Royale Café, Chiado






Escrever, como uma amiga diz, "postes" num blog sobre um tema que não me cansa ou enfastia é um verdadeiro prazer, mesmo nos momentos em que não sei o que hei-de escrever e protelo a publicação do "poste" ad nauseam. Por outro lado fico, significativamente auto-desapontado quando não me ocorre nenhuma opção decente onde comer, apesar de saber que o meu Tico e Teco têm essa informação mas estão demasiado entretidos a enterrar nozes debaixo da árvore.

E porque estou com esta conversa? Porque o Royale Café foi um momento de Eureka :-) Queríamos um lanche ajantarado na zona do Chiado mas queríamos "fugir" aos sítios do costume, essencialmente Vertigo e Fábulas, e se possível evitar a zona de fast food dos Armazéns (nada contra mas não apetecia). Depois de ouvir uma vez mais a frase "Então o menino que escreve num blog não tem ideias? Hein??", e estando eu quase a dar uma desculpa de mau pagador saiu-me de dentro da cartola uma óptima ideia (até eu me espantei) - Royale Café! (ou como eu costumo chamar-lhe Casino Royale :-).

O Royale Café fica mesmo no coração do Chiado, mais concretamente no nº 29 do Largo Rafael Bordalo Pinheiro, caído entre o Carmo e a Trindade, facilmente identificado pelo seu toldo azul escuro (ou preto dependendo do grau de daltonismo) ao estilo frrrancês, com o nome escrito em letras douradas. Quando passamos a soleira da porta, encontramos um espaço com uma decoração ikeana (num bom sentido), simples mas com funcionalidade e estilo como o design nórdico sabe proporcionar.
 






O espaço está dividido em duas salas e um terraço interior. Logo à entrada tem uma sala mais pequena, onde se destaca um enorme espelho de parede, com um ambiente a puxar mais para sentar e beber um café (ou coca-cola zero) e dar dois dedos de conversa (ou descansar as pernas antes de prosseguir viagem), do que fazer uma refeição. A segunda sala é mais ampla e é o espaço de refeições por excelência, onde o ambiente é ainda mais acolhedor e propício para uma longa e amena refeição. O café termina num verdejante terraço interior que parece convidar a longas conversas de fim de tarde e a jantares de verão bem ao estilo mediterrânico.

A ementa é variada, podendo ir desde tostas ou tostadas (as quais eu chamaria antes pitadas :) até pratos mais elaborados com grande influência mediterrânea. Depois de alguma indecisão e especulação, decidimos comer lasanha de espinafres e requeijão com nozes e coli de frutos silvestre, e tostada de cogumelos frescos com salada. Estavam ambos espectaculares! A lasanha tinha um ar que balançava entre prato principal e sobremesa mas depois da primeira garfada essa dúvida desfez-se de imediato, e a tostada não era mais que pão pita recheado com diferentes cogumelos excelentemente salteados (e como fã nº1 destes fungos devo dizer que nem sempre uma pessoa fica satisfeita) acompanhada com salada mediterrânica.




 

Apesar de um bocadinho cheios, consegui levar a minha avante e comemos uma sobremesa, bolo de chocolate molhadinho. Verdadeiro flop :-( Quando chegou à mesa já tinha enxugado e por isso comemos bolo de chocolate sequinho... Mas no melhor pano cai a nódoa por isso não pretendo levar a peito esta falha e tenciono voltar. A conta rondou os 14€. O atendimento foi deveras simpático e paciente (a escolha dos pratos foi demorada :-), o que só contribuiu para gostar ainda mais do espaço.

O Royale Café fica naquele limiar entre restaurante e café, na mesma categoria onde coloco o Vertigo, Fábulas e KaffeeHaus, com um ambiente informal mas com personalidade e onde uma pessoa se sente confortável para estar durante um longo periodo de tempo a comer e conversar.





Lg. Rafael Bordalo Pinheiro 29, 1200-369 Lisboa
 
Horário: 2ª a Sáb - 10h às 23h | Domingo - 10h às 20h







Comentários

Mensagens populares deste blogue

Mundet Factory, Seixal

Pastelices, Seixal

Alô! Alô!