Nut'Chiado






Depois do pico febril veio a convalescença.




Se no fim de semana em que o Nut'Chiado abriu só conseguiu experimentar quem tinha (a) uma dose generosa de paciência, (b) um desejo sobre-humano de comer nutella, (c) um leão social a rugir dentro de si que só se apaziguava depois de poder dizer "eu estive lá e tirei uma foto", (d) nada mais para fazer e estava divertido com a situação. O 12h30 esteve lá no dia da abertura mas acabou por decidir pela alínea (e) não temos paciência para filas, voltamos mais tarde.

Assim o decidimos, assim o fizemos.

E veio a comprovar-se que foi uma sábia decisão. Agora que passou a loucura, entrar no Nut'Chiado é fácil, sem grandes filas ou confusões, tudo muito normal e pacífico. A confusão no fim-de-semana de estreia tornou-se muito mais fácil de entender assim que, depois de entrar e percorrer um estreito corredor, cheguei ao espaço propriamente dito do Nut'Chiado. 

O espaço é pequeno (diminuto), tendo meia dúzia de mesinhas (três ou quatro) e um balcão consideravelmente grande para o espaço onde está metido. Este balcão produz (muito) calor - ele é crepes, ele é churritos, ele é waffles, ele é kebabs, mas se este calor pode saber bem nos dias de inverno, nos dias de verão é como saltar da frigideira para a fogueira (ou de Caifás para Pilatos, como preferirem). Devo dizer que me aconteceu esta última situação, por isso assim que me deram o que pedi dei corda aos sapatos (mas se calhar fui num dia em que se avariou o ar condicionado...).

Devo dizer que fiquei algo desiludido com o espaço (ou a falta dele) mas fiz rapidamente o luto e concentrei a minha atenção nas várias opções disponíveis - ele é crepes, ele é churritos, ele é waffles, ele é kebabs, tinham era de acabar lambuzadas em Nutella. Decidi então pedir algo que me permitisse comer em andamento ou, pelo menos, que me permitisse caminhar até um local agradável (fresco), por isso atirei-me aos churritos!

 


Podem dizer que a minha opção não tinha muito por onde correr mal por isso é natural que tenha gostado. Discordo. Se há coisa que a comida (e a vida) me tem ensinado desde que nasci, na mais simples confecção gastronómica cai a nódoa. E, neste caso, bastava que a massa dos churritos fosse muito doce, pouco doce, mole, muito rija (como barra de ferro) para eu ter comido a Nutella com os dedos. Mas tal não aconteceu :-) Gostei da massa, gostei da combinação, gostei da inveja nos olhos das pessoas por quem eu passava na rua, gostei de me sentar nos Terraços do Carmo a comer os meus churritos gulosamente besuntados em Nutella, gostei de lamber os cantos da boca, os dedos, o cantinho do cartucho tentando prolongar ao máximo o momento Nutella - percebe-se muito que sou fã de Nutella? Sim? Boa, porque é verdade :-)




Nut'Chiado podia ser melhor? Podia. Podia. Podia. Podia. Bastava ter um espaço menos claustrofóbico e (sonhar não custa) uma bela esplanada para ser 2,5x10^5 melhor do que é agora. Mas temos pena, não parece que vá acontecer, pelo menos para já.

Mas gostei dos churritos e tenciono voltar à carga, escolhendo agora um crepe, waffle ou kebab para ver se o meu contentamento se esbate ou não. Acho que o facto da Nutella estar sempre envolvida no produto final torna difícil uma avaliação objectiva da minha parte, tudo fica bom besuntado com Nutella (Sra Ministra francesa experimente vai ver que fica logo menos azeda).

Paguei 2,8€ pelos meus churritos (havia opção com mais churros e eram 5,30€) com creme de cacau&avelã, valor que não me pareceu obsceno, sendo mais um factor que me leva a querer voltar.




Calçada do Sacramento, 20, Chiado, Lisboa

Horário | Dom a 5ª -
 10h às 20h | 6ª e Sáb 10h às 23h


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Mundet Factory, Seixal

Pastelices, Seixal