Hamburgueria do Bairro, São Sebastião




 
Já várias pessoas me tinham falado das Hamburguerias do Bairro mas nunca tinha calhado até que, de forma pouco planeada, surgiu a oportunidade de experimentar os tão afamados hamburgueres.


Quis o destino que, num destes fins-de-semana cheios de sol, estivesse perto do Corte Inglés e, pior ainda, esgalgado de fome - eram três da tarde e o pequeno almoço era uma memória longínqua (e tinha sido light.... very light). Em boa hora me lembrei de ir tentar a minha sorte na Hamburgueria do Bairro, que fica ali mesmo ao pé, antes de me começar a direcionar para o meu Cheers (conhecido pelo resto do mundo como Padaria Portuguesa da Elias Garcia), onde ninguém sabe o meu nome mas eu gosto de lá ir na mesma.


Já tinha passado à porta algumas vezes e visto resmas de pessoas à espera, presumo eu de uma mesa..., facto que desanima qualquer um (a mim especialmente.... visto ter um longo historial de virar costas nas lojas e restaurantes por ter de ficar à espera). Neste caso, percebi eu posteriormente, existem duas razões para esta espera: a Hamburgueria do Bairro está na moda e o espaço é para lá de reduzido (se estivéssemos a falar de cuecas, seria um fio dental). Mas como eram três da tarde decidi tentar a minha sorte. E sorte é realmente a palavra certa.

Cheguei e tive logo uma mesa só para mim (no entanto a Hamburgueria estava à pinha) mas rapidamente a minha solidão acabou (durou cinco minutos, se tanto), tendo-se sentado outras pessoas na minha mesa. Como já disse, a Hamburgueria de São Sebastião é pequena, promovendo o espírito de sentar, pedir, comer, pagar e sayonara. Atenção, ninguém faz qualquer tipo de pressão para vagar o lugar (pelo menos eu não senti), simplesmente não é um sítio confortável para se estar a fazer sala (mesas/cadeiras altas, muito pouco espaço entre mesas, muito barulho), é simplesmente um local para se comer um hambúrguer e ir fazer a digestão para a Gulbenkian.

 

 
Existem várias opções na ementa (é engraçado ver as pessoas a pedirem... quero um T3 e um Xoné sff). Eu entreguei-me a um Caco de alma e coração, mas a escolha ainda demorou alguns minutos pois o Camone e o Alfacinha ainda me fizeram tentar.... mas o bolo do caco acabou por vencer (o que eu gosto deste pão! e ainda não fui à Madeira.... o que se calhar é bom, a minha fasquia é mais baixa do que quem já foi).




Não sei se foi da fome ou do hambúrguer mas soube-me que nem cerejas (que eu cá não gosto de ginjas)! O raio do hambúrguer estava mesmo bom e as batatas fritas também não estavam nada más. Comi tudo, tudinho, num abrir e fechar de olhos, não deixando rasto de hambúrguer ou batatas. Os comentários que tinha ouvido não me faziam crer que fosse gostar assim tanto... mas como tenciono voltar (a este ou a um dos outros) logo se vê. Para já fiquei muito satisfeito.

Não posso deixar de admirar quem atende nesta Hamburgueria do Bairro. Os corredores de passagem são mínimos (assim como o balcão e, muito possivelmente, a cozinha) e devem passar a vida a levar cotoveladas, encontrões e pontapés de quem se empoleira naquelas cadeiras. Por isso, perdoei alguma desatenção ou desconcentração no atendimento. No verão é bom que tenham um bom AC pois vai fazer calor dentro do restaurante, ai vai, vai.

No fim, hambúrguer e bebida ficaram pouco acima dos 8 euros, algo perfeitamente aceitável.
Venha a próxima Hamburgueria que eu estou preparado :-)

 
Hamburgueria do Bairro
Rua Ramalho Ortigão, nº 47-A

http://www.hamburgueriadobairro.pt
https://www.facebook.com/HamburgueriaDoBairro/
info@hamburgueriadobairro.pt
T: 213860445
2ª a Dom: 12h - 24h



Comentários

Maria disse…
De facto o unico senão da hamburgueria do bairro de são sebastião é mm o facto de ser super pequena. O ideal é mm ir fora das horas de "ponta". Sinceramente adoro os hamburgueres vegetarianos e abata doce frita deles, a limonada. Muito boa qualidade.
Sebastião disse…
e descobrir quando é fora de horas? essa é que é a dificuldade :-) sempre que passo à porta tá cheinho :-)

Mensagens populares deste blogue

Mundet Factory, Seixal

Pastelices, Seixal

Alô! Alô!