quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

La Terraza

  



Se não fosse pela Time Out (bem hajam!) provavelmente nunca saberíamos da existência do bar La Terraza no Grande Real Villa Itália Hotel & Spa, em Cascais, até porque este é o tipo de hotel que está fora do nosso orçamento. Só por curiosidade, um quarto duplo custa no mínimo 150 euros/noite e, muito sinceramente, prefiro o Farol Design Hotel (mesmo em frente) com o seu ar mais moderno e desempoeirado. Mas voltando ao assunto que aqui nos trás, os simpáticos senhores da Time Out, em conjunto com os do hotel, fizeram uma promoção dois por um para o lanche e como a foto que aparecia na revista era muito promissora, resolvemos experimentar.

Encontrar o hotel foi o nosso primeiro desafio, a organização do trânsito em Cascais é muito particular e pouco intuitiva, e apesar de sabermos que o hotel era junto ao mar e de termos o GPS do iPhone a contribuir, localizar o hotel não foi fácil. Encontrar a porta principal do hotel foi o desafio seguinte, tivemos de contornar todo o hotel para a encontrarmos. Mas depois de muito frio, sim fomos num daqueles dias de muito frio e estávamos junto ao mar, o que normalmente não ajuda, lá demos com a entrada.


Chegados ao hotel e depois de passarmos a imponente porta principal e o gigantesco e impressionante foyer, chegámos ao que parecia ser a zona de restauração e tentámos perceber o que era o La Terraza. Primeiro pensámos que era uma zona de mesas e cadeiras, tão ingénuos que fomos, mas o La Terraza, como o nome indica é um bar. Por isso tem poucas cadeiras e menos mesas ainda, e as que existem são minúsculas, óptimas para colocar copos e uns aperitivos, mas nunca 2 pratos com comida. Nós fizemos as contas, e no La Terraza podem estar 4 pessoas a lanchar mais ou menos confortáveis.

Em relação ao lanche per si, fantástico!, a imagem da Time Out não desiludiu minimamente, só adicionou um sabor fantástico à imagem já de si deliciosa. Então, passo a enumerar tudo o que existia no prato que nos foi posto à frente: 3 sandwiches, 1 croissant, 2 scones, 1 género de bola de Berlim, 1 cupcake, 3 compotas e 2 bolachinhas (divinais!). Isto tudo acompanhado de chá com refil gratuito. Tirando o cupcake que não achei nada de especial (mas também não sou grande fã destes bolos - ver post sobre cupcakes), o resto estava muito bom, então as bolachinhas...

O lanche fica pela módica quantia de 15 euros, mas a quantidade é tanta, que nós já nem tivemos fome para jantar, por isso até nem ficou muito caro.

Parece-me ser um bom local para um lanche especial, num dia especial, principalmente se puderem usufruir da esplanada, coisa que eu não fiquei com a certeza que seja possível, porque quando fomos já estava escuro como breu. 

Grande Real Villa Itália Hotel & Spa
Rua Frei Nicolau de Oliveira, 100, Cascais
Encerramento: não encerra
Horário: 12h30 às 22h30
Nota: as fotos do hotel foram retiradas do site do próprio, a foto do lanche foi gentilmente cedida pelo Sebastião.  
    

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Restaurante Grande Palácio, Arroios

   
   




  
Em dias de crise, é nos restaurantes chineses e italianos que podemos encontrar refúgio para comer a preços de amigo, isto se quisermos evitar as sempre presentes tascas da vida de um homem que não é médico, mas não foi por esta razão que fomos parar, na véspera de Ano Novo, ao restaurante chinês Grande Palácio Hong Kong, em Arroios. Bem... verdade, verdadinha.... o custo também entrou na equação mas as duas razões principais foram......

........................a curiosidade....a minha grande amiga Nora Roberts já tanto me tinha falado deste restaurante chinês, que não é bem chinês mas sim cantonês, e dos seus benditos Dim Sum que, aproveitando a sua companhia e vast expertise na gastronomia chinesa (e não só), achei que era um óptimo local para jantarmos
 
.......................não ser fim de ano para os chineses...... são raros os dias em que se vê um estabelecimento chinês fechado e a "nossa" passagem de ano não é excepção, assim não tivemos que nos preocupar muito em arranjar um local para jantar :-)


A primeira coisa peculiar em relação a este restaurante é a quantidade de chineses que vemos sentados nas mesas a comer (sim leram bem, a comer), tantos ou mais do que caras pálidas como nós. Houve mesmo um momento, no fim do jantar, que começaram a sair tantos chineses da cave que pensei que por baixo de nós existia uma estação onde parava o comboio Pequim-Lisboa :-)

O restaurante tem o aspecto que todos os restaurantes chineses em que já entrei possuem mas quando nos entregam o menu surge nova diferença.... poucos são os pratos que reconheci (Família feliz nem vê-la!). Resmas e paletes de Dim Sum para todos os gostos e paladares, para além de um arraial de outros pratos do qual nunca tinha suspeitado existirem. Nesta etapa dá-se verdadeiro valor a uma companhia já com experiência na área.





Nesta fase da vossa vida podem (e devem) fazer uma opção, ou se encharcam em Dim Sumices e afins (o que aconselho aquando de uma primeira abordagem ao restaurante) ou pedem pratos a sério e então escolhem poucos Dim Dum (2/3). Naturalmente que vai depender do número de pessoas envolvidas, mas fiquem alerta que as lesmas (vulgo Dim Sum :-) parecem pequenas e poucas mas enchem e muito! Não deixem de provar o pão chinês com porco doce, tem algo de marshmallow mas ao mesmo tempo... estranho mas bom :-)

Para além de Sum's também comemos Galinha com feijão preto (nem se dá conta que o feijão lá anda e é picante q.b.) e beringela com gambas (as gambas estão no interior dos bocados de beringela, muito bom!). Obviamente que pedimos entradas demais (daí os meus conselhos ;-), lutámos para não deixar os pratos principais a meio das travessas e não conseguimos chegar às sobremesas. Mas lá voltarei para me vingar (não é vingança do chinês mas do poltuguês!! bem piol!!)

Com cafés e bebidas, um manjar que daria para três pessoas ficou por 15€ pp. Um último conselho... reservem! Não imagino como deva ser falar ao telefone com quem faz as reservas mas aquilo está sempre cheio. Há quem diga que chega a existir fila de espera rua a baixo :-)

Localização
Rua Pascoal de Melo, 8A
1170-294 - Lisboa
Tlf. 218123349
 

domingo, 16 de janeiro de 2011

Hippopotamus




Tenho uma confissão a fazer, a razão pela qual quis ir ao Hippopotamus foi o nome. Quando passei por mero acaso pelo restaurante e vi o nome, comecei a imaginar todas as piadolas baratas que podia fazer à volta do nome do restaurante. Sem me preocupar muito sobre o tipo de comida ou outro género de informação importante, com a excepção do preço, óbvio, queria, porque queria lá ir.

Assim, aqui vai...

A desculpa desta vez foi o almoço de Natal e de troca de presentes dos mui nobres colaboradores deste blog. Apesar de saber que nada tinha a ver com outros estabelecimentos comerciais lisboetas, havia em mim uma pontinha de esperança que o restaurante fosse parecido ao Hipopótamo do Marquês do Pombal ou ao Elefante Azul do Conde Redondo, não é que eu alguma vez tenha entrado nestes estabelecimentos, que eu sou uma menina de bem, mas como todas as meninas de bem, até gostava de conhecer, mas só por uma questão antropológica ou sociológica. 

Mas, como esperado, é um restaurante pertencente a uma cadeia francesa, perfeitamente normal. Minto, muito bem decorado, com um ambiente bastante simpático e agradável. Ficámos junto a um dos janelões virados para a rua, mas as booth pareciam também muito interessantes, se calhar é para as pessoas que frequentam o outro Hipopótamo, lá estou eu...

A ementa é bastante banal, pelo nome do restaurante percebemos que se trata de um grill, portanto muita carnuncha, e realmente a oferta é isso mesmo, bifes e hambúrgueres. Optámos pelos hambúrgueres, até porque era a opção mais barata, e que não nos levaria uma parte significativa do nosso pequeno ordenado. Para além do hambúrguer, que é servido no pão, é possível escolher guarnições que podem ser legumes, batatas ou arroz. Nós ficamo-nos pelas batatas assadas, mas as batatas dauphinois (batata gratinada com molho) também parecia uma boa escolha.

Como sobremesa comemos uns profiteroles gourmandes, ou seja, 3 profitelores com 3 sabores de gelado Ben&Jerry, chantilly, molho de chocolate quente, molho caramelo e praliné.

Tanto o prato principal como a sobremesa estavam bons, mas não me convenceram, não existe neste restaurante nenhum factor diferenciador que me faça querer lá voltar, com excepção do nome, claro. O preço ficou pelo 17 euros por pessoa, lá está o que vos digo, por um hambúrguer e um terço de uma sobremesa parece-me assim para o exagerado.


Hippopotamus Grill Restaurante
Tivoli Oriente
Avenida Dom João II - Parque das Nações
Aberto todos os dias das 12h30 às 00h00


Nota: fotos retiradas do site do restaurante.
 

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Calcutá 2, Bairro Alto

    
     
  
Estive mesmo, mesmo para não escrever este post..... nada especificamente contra o restaurante em foco, apesar de não ter ficado propriamente fã do sítio (também não fiquei propriamente com anticorpos), mas realmente ficará para sempre associado com memórias menos boas. Mas graças à Rádio Popular a coisa lá se compôs! :-)

O restaurante fica no princípio da Rua da Atalaia (lado Praça do Camões), sendo necessário tomar atenção ao número da porta pois a entrada é discreta.

O interior é simples mas transmite claramente o espírito indiano do restaurante, essencialmente através da decoração e cores utilizadas. 

A comida é boa quer para carnívoros quer para pássaros (também chamados vegetarianos). Quando dei conta de estar rodeado de pardais, percebi a importância de escolher um indiano que tivesse vários pratos vegetarianos :-) Provei pratos de ambos os tipos (o grupo era grande por isso diversidade era a palavra de ordem) e estavam todos bons. Não fiquei maravilhado mas não digo que não a uma nova visita.

Como o grupo era grande a conta sofreu alguma inflação, tendo-se pago mais do que realmente se pagaria caso a situação fosse mais restrita - 20€ pp - pois reparei que os preços eram os normais para o tipo de restaurante.

Boas refeições e Namasté!

Localização
Rua da Atalaia 28, 1200-041 Lisboa
Contacto: 213468165

Horário:  Seg. a Dom - 18h às 24h

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Hotel Albatroz, Cascais

  



Nem sempre é fácil encontrar um local à beira mar plantado que resulte todo o ano, mas o Hotel Albatroz é um óptimo local para se descansar a vista e arejar as ideias, bem longe da azáfama do dia-a-dia, em qualquer altura do ano. E, apesar de ser um hotel,  não é de descanso de cama que vos vou falar :-)

O Hotel Albatroz, situado no coração da Vila de Cascais, tem um pequeno segredo que apenas os cascanhenses ou cascaenses (não sei muito bem o que chamar aos naturais de Cascais) parecem saber...

...este hotel tem um café, salão de chá ou cafetaria, como quiserem chamar, com uma deslumbrante vista sobre o mar e a baía de Cascais (quem começou a ouvir a voz do Miguel Ângelo não se assuste, é mesmo assim), a que todos podem aceder sem terem de alugar um quarto (mas se quiserem, parece-me um óptimo hotel).

Mas, vamos ser honestos, não é a comida que leva alguém ao Albatroz, o que não quer dizer que esta seja má ou algo do género, é simplesmente normal. Mas se adicionarmos ao chá e torrada uma vista fantástica sobre a costa de Cascais, estes ganham um novo sabor que nos faz querer voltar ao Hotel Albatroz over and over again.
 
Em caso de dias de Inverno com chuva, escondam-se por detrás das enormes janelas numa das mesas da aconchegante (pequena) sala do café (em dias de muita afluência pode ser difícil, ou mesmo impossível, arranjar lugar), mas se apenas estiver um dia de Inverno frio, levem um bom casaco, peçam mantas e vão para a esplanada. Se desatarem na palhaçada (esquecendo-se que existem pessoas sentadas na sala a ver (possivelmente horrorizadas) tudo o que se está a passar) vão ver que rapidamente esquecem o frio. Nos dias de calor, só ficam na sala as florzinhas de estufa, as senhoras com cabeções mantidos à base de laca (para não estragar a armação) ou se a esplanada estiver cheia :-)

O atendimento é simpático mas estabelecer uma base de comunicação cem por cento eficaz pode ser algo atribulada. Mas senhores do Albatroz, achar que substituir um senhor do sudoeste asiático por um nórdico com sotaque cerrado é uma melhoria na comunicação, bem..... não surtiu muito efeito mas lá nos entendemos.
 
Como podem perceber bons momentos se passaram na esplanada com vista para o mar e espera-se que mais possam ocorrer no futuro...

Horário do Bar: das 11h00 às 01h00
Abertos ao hóspedes e público em geral todos os dias
Rua Frederico Arouca, nº 100
2750-353 Cascais Portugal


 

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Spot São Luiz, Lisboa


Por causa de uma série de concertos que este rapaz "ofereceu" no Jardim de Inverno do São Luiz, tive a oportunidade de conhecer este espaço bastante agradável que por lá co-habita. Obrigada David, por tão belo concerto, por esta prenda de Natal antecipada, que soube tão bem! É sempre um prazer rever a performance do David Fonseca! Ele é realmente fantástico! :)
 
Nós fomos lá jantar, pós-concerto. À noite, o restaurante tem um ar bastante intimista, com uns candeeiros giros com citações de autores conhecidos, a média luz. O espaço é moderno mas bastante confortável. Ao contrário de uma experiência anterior da Sininho, fomos rapidamente atendidas, e mesmo sem reserva e em plena época de jantares de Natal, lá nos conseguiram uma mesa.
 
A carta é bastante variada... mas nós já íamos com uma recomendação de algo que ambas gostamos muito... alheira! E pois então, escolhemos o Crocante de Alheira, com ovo, batatas e salada. Enquanto aguardávamos pelos nossos Crocantes comemos o couvert "todinho"... pão de trigo, pão de sementes, torradinhas, azeite, azeite com vinagre balsâmico, manteiga, creme de atum... muito bom! confesso que a fome também era alguma! :)
  
E eis que chega o nosso Crocante... digo-vos que estava muito bom! uma quantidade generosa de salada, um hamburger de alheira com uma camada crocante, que não estava mole, mas também se partia muito bem! Muito bom!
Por sugestão de quem nos atendia, optei pelo bolo de chocolate para sobremesa! Que posso dizer...sabem aqueles bolos com pouca farinha, e que ficam com uma consistência intermédia entre o bolo, o pudim, a mousse?! Qualquer coisa no meio disto, mas que resulta muito bem.. :)
 
E no meio disto tudo, a conta ficou em 20 €/pp, mas aviso já que tem potencial para ascender a algo mais...não me recordo bem, e não vi a ementa com muita atenção (porque já tinha recomendação...), mas tenho a sensação que escolhemos os pratos mais baratos da ementa! Além das propostas de almoço e jantar, ao fim-de-semana existem o brunch e o slunch...por isso, podem passar por lá, anytime!

Localização
Rua António Maria Cardoso, 58
Lisboa
Tel. 213 430 253
Segunda, terça e quarta das 11h00 às 01h00
Quinta a sábado das 11h00 às 02h00
Domingo das 11h00 às 23h00

Fotos: Lifecooler e Página Oficial do David Fonseca