Hamburgueria 21, Av. Roma







And now for something completely different....Vamos lá conhecer uma hamburgueria... mas só um bocadinho! (Monty Python e Marta Gautier na mesma sentença... perdoem-me)

Mas antes de falar da Hamburgueria 21, quero partilhar uma pergunta que me assola...do androids dream of electric sheep? não, não é esta. Ah! já sei.... Será que as vacas não se encontram perigosamente à beira da extinção? É que com a quantidade de hamburguerias a nascer em Lisboa (e resto do país), é bom que a taxa de natalidade das vacas não tenha a mesma tendência que a natalidade da população portuguesa, sempre a descer. É que sem reforma uma pessoa até se aguenta mas sem hamburgueres é que não :-)

Bem, parvoíces à parte, vamos lá falar do que interessa. 
A Hamburgueria 21 deve (penso eu de que) parte do seu nome à avenida onde fica situado, a Avenida João XXI. A H21 fica depois da Caixa Geral de Depósitos e antes do cruzamento com a Avenida de Roma.

A Hamburgueria 21 fazia parte da minha food list desde que passei à porta e vi o resultado final das obras que, ao longo dos meses, tinha vindo a acompanhar. No entanto, como normalmente utilizo mais esta zona para lanchar (Confeitaria Lx...Frutalmeidas...drooling...) do que para jantar, demorei algum tempo até conseguir fazer a prometida visita, mas finalmente aconteceu.

À entrada da Hamburgueria 21 temos uma primeira zona, com um bar e vários sofás (e duas motas?!?), não sendo propriamente um local de refeição, pareceu-me mais um local onde se pode esperar por uma mesa (não havendo o risco de nos babarmos para cima de quem está a comer, nem quem está sentado levar com a pressão negativa de quem espera mesa), esperar pela companhia para comer, ou simplesmente pedir uma bebida no bar e chilax :-). 

A sala de refeição propriamente dita é espaçosa (fazendo uma espécie de L), muito bem iluminada (para contrabalançar a ausência de luz natural) e com um extenso uso de pinho (mesas, cadeiras e painéis nas paredes), dando ao espaço a luminosidade que necessita para nos fazer esquecer que estamos numa cave.

A minha relação com o pinho é algo bipolar, se por um lado não sou (mesmo nada) fã do pinho em ambiente doméstico, por outro lado quando me deparo com a sua utilização na decoração de espaços comerciais sinto sempre uma sensação de conforto e bem estar (deve ser o meu gene nórdico a falar). Na Hamburgueria 21, senti isso mesmo, espaço agradável, confortável q.b, com o pinho a criar um ambiente entre o rústico e o moderno.

O espaço entre as mesas (quer sejam as mesas altas ou baixas) é óptimo, algo que por vezes não ocorre em algumas Hamburguerias, que optam por ter mais mesas e muito pouco espaço entre elas (o que se pode tornar desconfortável).


(imagens retiradas do FB da Hamburugeria 21)
 



Tínhamos várias mesas à nossa disposição, tendo acabado por escolher uma mesa junto à parede (a malta gosta de bancos corridos pregados à parede, o que se vai fazer?). Como precisávamos de um compasso de espera (faltava uma pessoa) pudemos olhar com calma para a ementa e para a sala. A ementa existe sob duas formas: nos individuais que cobrem as mesas e num quadro preto junto à porta da cozinha/balcão (onde figuravam alguns hambúrgueres novos que ainda não estavam na ementa).

Depois de questionarmos quem nos atendia sobre alguns pormenores dos hambúrgueres, decidimo-nos por um Italiano, Guloso e Sem Cerimónia. Impossível não rir quando se diz isto em voz alta, a quem toma nota do pedido :-)

Italiano (mozzarella, tomate e pesto)/Guloso (bacon, cogumelos, cebola caramelizada, tomate e agrião)/Sem cerimónia (bacon, ovo estrelado, queijo cheddar, cebola roxa, tomate e rúcula).


Italiano

Guloso

Sem cerimónias


Dos três, a única pessoa que ficou menos satisfeita foi a que comeu o Italiano (too many jokes....). Bem, realmente quando os hambúrgueres chegaram à mesa era o que tinha o ar mais.... saudável blagrh! Isso nunca é bom num hambúrguer :-)

Do meu Sem cerimónias só tenho a dizer bem, desde as estaladiças batatas fritas às rodelas com casca (para mim hambúrguer não "pede" batata frita aos palitos, desde que estejam estaladiças podem vir), o pão de hambúrguer (muito pouco adocicado e torrado, melhor que isto só se for bolo do caco), e o hambúrguer em si (pedi mediamente passado e, espantem-se, veio um hambúrguer rosado por dentro sem estar cru, o meu conceito de médio). 

Quem comeu o Guloso garantiu-me que tinha ficado muito satisfeita com o hambúrguer que pediu, o facto do prato ter ficado limpinho (só mesmo alguns restos mortais de batata frita) levou-me a crer que tinha realmente gostado. Ou isso ou a fome era negra.




No fim, pedimos uns potezinhos para nos adoçar a boca (formato que me fez lembrar o Frankie), mais concretamente um pote com mousse de Oreos e dois com doce da casa. A mousse de oreos estava doce q.b. permitindo sentir o sabor a oreos, já o doce da casa... Vamos pôr desta forma, um diabético entraria em coma se comesse um potezinho destes :-) Mas se calhar é um problema meu pois só não vi um dedo (ou língua) a raspar o interior do pote, para remover todos os resquícios do doce da casa, essencialmente por vergonha porque vontadinha não faltava.

No fim, pagámos 11€pp valor perfeitamente justo tendo em vista a quantidade, qualidade e serviço prestado (estando este valor dentro do praticado por outras hamburgerias do mesmo género). Só posso acrescentar que o atendimento foi muito simpático e prestável.

Gostei bastante e pretendo voltar para experimentar outras das possibilidades do menu.



Avenida João XXI, 45A, São João de Deus, Lisboa
Contacto | 21 8400562

Horário | 2ª a Sáb - 12h às 23h30 | Encerra ao Domingo

Facebook





Comentários

Mensagens populares deste blogue

Mundet Factory, Seixal

Pastelices, Seixal