terça-feira, 21 de maio de 2013

Moinho Dom Quixote, Cabo da Roca







Ou simplesmente Moinho...

Era um daqueles sítios que já tinha ouvi falar inúmeras, variadas, paletes de vezes, e como tenho uns amigos simpáticos, sempre com aquela expressão: tens um blog de restaurantes e não conheces o ...?

Então, para colmatar esta minha falha, fui lá duas vezes na mesma semana. A primeira, numa das primeiras tardes quentinhas (e sem chuva) desta invernosa primavera, e a seguinte para jantar. 

O moinho fica para lá de longe, na estrada para o Cabo da Roca, nada prático para dar lá um pulinho, principalmente para quem vive em Lisboa. 

A primeira vez fiquei deslumbrada, a vista sobre a praia do Guincho é fantástica e o ambiente muito descontraído. Dá vontade de ficar ali sentada durante várias horas. 

Na primeira visita consumi uma sangria branca (deliciosa) e uma tosta mista. 

Agora, quando se chega ao moinho, e se fica na esplanada, não se percebe que o moinho é um restaurante de inspiração mexicana. Mas como estava numa das mesas sem serviço de mesa, tive de dirigir-me ao interior, onde fiz esta grande descoberta.
  



Ora a descoberta levou à segunda visita. A vinda de um amigo a Lisboa foi a desculpa perfeita para voltar rapidamente ao moinho e provar a comida mexicana.

Pedimos para entrada tortillas com queijo derretido (delicioso) e, para não ser original, pedi como prato principal, chili. Mas apesar da pouca imaginação no pedido, a apresentação do prato é original. O chili não é servido num prato mas sim numa tortilha gigante. Ou seja, no fim ainda se pode comer o prato.

O preço do jantar foi cerca de 20 euros por pessoa, com sangria, entradas, pratos e sobremesa. 

Em resumo, merece muito uma visita, numa tarde de sol para esplanar, ou para um jantar tanto de amigos como um jantar mais romântico, porque não deixam de existir uns recantos muito simpáticos. 




Moinho

Rua do Campo da Bola, Azóia
2705-001 Colares
219 292 523
Horário: 12:00-2:00



Nota: imagens retiradas de
http://upsfiqueimalnafoto.blogspot.pt/2008/09/stios-bons-onde-estar-p.html
http://www.luuux.com/places/bar-moinho-d-quixote







segunda-feira, 20 de maio de 2013

Pedra Alta, Sesimbra




Com as crianças entregues aos avós paternos, e a gozar do privilégio de uns dias no campo, os dias decorrem a uma velocidade diferente! Dorme-se até tarde, não há pequeno-almoço, sai-se de casa directamente para almoço tardio... enfim um dolce fare niente tão bom! :)

Com um tempo intermitente entre chuva e sol, decidimos ir almoçar a um sítio velho conhecido, ou seja, Sesimbra! Já aqui tinha sido referido outro restaurante muito bom em Sesimbra, o Velho e o Mar. Desta vez, decidimos mudar de "poiso" para alargarmos o nosso leque de possibilidades numa visita próxima. Neste dia, o único requisito era que o restaurante estivesse perto do mar, com uma esplanada abrigada. E o Pedra Alta pareceu-nos servir na perfeição.




Dado que ainda não tínhamos tomado o pequeno-almoço, pareceu-nos bem começar pelo pãozinho e pelas azeitonas...



Mas rapidamente decidimos juntar uma saladinha de polvo... 




Enquanto aguardávamos por este fumegante arroz à Pedra Alta! :)




Que estava uma delícia! :) :) No ponto certo de cozedura, proporção arroz, "bichos" e tempero!

Já um bocadinho a rebolar não pudemos deixar de parte a sobremesa! Necessitávamos de algo doce que aconchegasse as nossas barriguitas! Escolhemos um ananás caramelizado com creme gelado de limão e côco! :)




E depois fomos passear pela marginal de Sesimbra! Bem precisávamos.... 





Em jeito de conclusão, recomendamos o Pedra Alta. Além dos arrozes de marisco e afins, existe sempre como não podia deixar de ser, belo peixe para grelhar! 

Obviamente que depois de termos comido isto tudo que nem dois alarves, não poderíamos ter pago pouco! A conta ficou em 27 euros/pp.



Pedra Alta

Largo Bombaldes, 13, r/c
2970-656 Sesimbra
Tel. 212231791
Horário: 12:00 - 0:00, todos os dias


Nota: Fotos de Joana, come a papa, www.timetogo.com, www.crookspace.blogspot.pt





 

sábado, 18 de maio de 2013

Chalé da Torre, Torre, Serra da Estrela




Se calhar ter um  restaurante no cimo da Serra da Estrela implica custos acrescidos como por exemplo ter um restaurante na ilha de Porto Santo! É verdade! Alguém tem que levar a comida lá para cima e isso custa dinheiro... mas há limites!

Após uma primeira manhã muito complicada no cimo da Serra da Estrela, em que o gelo parecia que nos cortava a pele e não se via um palmo à frente do nariz (mas vi muita neve!), voltámos a tentar no dia seguinte. E aí sim, tivémos uma manhã de neve, trenó, sku, que foi um espectáculo e fez as delícias dos mais novos (dos mais velhos também, uma vez que o B. também me pareceu extremamente entusiasmado com a brincadeira...). Depois de muito nos cansarmos, encosta acima a pé, encosta abaixo de trenó, isto repetido até à exaustão, decidimos almoçar no restaurante que existe na Torre.




Felizmente existem três opções no restaurante: almoçar com serviço de carta, petiscar umas belas sandes de queijo e presunto, ou almoçar uma refeição completa numa mini-linha de self. Dado que o pequeno-almoço no hotel tinha sido muito composto, optámos pelas belas "sandochas" de queijo e presunto, com uma fumegante sopa de feijão a acompanhar.

(A opção de refeição na zona de restaurante propriamente dito não era uma opção! Uma omelete com batatas e salada custa cerca de 12 euros... lá está, carregar ovos serra acima deve ser extremamente oneroso...)

 


De referir que esta é a opção mais económica; mesmo assim, todos os preços estão um pouco inflacionados! Sopas, sandes, sumos e cafés ficaram em 32 €. Ou seja, sempre que possível, levem um farnel!




segunda-feira, 13 de maio de 2013

5º Aniversário






Olha, pois... se tivéssemos feito esta pergunta a nós mesmos, há 5 anos atrás, o que responderíamos?! Não sei...

A verdade é que estamos quase na mesma! O que não é necessariamente mau! :)

Trabalhamos todos no mesmo sítio (o que é muito bom, porque já não saberíamos almoçar uns sem os outros...), e hoje, aniversário da Sininho, poderíamos perfeitamente ter estado no nosso jardim interior a decidir onde ir jantar à noite para celebrar o seu aniversário (se a memória não falha, "Foi assim que aconteceu")! 
  

(piada para malta que gosta de séries, ou seja, nós...!!!)


Mas não estivemos, porque a Sininho é uma moça organizada e já tinha tudo pensado! :)

Aos que vão acompanhando as nossas aventuras gastronómicas, esperamos que o continuem a fazer! Prometemos tentar ser assíduos, dentro dos limites que as palavras que nestes anos entraram nas nossas vidas, nos permitirem! (sim, são essas: troika, austeridade, dívida, e cenas afins)




Pois, não sabemos! Mas esperemos pelo menos que seja igual... :)

BOAS GARFADAS !!!!

12h30



sábado, 11 de maio de 2013

A Casa do Bacalhau II, Lisboa








O Sebastião já escreveu sobre este restaurante em 2008. Pelo que este post é uma actualização do que já foi escrito.

Mas com tantos restaurantes a fechar e a mudarem, que faz todo o sentido fazer actualizações e refresh de bons restaurantes.

Estive a reler o post do Sebastião e revejo-me em tudo.

Antes da ida ao ensaio geral da peça de teatro Guru no Casino de Lisboa fomos jantar cedinho à Casa do Bacalhau, ou seja, abrimos o restaurante, e por isso ficamos com o recanto muito simpático que esta na foto abaixo.

Na casa do bacalhau come-se... Bacalhau. Em formas tradicionais e formas mais originais. No entanto, para quem não gosta de bacalhau e for arrastado para este restaurante existem alguns pratos de carne. Comi, uma das formas mais originais, o bacalhau com caril, que estava delicioso.


O ambiente é muito simpático e a decoração muito bem conseguida. O restaurante (segundo me informaram) encontra-se instalado nas antigas cavalariças do Palácio do Duque de Lafões, que pelos vistos ainda lá vive. 

O restaurante merece uma visita, para um jantar diferente, e hoje algo caro, ou seja, mantém o preço que o Sebastião pagou há 5 anos, mas hoje 20 euros custam mais. Mas teorias económicas a parte, para um jantar em dia especial, é uma excelente aposta.




A Casa do Bacalhau


Rua do Grilo 54, Lisboa
218 620 000
Horário: Segunda a Domingo 12h-15h
Segunda a Sábado 19h30-23h
www.acasadobacalhau.com



Nota: fotos retiradas de www.acasadobacalhau.com


quarta-feira, 1 de maio de 2013

Cervejaria Central, Manteigas, Serra da Estrela




Regra número um, nas férias da família de Joana, come a papa: nunca tirar férias em época alta, ou seja, férias escolares (mês de Agosto é uma coisa assim "do demo" para nós...)! O que se diz das regras? É que foram feitas para quebrar, não é ?! :)

Pois, é que isto é tudo muito bonito, mas um dia as crianças chegam à idade escolar e depois esta regra é muito difícil de manter... mesmo assim, fomos de férias na Páscoa, mas na primeira semana: mais barato, menos confusão! 

Claro que ir de férias "fora de época" tem alguns inconvenientes; a oferta em determinados locais só existe quando há a garantia de magotes de clientes, o que pode tornar algumas actividades simples como o comer num restaurante, uma coisa complicada!

Em passeio pela Serra da Estrela, decidiu-se almoçar em Manteigas. E encontrar restaurante aberto em Manteigas ??? Não é fácil, aviso já! O único que encontrámos foi a Cervejaria Central, e que lá está, após termos chegado rapidamente encheu! Era o único...

 


Depois de nos instalarmos reparei noutro pormenor: ou eu sou muito esquisita, ou parece-me que em sítios frios e inóspitos (pelo menos para os padrões lisboetas), seria tão bom entrar num restaurante e haver uma salinha aquecida, com uma lareira, um ar confortável, assim um ambiente a atirar para o cosy (que para frio e chuva bastava na rua)! Não, nada disso!

Em contrapartida, e após devorarmos o couvert, foi-nos servida uma sopinha de legumes para a S. bem quentinha e saborosa, e uns nacos de vitela grelhados com queijo da serra, que estavam uma delícia!


a sério que eu gostaria de pôr a foto direita, mas não consigo! desisto...


Para sobremesa escolhemos mousse de chocolate e pudim de ovos, seguidos de café. 

O serviço foi rápido e atencioso. O restaurante tem uma decoração bastante simples, poderia ser efectivamente mais acolhedor (e quente!), e está localizado no centro de Manteigas.
A conta ficou-se pelos 36 €, ou seja, cerca de 12 €/pp. Ao lado do restaurante existe uma loja de produtos regionais, com desconto para quem almoça no restaurante.







Cervejaria Central

Rua Bernardo Marques Leitão
6260-118
Tel. 275 982 787