para os mais pequeninos.
As sobremesas ficam-se pelos gelados e variedades tradicionais: baba de camelo, mousse chocolate, serradura, doce da casa, cheese cake, etc. Mas posso assegurar-vos que a serradura estava excelente!
Finalmente a conta: nada de especial tendo em conta o que foi consumido 30€ (2 +"1/2" p).
De resto, para quem como eu já não visitava estas paragens há bastante tempo, posso dizer que fiquei surpreendida. Muitas casas, condomínios, lojas, tudo! Mas do pouco que tive oportunidade de ver, cresce de uma forma minimamente sustentada. Existe na zona das galerias de S.Sebastião um parque infantil com, imagine-se, baloiços que simulam um ginásio!
Existem também vários passeios pedonais com a vista maravilhosa que é o nosso mar encrespado!! Um passeio a ter em conta, em família, a dois, ou quiçá sozinhos, para libertar a mente com o ruído das ondas a embater nas rochas!

Localização
Est. Nacional, após Ribeira d'Ilhas, entrar em Ribamar
Restaurante ao lado do moinho com o burrinho...Não há que enganar!
Telef. 261 862 441
Horário:12-22h
Encerra às quintas

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Adega do Almirante, Loures

Lembram-se da frase "o que é Nacional é bom"? Sim? Então, ignorando que o anúncio se referia a uma marca de massas, e levando à letra a expressão, julgo que resume de forma perfeita a minha refeição na Adega do Almirante.

Perdida algures em Ponte de Frielas, a Adega do Almirante é um restaurante típico de gastronomia portuguesa, apresentando um ambiente rústico e simpático, com uma sala de refeições espaçosa o suficiente para que não seja imprescindível fazer reserva (mas ao fim-de-semana talvez seja melhor). O estacionamento não oferece quaisquer dificuldades uma vez que o restaurante tem um extenso parque privado (se eu disser que aqui também se fazem festas de casamento e baptizado fica tudo explicado?).

Uma vez sentados no restaurante, começamos a olhar para o menu e a percorrer os vários pratos de carne e peixe disponíveis, verificando que os grelhados são uma das fortes apostas deste restaurante. Mas o verdadeiro ex libris da Adega do Almirante é o mítico Arroz de Cabidela ;-) que, segundo me disseram, é muito bom (e deve ser verdade porque era o prato de várias pessoas à nossa volta)

No entanto, não foi nem o Arroz nem os grelhados que captaram a nossa atenção. Foi a Broa de bacalhau que conseguiu cativar o olhar e as nossas papilas gustativas. E estava excelente! E não, não me enganei, não é bacalhau com broa mas sim broa de bacalhau. Pegam numa broa, desfazem o seu interior, misturam grelos, bacalhau e miolo de broa, põem a mistura no interior da broa, levam ao forno, alagam de azeite e tcharam! Muito bom. É de referir que as espetadas de peixe também estavam muito boas ;-)

As sobremesas eram as esperadas num restaurante tipicamente português, desde as farófias até ao bolo de bolacha, passando pelo doce da casa. As que se pediram estavam boas.

Quando quiserem um restaurante onde se come muito bem, a preços simpáticos (15/18€ pp) e onde cabe muita gente aqui fica uma boa alternativa.

Localização
Rua Comandante Sacadura Cabral 106 B - Ponte de Frielas
2660-072 Loures
Telef. 219898001
Encerramento: Domingos

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Frutalmeidas, Lisboa

Em sequência do post referente ao restaurante Lucca, julgo que é de todo pertinente prestar a devida homenagem a essa casa mítica que é o Frutalmeidas.

Para quem nunca ouviu falar, o Frutalmeidas começou por ser apenas mais uma frutaria nas ruas lisboetas mas acabou por se destacar e tornar uma referência porque, para além de vender fruta, passou a ter disponíveis verdadeiras pérolas gastronómicas, como os pastéis de massa tenra (sempre quentinhos) e o bolo de morango (com morangos e resmas de chantilly). As tostas, os sumos naturais e refeições rápidas também estão disponíveis e regra geral são excelentes. E não, não se come os pastéis no meio das caixas de fruta, normalmente ou existe uma cafetaria junto há frutaria ou já só existe a cafetaria :-)

Existem três Frutalmeidas (que eu conheça): um na Av. de Roma (junto ao Hotel Roma), um na Av. António Augusto Aguiar (perto do Corte Inglés) e outro no Saldanha Residence. Sou frequentador assíduo do Frutalmeidas no Saldanha Residence (nada como uma fatia de bolo de morango antes/depois de ver um filme ou para levantar a moral ;-). A minha única pergunta é: porque não abrem mais Frutalmeidas? Pois os três que existem estão sempre cheios de gente ;-)

bom apetite
------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem mais Frutalmeidas, mas creio que só têm frutaria. O que me leva a uma das grandes questões da humanidade: qual dos Frutalmeidas apareceu primeiro? Se souberem, digam-nos.
Queria deixar também uma referência ao atendimento, que no Saldanha Residence é especialmente simpático e despachado, que às vezes até faz confusão a velocidade com que aqueles rapazes trabalham. E 2 deles são gémeos, o que durante algum tempo me fez pensar que, independentemente da hora a que eu lá fosse, aquele rapaz estava sempre a trabalhar, até ao dia em que descobri que afinal eram 2.

sininho

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Lucca, Lisboa

Já diz o povo, com muita razão, que à terceira é de vez. Este restaurante conseguiu fugir-me do palato por duas vezes mas há terceira tentativa consegui. Por isso, com um saber de experiência feito, desde já aviso que para conseguir lugar no Lucca tem que se reservar ou chegar realmente cedo (19h30), senão a espera na antecâmara do restaurante pode ser longa e apinhada.

E onde fica o restaurante? Fica numa perpendicular da Av. de Roma (Travessa Henrique Cardoso), entre a rua do Frutas Almeida e a Rua do Hotel Roma, onde o estacionamento pode ser um pouco complicado, por isso recomendo o parque em frente ao Teatro Maria Matos/Hotel Lutécia.

E vale a pena? Sim, infelizmente vale. Apesar da dificuldade em arranjar lugar dentro e fora do restaurante, do atendimento apressado e o espaço aproveitado para caber o máximo de pessoas possível, a comida é muito boa.

E o que servem? A especialidade da casa são as pizzas, confeccionadas pelo método tradicional e em forno de lenha mas, para além disso, existem massas, saladas e carne. Comemos duas pizzas: Mezzogiorno (tomate, mozzarella, beringelas e manjericão) e Toscana (tomate, mozzarella, cogumelos, fiambre e orégãos) que estavam excelentes. Os ingredientes estavam saborosos e a massa fina estava estaladiça q.b. Antes das pizzas chegarem, ainda tivémos a oportunidade de comer duas deliciosas bruschettas cobertas com tomate cereja e manjericão.

E as sobremesas? Lamentavelmente decepcionantes. O panna cotta não fazia jus ao nome que lhe foi dado (molho industrial e pudim de natas sem sabor) e a espécie de tiramisú que foi servido estava comestível mas muito abaixo do esperado.

And? Pizzas muito boas a um preço razoável (a refeição toda não chegou a 15€ pp) De resto estão por vossa conta e risco, pois para mim prefiro um restaurante mais calmo e com melhores sobremesas. Há quem seja fã deste restaurante, na vertente take-away, o que me parece um bom compromisso, comer boas pizzas e evitar a confusão do restaurante.

Localização
Travessa Henrique Cardoso 19 B
(perto do Hotel Roma)
1700-227 Lisboa
Telef.217972687
Horário: 12:00 às 15:30 e das 19:00 às 01:00

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

A Carula, Paço D'Arcos

E qual é o significado de carula? Não sei. Nome de animal, apelido ou inventado, tudo é possível (nem a wikipedia me conseguiu ajudar).
Mas o que importa, é que este é o nome de um restaurante de comida tipicamente portuguesa com vista para o mar, muito simpático e acolhedor, situado no que me parece ser, a rua principal de Paço D'Arcos. Como consequência da localização, o estacionamento pode nem sempre ser fácil mas, com um pouco de sorte (e paciência), é sempre possível encontrar um lugar.

O restaurante tem uma decoração simples e alegre, em que olhando para os quadros coloridos, que figuram ao longo das paredes, é possível perceber qual o ponto forte do restaurante: os peixes. No entanto, existem opções de carne, que apesar de serem em menor quantidade, não estão esquecidas. E como o forte da casa é o peixe (onde se incluem os moluscos) fomos na onda e pedimos: polvo e robalo escalado. Enquanto esperavamos, atacámos as fatias de pão com azeite quentinhas que nos puseram à frente (e que souberam muito bem).

Quando vieram os dois pratos pedidos, a refeição, que já estava a correr bem, passou a correr ainda melhor! Os pratos estavam muito bem servidos e a confecção impecável. Soube mesmo bem, um robalo fresquinho grelhado só com sal e batatas a murro e, segundo me informaram, o polvo também estava muito bom (sei que envolvia couve roxa....).

As sobremesas escolhidas foram bolo de bolacha (e para mim, que não gosto muito de bolo de bolacha feito com manteiga, estava surpreendentemente bom) e doce de gila e amêndoas (não consigo resistir ao apelo da gila e dos ovos - devo ter uma grande costela alentejana :-) mas haviam outras que também me pareciam interessantes.

Depois do café, e de muita conversa, veio o inevitável pedido da conta: 18€ pp. Acho que pelo ambiente do restaurante (onde é possível estar na amena cavaqueira sem necessidade de estar aos gritos), atendimento (muito, mesmo muito, simpático e prestável) e qualidade da comida, o valor da conta é mais que merecido.
Em jeito de rodapé......ir almoçar ao Carula nos dias que correm deve ser muito engraçado pois deve assistir-se a verdadeiros espectáculos National Geographic, com o mar como artista principal ;-)

Localização
Rua Costa Pinto 41
2780-582 Paço de Arcos
Telef.214432206
Horárioo: 12:00 às 15:00 e das 19:00 às 23:00
Encerramento: não encerra