quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Noobai café, Lisboa

 
 

"The sunny days aren't over!!" este seria o verso que a Florência e a sua máquina cantariam se vivessem em Lisboa. Com as temperaturas fantásticas que se fazem sentir nos dias e noites destas últimas semanas, a vontade de festejar um aniversário dentro de uma sala torna-se pouco apelativo. Por isso mesmo lá fomos nós em peregrinação até ao Noobai café.... esplanada, comida e uma vista panorâmica para o deserto, desculpem! a margem sul, como pano de fundo.

O Noobai (que em crioulo significa "nós vamos") café fica no Miradouro de Santa Catarina ou do Adamastor, mesmo em frente do Museu da Farmácia. Para chegarem ao Noobai têm apenas que perceber onde ficam as escadas (algo inclinadas) que dão acesso ao café, e não confundam o Noobai com o quiosque plantado mesmo no centro do Miradouro :-)



O facto de ficar num patamar mais abaixo que o Miradouro, permite criar um ambiente tranquilo para descansar da azáfama do dia-a-dia, nem parecendo que no cimo das escadas existe todo um mundo de pessoas, carros e zumbidos infernais a que chamamos vida real. Apesar da esplanada ser uma das principais razões para se ir até ao Noobai, a sala interior não deixa de estar muito bem decorada, com tons quentes aliados a mobiliário antigo, criando um ambiente caloroso e propício a uma visita em dias de chuva e frio.


 

O Noobai café serve refeições ligeiras, sopas, saladas e sandes variadas, viajando entre os sabores mediterrânicos e sul-americanos. Para beber a escolha é variada, podendo ir desde chás gelados, batidos, sumos naturais até Coca-cola zero.

A maioria do grupo foi enterrar-se numa bela fatia de bolo de chocolate e em bebidas por vezes um pouco peculiares (sumo de limão com leite condensado?!?) ou com algum pendor nostálgico (groselha :-), eu por outro lado ataquei uma bela tosta de queijo de cabra e tomate regada com mel (que ou era da fome ou estava fantástica!) e bebi a Zero da praxe. Obviamente que depois tive que (a)provar cada uma das fatias de bolo de chocolate presentes na mesa, só para ver quem tinha a melhor :-) Estranhamente estavam todos igualmente bons....

Comida simples mas bem confeccionada, atendimento "normal" e situação geográfica privilegiada fazem deste um óptimo local para passar bem uma tarde na companhia de um livro ou mesmo de uma tribo de pessoas.

Não paguei a conta mas os preços não são uma pechincha mas também não me pareceram desadequados ao que se está a pagar (vista + comida + ambiente).


Informações
Horário: 2ª a Sáb 12h - 24h | Domingo 12h - 22h
Miradouro do Adamastor ou de Sta. Catarina, Lisboa
Telf.: 21 346 50 14

 

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Pastelaria Restelo - Careca



Escrever sobre a pastelaria do Careca é “quase” um cliché, redundância, lugar-comum, trivialidade, etc. Mas se, por alguma razão muito estranha, existe alguém que viva em Lisboa ou arredores e não conhece o Careca, aqui fica o post.

O Careca, ou melhor a Pastelaria Restelo, é famoso pelos palmiers de massa muito fina mas aquilo que me tira do sério são mesmo os croissants de manteiga que, pelo menos pela minha experiência, estão sempre quentinhos. As fornadas devem ser tão frequentes que eles não têm tempo de arrefecer, nem de sair dos tabuleiros que vêm da cozinha (bem ao jeito dos pasteis de Belém). Os croissants são pequenos é verdade, mas eu pelo menos não consigo comer mais do que um, tal é o choque de açúcar no sangue. É que os croissants são de massa folhada, cobertos com uma camada de açúcar bastante significativa e crocante, e por dentro são bem húmidos devido à manteiga. Logo, quantidades imensas de açúcar e gordura, mas… divinais!, e valem bem a visita ao Careca.

A pastelaria em si não é nada de especial, tem uma esplanada agradável no jardim ao lado e algumas mesas, normalmente superlotadas, no interior. Uma das características da pastelaria é estar sempre à pinha, principalmente à hora de ponta, ou seja pequeno-almoço e lanches. A estas horas a espera é exasperante, e é preciso mesmo ir à luta para conseguir um croissant. Nada de grandes condescendências, se não é bem possível que acabem os croissants, e não podemos correr esse risco.



Pastelaria Restelo
Rua Duarte Pacheco Pereira 11 D - Lisboa
213010987
Encerra à Terça-feira