Entre nós, Entrecampos




Estávamos nós, a menos de duas horas e meia do início dum evento no Small Field, que é como quem diz, um espetáculo no Campo Pequeno, e ainda se trocavam mensagens do género “Olá! Como fazemos hoje?”, “Olá. Não sei. Queres jantar?”, “Sim, mas vê lá o que te dá jeito” e por aí fora, como se o refrão "time is on my side" tivesse sido escrito a pensar em nós.

Muita da nossa descontração se devia ao facto de sabermos que, se tudo o mais falhasse, teríamos o food court  do Campo Pequeno ou de um dos três Saldanhas com dois braços abertos à nossa espera, não se garantindo, no entanto, um cacho de uvas doiradas nem cheirinho a alecrim. [food court = termo que recentemente ouvi a ser aplicado a uma qualquer zona das comidas de um qualquer centro comercial, e pensei - cá está uma forma de elevar o estatuto de algo, dizê-lo em inglês! Já lá dizia a Manela, coitadinha, com os seus problemas de expressão que "a língua inglesa fica sempre bem"]

Mas sigamos, então com o post. Antes de atirar a toalha ao chão, comecei a procurar afincadamente algo euro friendly (A+++ de preferência) na área circundante ao Campo Pequeno, evitando locais muito próximos para não dar de caras com magotes de people a querer fazer o mesmo que nós - comer antes do evento.




Depois de alguma teclagem, surgiu o Entre Nós. Ficava a walking distance (mas não dead… eu sei, piada estúpida… desculpem) e tudo o que lia, em termos de opinião, apontava para um local despretensioso onde se comia bem e a preços acessíveis. Bónus: ir ao Entre nós permitia-me finalmente ver de perto os prédios da EPUL Entrecampos, local onde bem tentei morar mas the odds were never in my favour.

E pronto, por volta das 20h lá estávamos estacionados junto aos prédios da EPUL, essa homenagem arquitectónica às casas de repouso para a terceira idade (que desperdício… um espaço que tinha tudo para dar certo, numa zona privilegiada da cidade, e deixam que se construam prédios sem o mínimo interesse), para então conhecermos o Entre Nós.

Realmente é um local onde só quem anda por aquelas zonas poderá dar conta da sua existência, e pelo que eu fui lendo pela net, tem já uma legião de fãs saudável. Para turistas como nós, a existência do Entre nós passava-nos completamente ao lado, mais que não seja por não ser visível a partir da Av. Forças Armadas - o restaurante fica no espaço entre os dois prédios.

O Entre Nós é pequeno mas, como tantas vezes já foi demonstrado, o tamanho não interessa mas sim o que se faz com ele, com o espaço claro. No Entre Nós, parece ter havido preocupação na decoração do espaço, tornando um espaço pequeno, num pequeno espaço simpático e com personalidade. A decoração faz conjugar o preto (paredes), branco (paredes e mobiliário) e o roxo (apontamentos de decoração), sendo obtido um aspeto moderno mas ao mesmo tempo tradicional. O facto do preto servir de ardósia, dá colorido e dinâmica ao espaço. Mas desconfio que a esplanada deva ser o local predileto, para grande parte, de quem visita o Entre nós, assim o global warming o permite.




E o que se come no Entre nós? Hambúrgueres, pregos, saladas e tostas. Eu sei, eu sei... já ouviram esta reza em muitas das capelas que abriram nos últimos tempos (e, segundo me parece, que abrirão no futuro próximo) mas à que fazer como diz Filipe.




Mas o Entre Nós traz consigo algumas novidades como o bolo do caco de alfarroba (junção que me parece(u) perfeita :-) ou o Fáfá (hambúrguer de frango e farinheira). Depois de alguma introspecção, veio para a mesa bolo do caco de alfarroba com Fáfá e prego dos bons no bolo do caco, tudo acompanhado com batata frita caseira. E depois? Depois veio a tempestade perfeita - fome, pressa e comida com ar apetitoso - o que fez com que onde antes estavam duas belas embarcações, dois segundos (vá três, porque ainda respirámos e falámos um bocado) depois apenas sobravam os escombros do naufrágio. Quer o hambúrguer quer o prego estavam óptimos e muito bem acompanhados com a prometida batata frita caseira.




Quem nos atendeu (de forma exemplarmente simpática e prestável) não se deixou levar pela nossa conversa de "se calhar não queremos sobremesa" e lá nos foi dizendo (e aliciando) com o que tinha disponível. Acabámos com uma mousse de oreos à nossa frente. E ainda bem! estava muito boa.




No fim, acabámos por pagar 10€ pp, o que não nos pareceu excessivo para o que tínhamos comido e bebido. Pareceu-nos um local agradável com comida boa e bom atendimento.




Entre nós

Rua Mário Cesariny, 7A, 1600-313 Lisboa
(prédios da EPUL Entrecampos, em frente ao ISCTE)
 2ª a 4ª: 10h - 20h | 5ª e 6ª: 10h - 22h | Sab: 10h - 20h
Reservas | 21 797 9999 | info@entrenos.pt | Facebook



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Mundet Factory, Seixal

Pastelices, Seixal

Alô! Alô!