quarta-feira, 13 de Julho de 2011

Páteo do Petisco

   
    
 



Este é um daqueles restaurantes para locais, porque um lisboeta que tente ir vai precisar de GPS, mapa e ainda tem de pedir direcções. Mas se por mero acaso conseguir lá chegar e conseguir estacionar à primeira (eu tenho um smart e mesmo assim tive de dar algumas voltas, em estradas de largura duvidosa, para arranjar um cantinho onde enfiar a viatura), primeiro vai apostar no euromilhões e depois vai ter uma agradável surpresa.

O Páteo do Petisco é isso mesmo um restaurante de petiscos, dentro do mesmo conceito da Taberna/Petisqueira Ideal, e outros tantos que vão abundando por aí. Reza a lenda que também têm pratos, mas quem é que chega aos pratos com entradas tão boas? Então na mesa apareceram pimentinhos de padrón, ovos mexidos com alheira, ovos mexidos com espargos, pica-pau, cogumelos salteados, isto só para nomear alguns. Todos fantásticos e maravilhosos. E sangria, muita sangria, branca e preta, todas fresquinhas e muito boas.

Um pormenor, como também praticado noutros restaurantes, este tem a leva de clientes das 20h e a das 22h, como nós pertencíamos à das 22h, alguns pratos já tinham acabado ou estavam quase, o que é mau, especialmente quando queríamos mais uma dose daquele que estava fantástico. Situação que também aconteceu nas sobremesas.

Por falar nas ditas, muito boas, pena foi que já não havia serradura, que supostamente é divinal. Ficamos sem saber.

Uma nota final, não se deixem enganar pela localização, neste restaurante é preciso reservar e com algum tempo de antecedência, isto se quiserem ir com um grupo. E pela confusão, é mesmo um restaurante de grupos.


Páteo do Petisco

Travessa das Amoreiras, 5
Cascais
21 482 0036
Ter-Dom 12.00-23.30 (sex e sáb até à 00.00)
Facebook

1 comentário:

Anónimo disse...

É um restaurante que é muito mal frequentado, e tudo começa pelos donos que não respeitam os moradores da rua (sim porque as pessoas no dia a seguir tem que ir trabalhar) desde que este restaurante abriu (não sei honestamente o que lhe chamar) que os moradores não tem sossego, e barulho ate as 2:30/3:30 da manhã, são os chichis e até já houve cocós de animais de duas patas(o restaurante não terá casa de banho?) na rua, são garrafas e copos que ficam espalhados e partidos na rua são beatas de cigarros com abundância na rua, uma rua que era tão pacata e calma de boa gente tem-se transformado num desassossego inacreditável, saem do restaurante grandes grupos de bêbados que fazem uma algazarra na rua buzinam os carros as 2:00 da manhã, será que os donos deste restaurante não tem vergonha ? Exmos senhores responsáveis por este restaurante a vossa liberdade acaba onde a dos outros começa, e por isso não tem o direito de tirar o merecido sossego (ao qual por lei tem direito) aos moradores que vivem no perímetro do vosso estabelecimento, respeitem se querem ser respeitados