Dogtown Burguer Joint, Bairro Alto




Se um dia se virem em pleno Bairro Alto a pensar que o que era mesmo, mas mesmo bom eram uns belos hambúrgueres para saciar a larica instalada, então não pensem duas vezes façam uma visita ao Dogtown Burguer Joint.




O nome do restaurante é algo peculiar, especialmente para pessoas que nada sabem sobre desportos radicais, fazendo com que se instale alguma dúvida sobre se realmente se vai comer hambúrgueres ou se afinal são cachorros (Dogtown.... Hotgdog.... you catch my drift...). Mas garanto-vos é mesmo uma hambúrgueria. O nome peculiar, ficámos depois a saber, vem de um documentário (Dogtown and Z-Boys) e filme (Lords of Dogtown) sobre um influente grupo de skateboaders que revolucionaram o desporto, lá para os lados da Califórnia. Para além do nome, este grupo serviu de inspiração para a decoração do espaço e, até, para a escolha dos nomes dos hambúrgueres.

O Dogtown Burguer Joint fica algo fora das ruas mais populares ou, melhor dizendo, mais turísticas do Bairro Alto mas, apesar de ficar num local mais recatado, não implica que seja difícil de encontrar. O facto de ficar praticamente em frente à esquadra da polícia do Bairro Alto tem o condão de facilitar a procura. Por outro lado, aqui que ninguém nos ouve, deve ter também o condão de afastar alguma clientela mais... como dizer... extrovertida. O que para nós foi excelente pois não tivemos que lutar por uma mesa nem ouvir falar (ou gritar) outra língua que o português. 




A decoração do espaço não é o seu ponto forte. Se não fossem os letreiros junto à porta, da rua diria que estava perante um café ou restaurante de bairro, onde me iriam servir comida tipicamente portuguesa, da bifana ao bitoque, do bacalhau à sardinha, nunca me passando pela cabeça que estava perante uma hambúrgueria. No entanto, depois de atravessar a ombreira da porta, fica mais fácil de se perceber que não se está propriamente no café do sr. Neves, com várias fotografias a preto e branco de Dogtown and Z-Boys a dar o tom do restaurante: descontraído e amigável.






Da ementa constam hambúrgueres de vaca e vegetarianos, todos eles com nomes de alguma forma associados com Dogtown e Z-Boys. Como somos mais dados à carnucha, decidimos pedir um Stacy Peralta (espinafres, tomate, queijo, bacon, ovo) e um Z-Boys (rúcula, tomate, queijo, caril de manga e cogumelos) que veem acompanhados por batatas fritas aos palitos. A simpatia (e paciência) de quem nos atendeu foi impecável, tendo ouvido que ambos estávamos indecisos entre o Stacy Peralta e o Z-Boys perguntou se queríamos que os hambúrgueres viessem partidos ao meio, ao qual respondemos prontamente que sim, que seria excelente. E, quando vieram os pratos, não só os hambúrgueres vieram partidos ao meio, como cada prato já veio com uma metade de cada. Volto a dizer, Impecável. A foto com o hambúrguer intacto foi de outra visita que fiz ao espaço (querem melhor indicador de que fiquei fã? ;-), tendo escolhido o hambúrguer especial da Rota dos Hambúrgueres, uma verdadeira torre de resmas de coisas fantásticas que merecia passar a fazer parte da ementa regular.

Quem nos estava a atender (presumo que seja o gerente/dono) entabulou conversa connosco enquanto esperávamos pelos nossos hambúrgueres, tendo-nos explicado então de onde vinha o nome do restaurante, qual era o espírito do restaurante e de algumas características dos hambúrgueres (os quentes e os frios ficam sempre separados por uma barreira de pã para não cozerem, por exemplo). Acho que apenas discordámos nas cascas de batatas (eu sou fã), de resto via-se que era alguém que partilhava o meu prazer em comer bem, o que foi o primeiro passo para nos descansar que iríamos ser bem tratados. 

E que dizer dos hambúrgueres? Excelentes. Assim que vi que o pão dos hambúrgueres não era brioche, caco ou o normal pão de hambúrguer mas sim pão escuro (o meu favorito) fiquei conquistado. A partir daqui foi sempre a subir. A carne estava no ponto, tudo o que nos foi prometido estava presente no hambúrguer e com excelente qualidade e sabor, garantindo assim um momento de verdadeiro prazer gastronómico. Ah! já me ia esquecendo, as batatas também estavam excelentes.





Quando chegámos ao fim dos nosso hambúrgueres ficámos na dúvida se ainda teríamos forças para uma sobremesa. Acho que a sensação era que tínhamos subido o Everest, gostado muito da vista mas não sabíamos se tínhamos forças para descer.

No entanto, fomos dito que tínhamos de comer o brownie, tínhamos mesmo pois era fantástico. E como tinhamos mesmo, mesmo que provar não podemos dizer que não :-)




Não sei se a foto lhe faz jus mas posso assegurar que este brownie era mesmo um brownie à séria, denso e com intenso sabor a chocolate, como já não comia à muito tempo. Digamos que depois deste brownie estava pronto para descer o Everest e voltar a subir.


No fim, pagámos por volta dos 12€ pp e valeu cada pennie que demos. Pode não ter uma decoração tão trabalhada como muitas das hambúrguerias que pupulam um pouco por toda a Lisboa, sendo no entanto agradável e descontraída, mas é excelente nos dois pontos que fazem com que valha a pena entrar - excelente comida e excelente atendimento. Merece uma visita.








Travessa Água da Flor, 42, 1200-010 Bairro Alto
Tlf - 912 773 916 / 96 944 90 52 | dogtownburgerjoint@gmail.com

Horário: 2ª a 5ª - 19h às 2h | 6ª e Sáb - 19h às 3h
Encerra ao Domingo








Comentários

Mensagens populares deste blogue

Mundet Factory, Seixal

Pastelices, Seixal

Alô! Alô!