segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Cinemateca Portuguesa, Lisboa

   
 
Por vezes (re)descobrem-se pequenos prazeres.

Quando tentava imaginar o que queria (poderia) fazer numa tarde de inverno chuvosa e cinzenta, ir ao cinema foi logo o que me ocorreu. Mas enfiar-me nos centros comerciais do costume, estava-me a custar.

Assim, estava eu a percorrer, com pouca vontade, esse site imprescindível para qualquer cinéfilo regular - o Cinecartaz Público, quando vi que o Seven (Brad Pintas num dos seus desempenhos mais desempoeirados, conseguido graças à mestria de quem o acompanhava - Morgan Freeman e Kevin Spacey) estava em reposição na Cinemateca Portuguesa. Tcharam!

Matei três coelhos com uma só cajadada: fui à cinemateca (com o Quarteto encerrado, único local onde se consegue ver um filme em escuridão absoluta, tão necessário para ver um filme como Seven ;-), revi um filme fantástico (com um ambiente semelhante ao que estava no exterior do edifício) e lanchei na cafetaria da cinemateca (local acolhedor e com atendimento simpático).

Ok, não existe uma variedade assombrosa de opções para lanchar mas o espaço é engraçado (os cadeirões são confortáveis q.b. para se passar os olhos por umas quantas páginas de um livro ou para dois dedos de conversa) e a esplanada (em dias mais quentes e secos) tem muito potencial para fins de tarde, ou mesmo noites, de veraneio.

Por isso ide, ide ver um bom filme no escurinho do cinema (e na cinemateca é realmente possível ver o Chico Valentino e a Deborah Kerr ;-) e depois comam um muffin enquanto discutem o final da película.

Bar e restaurante - Horário: 2a a Sáb 12h30 às 00:30

3 comentários:

Anónimo disse...

Come-se bastante mal na Cinemateca, hoje em dia.

Luís Alvarenga disse...

Então não jantaram mais?!! Ai ai.. queremos mais criticas!!

Sebastião, come tudo disse...

É a recessão, é a recessão :-)