Chaminés do Palácio

Já andava com esta fisgada há algum tempo mas devido a constrangimentos de horários (o restaurante só serve almoços) ainda não tinha sido possível fazer uma visita ao Chaminés do Palácio.

"O Palácio da Independência, anteriormente conhecido por Palácio dos Almadas, Palácio do Rossio ou Palácio de S. Domingos, foi assim baptizado por ter sido neste local que D. Antão de Almada e os 40 Conjurados planearam a revolução que deu origem à Restauração da Independência de Portugal, no dia 1 de Dezembro de 1460, com o derrube do jugo filipino e com a aclamação a rei de D. João IV."






Este restaurante encontra-se escondido dentro do Palácio da Independência (palacete ao lado do Teatro D. Maria II, no início das Portas de Santo Antão), e sim escondido é realmente a palavra chave. Para chegar ao restaurante temos que passar por um guarda (é só dizer que querem ir ao restaurante, e ele até vos indica como lá chegar - acreditem que não é óbvio :-), subir uma escadarias e então, por fim, chegar à porta do restaurante.
A primeira coisa que reparei foi que a cozinha do restaurante é debaixo das  chaminés que dão nome ao restaurante, o que torna pouco provável terem o restaurante cheio de fumo e cheiros, posso estar enganado mas estas chaminés parecem-me ter uma grande capacidade de extracção (estas e as que existem em Sintra :-).

Podem escolher entre ficar na sala (pequena mas agradável e com uma decoração simples, a puxar para o moderno, mas sem colidir com o edifício que o alberga) ou ir para um pátio solarengo com as paredes que o circundam cobertos por azulejos (parece-me um excelente local para dias de sol.... infelizmente nos últimos tempos não temos tido muitos).


E a comida? Bem a ementa é variada e cheia de pratos de cariz tipicamente português, nada de grandes floreados e nomes xpto, bem servidos e, pelo menos o meu, muito bem confeccionados. Fiquei-me pelo frango recheado com farinheira, arroz e salada, que estava no ponto! Não cheguei às sobremesas - nem quis saber o que tinham a oferecer - a carne é fraca e podia não ter forças para recusar um docinho (e quando a cabeça não tem juízo o corpo é que paga).

Depois de beber o meu café (não sendo Nespresso, era muito bom), lá pedi a dolorosa - 11€ (bebida, prato e café). Para mim foi um preço honesto, fui bem servido (quem atendia era simpático e prestável q.b.) e com qualidade.

O facto de ser preciso saber que o restaurante existe faz com que se torne um oásis no meio dos restaurantes desta zona, sempre cheios de portugueses e estrangeiros (que assim que aparece um raio de sol, parece que nascem do chão), onde é possível comer uma refeição em paz, a desfolhar uma revista ou na amena cavaqueira.

Palácio da Independência, Largo de S. Domingos, 11 (Rossio)
tel. 21 324 1470
Aberto para almoços de 2ª a 6ª feira
Para eventos e/ou jantares de grupo o restaurante abre em exclusivo a partir de 12 clientes. O Palácio dispõe igualmente de várias salas onde podem ser servidos jantares com diferentes ambientes. 


Comentários

Anónimo disse…
Gosto muito do vosso blogue. Penso que é melhor confiar em vós do que na Time Out!

Mensagens populares deste blogue

Mundet Factory, Seixal

Pastelices, Seixal

Alô! Alô!