sexta-feira, 22 de junho de 2012

Tartine, Chiado

  





 
Lembram-se do primeiro parágrafo que escrevi sobre a La boulangerie by Stef? Não? Pena... Porque o presente comentário vem comprovar o que escrevi nesse parágrafo.
Mas, como qualquer grande escritor
[para que fique claro, o adjectivo foi utilizado porque sou alto, não porque escreva bem]
de uma série de livros sempre com o mesmo personagem principal
[neste caso "Comida, Boa Comida", que pode vir shaken, stirred, com ou sem olive, desde que saiba bem, vale tudo.... o meu amigo Bond é que é mais esquisito]
é perfeitamente possível ler o comentário do Tartine sem ler o da boulangerie, conseguindo perceber facilmente toda a trama e o final fará sentido (pagar a conta :-).



 A minha primeira visita à Tartine foi de fugida, estava ao telemóvel com alguém com quem não falava à muito e não queria interromper (à que aproveitar quando a TMN dá uma borla). Mas entre gestos e frases desconexas (e muita paciência de quem me atendia) ainda consegui sair de lá com uma tarte de chocolate na mão. Quando consegui dar uma dentada na tarte percebi que tinha que voltar com mais tempo, era óptima!


A Tartine fica na Rua Serpa Pinto, entre a Rua Garrett e o Largo de São Carlos, passando facilmente despercebida, mesmo para os mais atentos, por isso drive slowly. Se de fora esta padaria (que também pode ser chamada de pastelaria ou restaurante) não chama especialmente à atenção, quando passei a ombreira da porta e dei de caras com o balcão, digamos que a única frase que me ocorreu foi ET found home... No balcão estão expostos muitos dos produtos, desde diferentes raças de pão até todo um sem número de pecados capazes de provocar verdadeiros picos de insulina.


A padaria parece ser pequena mas basta subir as escadas ao lado do balcão para se perceber que essa primeira impressão está longe da verdade. No primeiro andar, somos recebidos por uma sala com uma mesa oval gigantesca ao centro (a meu ver... grande demais), e várias mesas mais pequenas em redor desta, junto às paredes. Ao fundo da sala, fica um segundo balcão e o acesso a um terraço ao ar livre. Um pequeno conselho para pouparem passos... antes de subirem para o primeiro andar vejam o que querem do balcão para depois saberem o que pedir quando vos atenderem :-)



  Escolhemos ficar na mesa oval e, enquanto esperávamos pacientemente que nos atendessem (todos muito simpáticos mas um pouco desconcentrados), fomos fazendo browsing pela lista onde lemos várias coisas que nos pareceram muito promissoras (algumas delas comprovámos visualmente, nas mesas à nossa volta, que tinham muito potencial), indo desde pratos para refeições leves até puras gulodices (hei-de lá ir para comer umas belas panquecas!....NYC blues....snif...snif). Como só queríamos comer algo doce, pedimos duas tartes (Limão merengada e Leite creme), um capuccino e um chá gelado. O chá gelado estava excelente assim como a Tarte de Limão merengada (uma verdadeira obra de arte) mas a tarte de Leite creme estava menos boa mas, ainda assim, perfeitamente comestível. O ambiente é muito simpático e aprazível, fazendo com que se crie facilmente raízes e se fique a dar dois dedos de conversa ou se desfrute dum momento de prazer solitário (tenham tento nos pensamentos, que o Tartine é uma casa de respeito!) por tempo indeterminado (ok, às 20h o indeterminado vira terminado :-).

 Não fiquei com a conta mas não me pareceu excessivamente caro. Em jeito de comentário final, acho que falta ao Tartine um pouco mais de personalidade... não sei...senti que lhe falta algo na decoração que lhe dê uma identidade mas não lhe falta qualidade no que têm para oferecer. Local ao qual volto sem problemas :-)


Tartine
R. Serpa Pinto, 15A
T. 213429108
Seg/Sex 8h-20h | Sab/Fer 10h-20h
Encerra ao Domingo
Facebook


1 comentário:

Tartine disse...

Bom dia,

O telefone da Tartine já não é mais o que está disponível no vosso blog.

Para nos contactarem, queiram pf ligar o 213429108.

Obrigada e bom fim-de-semana,
Tartine