sábado, 23 de agosto de 2014

D'Bacalhau, Parque das Nações





 





Foi um adeus que me trouxe aqui.
(eu sei, parece um verso de um fado mas é mesmo verdade)

Um adeus mais no género de gente feliz com lágrimas do que alma minha gentil que te partiste, tão cedo desta vida descontente, mas ainda assim um adeus.
(levar a coisa mais no sentido filosófico do que no sentido literário)

Não, não foi mais alguém que morde a poeira. Não foi mas é quase como se fosse, menos a parte de ter um sofá numa qualquer cidade perdida no mundo. Ver partir para a reforma (merecida e necessária) alguém que nos ajudou a ser quem somos como profissionais (e também como pessoa), sempre imbuída de uma calma e paciência sem limites (e frequentemente testada), custa. E por custar, uma parte de mim tem a veleidade de manter o sentimento profundamente injusto e injustificado de não quero! não deixo! não, não e não! Mas depois acordo e percebo que já não tenho idade para birras. 

E foi assim que me vejo num "jantar de serviço", algo que vai contra os meus chakras mas a vida é assim pejada de realinhamentos. 

Enquanto caminhava em direcção ao restaurante, vindo da Torre Vasco da Gama, pensava para os meus calções que o local escolhido para o jantar de despedida não poderia ser mais desolador. A correnteza de pavilhões entre a FIL e o rio, onde um dia houve um sem número de restaurantes, bares e discotecas cheios de vida, é agora um local desolado e triste pois muitos desses estabelecimentos fecharam. Admito que me fez alguma confusão o ar de abandono de tantos pavilhões. 

Mas felizmente alguns desses pavilhões ainda têm vida, e conseguem manter a porta aberta, permitindo ter esperança que no futuro esta zona volte a ter a vida de outros tempos.

O D'Bacalhau é um desses casos, ficando sensivelmente a meio da linha de pavilhões.
(é fácil de dar conta, é o restaurante que está aberto)

O restaurante é grande e permite escolher entre a esplanada, piso térreo e piso superior. Como era um jantar de grupo, fomos encaminhados para o piso superior onde nos esperava uma sala ampla com muita luz natural, onde imperava uma decoração simples, funcional mas cuidada.


 



Eu sei que vai ser uma surpresa para vocês quando eu disser que os pratos envolvem todos (pelo menos a maioria) bacalhau.
(não! não posso! Nunca teria imaginado tal coisa. A vida tem com cada surpresa. Bravo!)


A ementa estava previamente escolhida (bacalhau!bacalhau! e bacalhau!), portanto todo aquele momento da caça pela vítima certa num rectângulo de papel (plastificado ou não, é opcional) foi obliterado. Ficando apenas a espera, a espera que nos sirvam as bebidas e a comida. E quando veio, veio exactamente como está na imagem em baixo - bacalhau com broa, bacalhau à Brás, bacalhau com natas e bacalhau à lagareiro. De uma assentada só quatro pratos diferentes (bazinga!), foi só sacar das armas (talheres) e Contra os canhões marchar, marchar!
(existe alimento mais patriótico que o bacalhau?)  
 

 


Garfada daqui, garfada d'acolá. Resultado final? Tudo bom! O meu favorito foi o bacalhau com broa mas admito que é uma escolha enviesada, simplesmente porque é dos pratos que eu mais gosto e este estava bom. 

As opções de sobremesa eram limitadas pelo menu de grupo (mousse de manga, chocolate ou abacaxi) mas isso não impediu que me atracasse a uma bela mousse de chocolate. E não é que era mesmo mousse? Não era daquelas cem por cento instantâneas, só feitas de ar e vento que com duas voltas da colher ficam a um terço do tamanho, pelo contrário, senão era mesmo de chocolate imitava muito bem.

No fim, pagámos 16€pp, o que me pareceu um valor mais do que justo tendo em vista o que se bebeu e comeu (dizem que o bacalhau é um peixe e dos mais carotes). É um restaurante óptimo para jantares de grupo, tendo o espaço necessário para permitir toda cacofonia inerente a um grupo de pessoas sem causar problemas aos próprios e a outras pessoas que estejam no restaurante.


 

Rua da Pimenta 45 - Zona Ribeirinha Norte
1990-254 Lisboa - Parque das Nações
(ou seja, linha de restaurantes antes de chegar à Torre Vasco da Gama)

Horário | Almoços 12h às 16h | Jantares 19h às 23h

Tel:218941296/7 - Tlm:967353663 - Fax:218941298
www.restaurantebacalhau.com | Facebook

Fotos obtidas do site/facebook do restaurante




Sem comentários: