Choupana Caffé - Lisboa





Ah tanto tempo que não escrevia nada... O sebastião já me deve ter rogado para lá de muitas pragas mas aqui estou eu de volta ao ativo. A ausência deveu-se a 3 motivos: falta de tempo, falta de inspiração e a famigerada troika, que isto de ir jantar fora agora é luxo dos grandes, que só se faz em dias de festa. E, e... Ainda ontem passei à porta de vários restaurantes no LxFactory que não conheço (não quer dizer que sejam novos) e pensei: tenho de cá vir jantar. Depois desceu o anjinho da troika que me disse: "Vais gastar mais de 20 euros num jantar? Olha que isso dá para fazer compras no supermercado para 2 semanas". Pronto, passou-me a vontade mas que apetecia, apetecia. 

Fui pela primeira vez ao Choupana por volta do Natal passado, num dia escuro e frio, quando juntámos 4 amigos a lanchar. Voltei lá ontem para ter uma experiência mais abrangente e poder escrever o post com mais conhecimento de causa.

O sebastião que me perdoe mas começo a ficar um pouco aborrecida do estilo industrial, shabby, com o mobiliário despernado e em más condições. No Natal inclusivamente havia cadeiras tortas (como podem imaginar extremamente desconfortáveis). Ontem as cadeiras tinham sido substituídas, o que já permite uma permanência confortável durante um período maior de tempo, mas não muito, mas continuam a popular por lá bancos bastante desconfortáveis.  Mas não é incomum ver pessoas a trocar de mesa porque a delas tem as pernas desniveladas, para depois descobrirem que a mesa do lado está igual. Por isso, acabem lá com essa história, foi giro o primeiro e o segundo, mas agora já não é novidade, é apenas incómodo. 

Quanto à boa da comidinha, os scones são regulares, grandes é verdade. No entanto, para mim a grande desilusão foi o croissant de açúcar. Eu sei que a culpa é minha, não tinha nada que olhar para o croissant e ver um do Careca, mas digam lá que não é parecido...  Por isso o meu pequeno e limitado cérebro pensou que ia provar um croissant do Careca, mas não, muito longe digo. Não é mau, mas não há aquela adesão estomacal como nos do Careca. 

Para completar a minha experiência levei para casa um Henrique (requeijão com doce envolto em massa folhada), e um pão de mafra e um de milho. Os pães eram bons, nenhuma 7ª maravilha do mundo antigo, mas cumpriam bem a sua função. O Henrique teve um problema, foi-me vendido como um salgado e quando o provei era doce, ora como eu não gosto da mistura de doce e salgado, muito menos quando o salgado é queijo, vamos pôr assim, não terminei. 

Conclusão, muito giro, pouco confortável e não fiquei fascinada com a cozinha. De volta à padaria portuguesa. 


Choupana Caffé
Avenida da República 25A - Lisboa
Tel: 213570140
De Segunda a Domingo - 7h-20h




Comentários

Mensagens populares deste blogue

Mundet Factory, Seixal

Pastelices, Seixal