quinta-feira, 26 de março de 2009

La Brus"k"etta, Lisboa

La Brus"k"etta...... este não é um restaurante novo na cidade, nem esta foi a minha primeira visita. No entanto, como a primeira visita não me marcou pela positiva, mostrei sempre uma certa (ok, muita) renitência em voltar a experimentar. Mas o que fazer quando se quer ir jantar fora e a companhia não está muito para aí virada (na verdade encontra-se constantemente a lamuriar de como a economia doméstica está pela hora da morte)? Recorre-se a um golpe, verdadeiramente, baixo. Faz-se uma one time only offer de ir a um restaurante, que podemos não gostar muito, mas que a companhia está sempre deserta para ir!

E assim acabámos a jantar no La Brus"k"etta. (Verdade seja dita, como consequência do post sobre o CitySandwich, visitei o site do Chef Guerrieri e fiquei com vontade de dar uma segunda oportunidade às bruschettas :-))

La Brus"k"etta alia dois denominadores, nem sempre fáceis de encontrar, num mesmo restaurante, tem um ambiente e decoração que lhe confere uma aura de restaurante dispendioso mas, na verdade, é bastante acessível. Mas, como dizia o meu amigo Jack (the ripper), vamos por partes.

O restaurante fica num edifício antigo, junto ao Largo do Rato, em que houve a preocupação de manter a traça original, tendo resultado num espaço com uma decoração elegante e sóbria, marcada pela conjugação entre a pedra, presente no chão, paredes e em grossas colunas, e o mobiliário de design em madeira. O espaço ganha cor com os enormes quadros representando diferentes tipos de bruschettas que ornamentam as paredes.

E o que se come? Bem, como o nome indicia, comida de inspiração italiana. Mas não são os normais pratos italianos, como pastas ou pizzas, que nos levaram a este restaurante (o que não quer dizer que não possam ser bons) mas sim as bruschettas. Neste restaurante, existe uma variedade de bruschettas que em vez de figurarem como entrada (o que é normal em muitos restaurantes italianos) são na verdade pratos principais. Existem várias, algumas delas "aportuguesadas", que se fazem acompanhar sempre por batatas e cebola fritas em tiras muito finas. A nossa escolha recaiu sobre duas bruschettas, uma com almôndegas de farinheira com couve rocha e outra com beringela, mozzarella e tomate. Estavam ambas excelentes, as almôndegas sabiam realmente a farinheira e a beringela estava no ponto! E as batatas e cebola fritas estavam de acelerar qualquer processo de aterosclerose.

Para sobremesa, como a fome já não era muito, dividimos uma fatia de bolo de chocolate. Tinha-mos de fazer este sacrifício, primeiro por respeito a vós leitores (precisam de saber se existem sobremesas de jeito, certo?) e depois como dizer não a um bolo que se autodenomina o melhor bolo chocolate do mundo? Por vezes, não é possível dizer não :-) E confirmou-se que a autodenominação permanece próxima da realidade.

Cafezinho e conta (15€pp). E lá fomos nós de barriga cheia e ambos contentes por termos vindo ao La Brus"k"etta.

Últimos apontamentos: o atendimento é competente e simpático
; o estacionamento é difícil mas nada de estranhar no centro de Lisboa; dar uma segunda chance a um restaurante pode significar uma mudança de opinião (foi o que aconteceu). Aprovado pelos pneus Sebastião.

Localização
Rua São Filipe Nery 12/14 - Lisboa
1250-227 Lisboa
Tel.213883860
Horário: 2a a 6a - 12:30 às 15:00 e das 19:30 às 23:00; Sáb - 19:30 às 00:00
Encerramento: Sábados (Almoços), Domingos

Charcutaria Francesa, Lisboa


Numa daquelas ruas pequenas e estreitas das quais Lisboa está recheada (mas em que nem sempre o estacionamento corre mal!) está a Charcutaria Francesa. Mesmo ao lado da Praça das Flores. Uma casa discreta, com uma decoração interior muito familiar, caseira, quase como a casa das nossas avós. Por esta altura tem uns quadros expostos de um artista amigo; segundo soube estão à venda, e são muito muito engraçados e originais. A ementa tradicional em papel não existe; é uma ementa na figura de Manuel Pessoa (dono do restaurante) que vai explicando os pratos disponíveis (picante, sabor intenso, agridoce, etc, etc). As nossas escolhas recaíram no risotto de bochechas de bacalhau e polvo assado com pinhões e mel. Eu estava à espera de um prato que me tinha sido recomendado, mas não estava disponível ontem (C. e R. poderão depois comentar algo acerca dos Ravioli de alheira). Da minha parte, o polvo estava óptimo, tenro, um sabor muito bom, e umas batatas óptimas a acompanhar! Já o risotto, foi-me dito que estava bom, mas nada de especial. Eu provei, achei que o sabor era bom, mas o arroz não estava no ponto certo. A sobremesa foi um clássico petit gateau com gelado de baunilha, que estava muito bom, mas a sensação que fico sempre que como isto é...venha o grand gateau!!!
Depois disto aguardava-se a conta (as ementas "vivas e dinâmicas" têm sempre esta desvantagem, nunca se sabe quanto custa o que escolhemos!), que não surpreendeu. O preço adequado para o local, o atendimento e a qualidade da comida: 23€/pessoa.
Ainda, uma nota positiva para o atendimento e para a eficiência da reserva por e-mail (resposta em 1h).
Este é um restuarante com vale Discount Book Lifecooler (a conta transfomou-se em 16€/pessoa).

Contactos:
Rua Manuel Bernardes n.º 5 A/B
1200-250 Lisboa
917588281 (Manuel Pessoa)

domingo, 22 de março de 2009

Restaurante Azenhas do Mar

Estava um belo dia de sol, neste início de primavera, e lá fomos a caminho das Azenhas do Mar. Depois de sairmos da A5, olhámos para a serra de Sintra e vimos uma enorme neblina, mas com certeza que aquilo era apenas lá no meio da serra e continuaria para nós um belo dia de sol, e lá fomos fazendo a serra, passámos a Azóia, continuava sol, mas quando chegamos às Azenhas, como é óbvio já estava um tempo frio, nublado e ventoso, que se manteve pelo resto da tarde. Como velha conhecedora da temperamental meteorologia de Sintra, deveria ter levado mais roupa, mas estava sol...

O restaurante fica como que escavado nas rochas, debruçado sobre o mar ao fundo da bonita aldeia das Azenhas do Mar. O local é lindíssimo e o restaurante muito bem conseguido, podemos desfrutar da maravilhosa vista para o mar através de uma parede toda de janelas, que nos dias frios se encontram fechadas, e que podem ser abertas nos dias de bom tempo. O que me leva a um dos nossos passatempos durante as entradas, como era Sábado - dia de casamentos - pelo menos 2 casais, ou os seus fotógrafos, acharam que era boa ideia ir tirar as fotografias junto da piscina de água salgada, ora ver as noivas de ombros descobertos a tentarem fazer poses felizes quando estava um frio de rachar e um vento extremamente desagradável era no mínimo... interessante.

Voltando à comidinha, que é o que interessa, como um restaurante sobre o mar que se preze, os peixes e mariscos são o forte deste restaurante. As entradas eram muito boas, falhamos a sapateira, mas depois de uma salada de polvo, queijo de Azeitão, pão delicioso e manteiga de ervas caseira, já não houve apetite para mais. Quanto ao prato principal comi massada de cherne com camarão, muito bem servido, com muito camarão e cherne, e muito bem confeccionado. Não provei o bacalhau à Lagareiro, mas a enorme posta que veio para a mesa tinha muito bom aspecto. Em relação às sobremesas, não são muito variadas, provei a tarde de maça com natas e estava muito boa, quase só maça, pouca massa e entre a massa e o recheio, tinha amêndoas laminadas, um toque delicioso.

La dolorosa ronda os 25 euros por pessoa, com entradas e sobremesas pareceu-me um preço bastante aceitável, tendo em conta a beleza do local e a qualidade da comida.

Restaurante Azenhas do Mar
Azenhas do Mar - Sintra
Tel:219 280 739
Aberto todos os dias 12h-22h

sexta-feira, 13 de março de 2009

Terra, Lisboa

Tentando aproveitar o clima primaveril que, nestes últimos dias de inverno, desceu sobre nós, esforcei o Tico e o Teco para que se lembrassem de um restaurante que possibilitasse jantar ao ar livre. E foi então que me surgiu..... Terra! Sabia que este restaurante vegetariano tinha um pátio interior bastante acolhedor, que a comida era boa e o estacionamento complicado. Estavam assim reunidos todos os ingredientes necessários para uma boa refeição :-)

Depois de partilhar a ideia de irmos a um vegetariano (especialmente reforçando que ficava no Príncipe Real) lá nos pusemos a caminho. Como era cedo, o estacionamento não foi assim tão complicado (nem tivemos que ignorar arrumadores) e, ao chegar ao restaurante, não tivemos dificuldade em arranjar mesa no pátio (este restaurante, segundo dizem, apesar de ser relativamente espaçoso, tem a tendência para ficar cheio rapidamente por isso, se o grupo for grande, é melhor ligarem a reservar).

O pátio é realmente acolhedor, com árvores em volta (que garantem protecção contra ventos desagradáveis) e uma fonte ao fundo (onde o gato, que fez da esplanada o seu domínio, vai saciar a sua sede), revelando-se assim o local ideal para um jantar ao ar livre. E, já agora, viva o calor da Primavera! Pois já precisava de um break de ventos ciclónicos, chuvas torrenciais e frios enregelantes!

O Restaurante Terra, sendo um restaurante vegetariano, não confecciona pratos envolvendo carne ou peixe mas, e eu sou um carnívoro convicto, nem se dá pela falta deles ;-) O buffet é muito variado, existindo resmas de tabuleiros, taças, taçinhas e travessas com pratos quentes, saladas e outras coisas que tais permitindo fazer uma refeição bastante diversificada. Pode provar-se de tudo e repetir as vezes que se quiser (especialmente do que mais se gostou). Eu fiquei viciado em rodelas de beringela panadas e no seitan à Gomes de Sá (quase podia jurar que estava lá bacalhau!).

Para sobremesa, fomos aconselhados a provar o brownie com bola de gelado, que se revelou um bom conselho.

Para variar, nada como ir a um bom vegetariano onde a comida é muito boa, o ambiente relaxante e onde se pode conversar calmamente.

Localização
Rua da Palmeira 15 Príncipe Real
1200-311 Lisboa
Preço: 12€ pp
Tel:213421408
Encerramento: 2ª feira
Horário: 12:30 às 15:30 e das 19:30 às 22:30