sexta-feira, 25 de março de 2011

Trigo Latino, Lisboa


    

Ficar parado (por vezes estagnado) numa qualquer rua de Lisboa por um tempo quase infinito, em que nenhuma estação de rádio, cd ou mp3 toca uma música que apazigue o nervoso miudinho (para não dizer irritação) em que nos encontramos, e nada acontece à nossa volta digno de nos fazer abstrair (onde estão os assaltos, homicídios, suicídios e acidentes com muito sangue quando precisamos deles? hem?) pode, por vezes, revelar-se útil e proveitoso.
 
Foi o que me aconteceu um destes dias, estava eu no pára arranca em frente ao Museu do Fado a emitir vitupérios contra a imobilidade do trânsito, quando o meu olhar se cruza com o olhar fixo de um  peculiar manequim, que despertou o meu interesse. Quando olhei com mais atenção percebi que o manequim era parte integrante da decoração, não de uma loja dos chineses ou de roupa em segunda mão, mas sim de um restaurante de seu nome Trigo Latino.



Passado algum tempo surgiu (finalmente) a oportunidade de visitar o restaurante do manequim. A decoração é realmente curiosa, balançando entre o estilosamente decadente e o burlesco. Passo a explicar :-) O chão preto e branco, o mobiliário com aspecto vintage, as fotografias antigas e os bizarros manequins dão-lhe um ar deliciosamente decadente e com potencial romântico (só faltava uma mulher com sotaque alemão ou francês com vestido anos vinte, fita à volta da cabeça e um cigarro no fim duma longuíssima boquilha). Existem outros elementos  decorativos destoantes, mas não propriamente antagonistas, como pinturas abstractas e quadros com frases engraçadas ("O mundo anda três whiskies atrasados" do Hemingway era uma delas :).

A ementa é variada, indo das bruschettas, massas frescas e risotto até pratos mais elaborados como lombo de salmão ou empada de coelho. Tem igualmente alguma oferta vegetariana. Enquanto escolhíamos o que queriamos comer fomos devorando os diferentes tipos de pão, molhando-os no azeite, que compunham o couvert. A nossa escolha recaiu sobre peito de frango gratinado recheado com farinheira (realmente não resisto a um prato que tenha farinheira :) acompanhado por batata dauphinoise e molho de cogumelos; e um risotto de cogumelos recomendado por quem nos atendia.

Como o risotto era feito na hora, o que iria fazer com que demorasse uns minutos extra-longos, foi-nos perguntado se queríamos entrada para ocupar o tempo morto.... decidimos pedir a beringela, pimentos e courgettes grelhados com queijo de cabra tostado regado com mel e amêndoas torradas.

A beringela estava óptima, especialmente para quem não se importe que a comida tenha uma componente adocicada :-) Para quem ache que comida doce é sobremesa não aconselho esta entrada. Os pratos principais estavam igualmente excelentes, o risotto estava no ponto e tinha um sabor fantástico a cogumelos, e o frango com farinheira estava muito saborosa.

Tarte Tatin

Algum tempo depois de terminar os pratos principais, escolhemos as sobremesas. O crumble de abacaxi caramelizado com chocolate negro não correu tão bem como esperado (foi ultrapassado o limite entre crocante e parte dentes) mas a Tarte Tatin quente com “creme fraiche” estavam óptima (e, segundo nos foi explicado, uma verdadeira obra de engenharia).

Gostei muito do restaurante a vários níveis, desde a localização, o ambiente e decoração do restaurante até à confecção da comida. O preço a pagar por tudo isto foi pouco acima dos 20€, o que não me pareceu injusto.

O senão.... os tempos de espera entre as diferentes etapas de todo o processo alimentar foram por demais longos :-( E não é que não fossemos avisados e explicada a razão da demora, mas quando nos dão a ideia de comer uma entrada para entreter até ao prato principal e "ambos os mesmos" surgem quase ao mesmo tempo (depois de um looooongo período de espera) faz desesperar um bocado. Mas este senão é contornável com companhia conversadeira e um bom couvert.

Contactos
Largo Terreiro do Trigo nº1, 1100-063 Lisboa
Almoços: 12h30 - 14h30 de Segunda a Sexta-feira
Jantares: 19h30 - 00h00 de Segunda a Domingo
Telf. 218821282


  

quarta-feira, 9 de março de 2011

Cabana do Pescador, Meco

  
   
Situado no topo da falésia, com uma vista espectacular, onde se pode apreciar um pôr-do-sol fantástico, o "Cabana do Pescador" é uma da muitas opções para se comer peixe fresco e marisco no Meco. Neste caso, à qualidade da comida, alia-se a já referida soberba vista! :)


Situado por cima da Praia das Bicas e ao lado da pista de voo livre, dispõe de uma esplanada e sala interior. Eu recomendo fortemente a esplanada (desde que o tempo o permita...) porque a sala interior não fica a dever nada à beleza e ao conforto...quanto a mim, uma reviravolta urgente é necessária no interior (para um maior conforto, um ar mais clean, mais intimista, e um maior desfrutar da vista). No dia em que fomos, apesar do sol intenso, o vento tornava a esplanada proibitiva para quem se fazia acompanhar de duas crianças... mas fica a promessa de lá voltar em dias mais quentes para um petisco de fim de tarde! :)

A oferta varia entre os pratos de peixe e de marisco. Nós começámos por umas ameijoas à Bulhão Pato, que estavam muito boas, bem temperadas, de molho bem apurado. E de seguida comemos um daqueles robalos de mar, grandes, acompanhado de salada e legumes cozidos! Fiquei com a curiosidade de experimentar um prato que era o "Marisco no Tacho"... é que já fui lendo na blogosfera várias recomendações a este prato, por isso, é capaz de não ser má opção! Ficará para uma próxima oportunidade... :)
Não comemos sobremesa...estávamos "de saída" de uma série de festas de aniversário, e como tal, a fase era de purga! :)

Não pagámos pouco, pois não! Peixinho fresco, muito fresco, vista fantástica, ao pé da praia, Meco...enfim, não se esperava uma pechincha. A conta ficou-se pelos 54 euros, ou seja, cerca dos 22 euros/pp (nós somos 2 1/2 a comer...).

Localização
Praia das Bicas - Meco
931120392
Encerramento: Quartas
   

terça-feira, 8 de março de 2011

Torricado, Lisboa

   
 
"O Torricado é uma grossa fatião de pão caseiro torrada em lume de vides e depois esfregada com alho e azeite. É uma criação culinária que glorifica o ex-libris ribatejano - o Campino - e o trabalhador rural alentejano - o Ganhão."

in www.torricado.com


Posto isto, o Torricado assume-se como um restaurante de cozinha assente em raízes tradicionais, nomeadamente na cultura ribatejana. A cozinha está a cargo do chef Luís Suspiro, sobejamente conhecido (ouvi dizer que aparece a fazer uns petiscos num programa à tarde na TV...) e compõe-se de pratos "do mar e da terra" tais como pastéis de massa tenra, arroz de pato, arroz de polvo, chocos assados, etc, etc...

 
O restaurante tem dois espaços interiores e uma esplanada...nós fomos no Inverno...e portanto, esplanada não aproveitámos; depois houve uma pikena confusão em qual espaço interior estávamos, ou seja metade do grupo estava num lado, metade no outro (uma baralhação dos funcionários...) e então lá andámos nós por fora a trocar de sítio para finalmente encontrarmos os restantes elementos!

Relativamente ao espaço interior, não sei muito bem o que dizer! Fui eu que sugeri o restaurante porque gostava muito das fotos do site (e dos preços da ementa), mas depois quando lá chegámos...não sei, parecia tudo muito escuro, sem graça...eu, pela minha parte, terei em definitivo de lhe dar outra oportunidade, e sobretudo ir no Verão para a esplanada...

Iniciámos a nossa refeição com o Couvert Rico (Pão de Trigo, Pão de Milho, Pão de Centeio, manteiga e mousse de queijo, mousse de sardinha e mousse de azeitonas). As três mousses estavam óptimas...os pãezinhos idem, e portanto marchou tudo num ápice! :) Nos pratos principais, as nossas escolhas foram os pastéis de massa tenra com arroz de grelos, arroz de pato, bife da vazia, torricado de bacorinho e lombo de ganso. Este post já tem algum tempo relativamente ao jantar, mas segundo me lembro todos gostámos dos nossos pratos! Para as sobremesas vieram um pão de rala, uma guloseima de chocolate (boa, muito boa!) e suspiros estaladiços com morangos.

os suspiros...

a guloseima de chocolate...

E depois completámos a nossa refeição com os habituais cafés... :)

Entretanto, ainda não tinha dito, mas o Torricado é na Praça do Campo Pequeno onde, de quando em vez, há concertos...pois bem, meus caros, um conselho sábio a seguir: ainda antes de telefonar a reservar, conferir a programação do Campo Pequeno para o dia pretendido! Caso contrário, poderão ter a "sorte" de desfrutar a vossa refeição ao som da bela música de.... adivinhem lá...assim, algo simpático, calmo, relaxante, música ambiente, calminha, calminha...
.
.
.
.... Deftones!!!
 
Como podem calcular, foi do melhor...conversámos no intervalo das músicas, e durante o resto do tempo...rimos (pouquinho, que o dia não estava para graças para a maioria de nós).
 
No meio desta aventura toda, recomendo uma ida ao Torricado. A conta ficou-se pelos 22 €/pp, o que me pareceu adequado ao consumido. Gostei muito da comida, e acho que aquela esplanada tem bastante potencial!
De referir também que o Torricado está aberto todos os dias, das 12:00 às 24:00, com serviço de bar e cafetaria permanente. Existe ainda a possibilidade de refeições para grupos/festas. 
 
Localização:
Campo Pequeno - Lisboa
217 975 356 / 968 142 443 / 968 751 890

geral@torricado.com
Nota: Fotos - 12h30 e  http://www.torricado.com/

P.S. Anabela, este post é para ti. Aqui estamos nós, a gozar a vida, tal como tu gostavas...
  
 

segunda-feira, 7 de março de 2011

Cantinho Alentejano, Amora - Seixal

  

Para os apreciadores de comida tradicional, para os que gostam de ter sempre em mente um local onde podem planear um almoço de família daqueles com 9 ou 10 pessoas, para os que gostam de se perder em ruas de sítios que não conhecem....tcharaaaan.... eis o "Cantinho Alentejano"!

O "Cantinho Alentejano" já me tinha sido recomendado em tempos por esta artista a propósito de uma conversa sobre refeições para famílias e boa comida. Mas entretanto não tinha surgido a oportunidade... eis se não quando... é domingo, malta muito cansada, pouco tempo, pouca vontade, aproveitar o sol que espreita entre as nuvens e passear as crianças, não gastar muito dinheiro... lembrei-me desta recomendação. 

 
O restaurante fica na Amora...numa rua perfeitamente anónima, daquelas que só quem lá mora sabe onde é (e mesmo assim...). Portanto a primeira recomendação é: liguem o GPS, de outra maneira acho difícil lá chegarem! Depois o restaurante é mesmo um cantinho...acolhedor, pequeno, com uma decoração alusiva às terras alentejanas, simples. O atendimento é simpático e prestável. O serviço é algo lento (juro que isto não é piada), mas isso está bem explícito na ementa... diz lá, que é para apreciar "beeemmm devagariiiinho"! :)

A oferta gastronómica varia entre as sopas alentejanas, as migas, as carnes de porco à alentejana, pratos com cação, etc, etc. Para a mesa vêm alguns petiscos (pimentos, queijo, azeitonas, pão) que nós optámos por não comer. Escolhemos para prato principal uma sopa alentejana e lombinhos à chaparral (lombinhos estufados em molho de coentros com arroz e batata frita). O B. avaliou a sopa como "excelente"; eu e o P. avaliámos os lombinhos como..."excelentes" também! Além da boa qualidade da comida, tenho também de destacar as quantidades em que foram servidas. Para os lombinhos pedimos uma dose (indicado para duas pessoas), mas com jeitinho aquilo dava para dois adultos e uma criança, e custava quanto, quanto, quanto, adivinhem lá.....12,5€! ah, pois é! É o verdadeiro Alentejo nos arredores de Lisboa! :) A sopa veio em 1/2 dose e também não foi terminada...

E depois decidimos atacar nas sobremesas... pão de rala e tarte de requeijão com doce de abóbora! Ambas excelentes, em porções boas (gosto sempre de sobremesas bem servidas...), e novamente a preços tão atractivos!

E por tudo isto (pão, sumos, sopa e lombinhos, cafés, sobremesas) pagámos a módica quantia de 31 €! Sejam muito bem-vindos ao Alentejo!

Localização:
Rua Quinta do Casalinho 4-B
Amora-Seixal
Tel.: 935 805 130
reservas@ocantinhoalentejano.com
Terça - Domingo; 12h00 - 23h30