quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Italian Burguer House, Av. Roma





Certamente que já vos aconteceu estarem a olhar para um food court e, apesar de todas as opções que o vosso olhar alcança, nada vos apetece, nada vos faz dar um passo na sua direção. Pois bem, era esse o sentimento que me assolava enquanto olhava, e olhava, e olhava para a zona de alimentação do Colombo, nada era bem aquilo que me apetecia.

A minha companhia, igualmente insatisfeita com o cenário, encolheu os ombros e disse resignada - "Assim sendo vou ao H3". Esta pequena frase provocou em mim um estalido na articulação - hambúrgueres... nova hamburgueria... Avenida de Roma (tau!). "Epá se é para comer hambúrgueres então que tal darmos uma saltada até à Avenida de Roma?" - disse eu após a minha eureka articulada. Obviamente que o desafio foi aceite de imediato.

Como ainda estamos no período abensonhado de férias letivas, ao fim de 10 minutos estava já a estacionar o Mercedes Benzete junto à Igreja de São João de Deus, na Praça de Londres. Mas, se vamos ser sinceros, depois das oito da noite o trânsito nesta zona não costuma ser complexo, mesmo em período escolar, e consegue-se encontrar estacionamento com relativa facilidade. Uma vez estacionado foi dar meia dúzia de passos e estávamos junto à porta do restaurante.

O Italian Burguer House não poderia ser mais fácil de encontrar. Estão a ver a Torre de Belém? Não tem nada a ver. Estão a ver o McDonald's da Avenida de Roma? É mesmo em frente.




O aspeto exterior e o que era possível ver, através das janelas, do interior do restaurante, fizeram com que as minhas sobrancelhas farfalhudas se empolassem como um gato que vê cão e o meu olhar se desviasse novamente para o nome do restaurante, só para confirmar que a palavra burguer realmente surge no meio do nome. Como não tinha ideia nenhuma do que iria encontrar, fiquei algo surpreendido com o aspeto classy do Italian Burguer House, o que me fez pensar se estávamos realmente no local certo. Eu sei, preconceito mas é assim a vida.

Depois de ter a certeza de que estávamos no local certo, veio outra preocupação ainda mais preocupante, haveria mesa para nós? É que a sala parecia bastante composta. Felizmente assim que entrámos percebemos que não corríamos o risco de acabar a noite a comer uma refeição feliz no vizinho da frente. Ufa!

Pouco tempo depois de nos indicarem onde nos poderíamos sentar, trouxeram-nos a ementa. Enquanto a minha companhia dissecava cada um dos itens constantes na ementa, quase parecendo que quem lhe entregou a ementa fosse um crossroad demon chamado Crowley e a alma dela estivesse em risco se não lesse todas as letrinhas da ementa (supernatural much? :-). Mas adiante. Enquanto esperava por um veredito apreciava a decoração do espaço.





A sala acaba por ter dois espaços diferenciados, a sala propriamente dita e uma espécie de varanda fechada, que se estende sobre o passeio, toda envidraçada, permitindo observar o barulho das luzes da avenida. Esta parte envidraçada vai permitir também que o restaurante tenha muita luz durante o dia. Toda a decoração anda à volta dos tons de castanho, desde o chão (forrado com uma espécie de sisal?!), passando pelas paredes (muitas delas cobertas com painéis castanho escuros) e acabando no mobiliário (cadeiras e mesa em castanho). A iluminação vem dar o toque final, acentuando o ambiente clássico (e acolhedor) do espaço sendo, no entanto, o elemento decorativo mais moderno na sala. Acho que já deu para perceber que gostei muito do espaço, da decoração e do ambiente.

Voltando de novo à ementa. Segundos depois de me passaram a ementa para as mãos, escolhi o que queria e chamámos para virem receber os nossos pedidos. Para entrada pedimos bolo do caco com manteiga, para pratos principais pedimos um hambúrguer Parma (hambúrguer coberto com cogumelos salteados, cebola caramelizada e lascas de parmesão) e um hambúrguer Modena (hambúrguer coberto com tomate assado, cheddar e ovo a cavalo), ambos acompanhados de batata frita (existe a possibilidade de vir acompanhado de arroz ou salada).




Entretanto colocaram à nossa frente um couvert composto por pasta de tomate assado, manteiga de manjericão e pasta de queijo ricota, tudo com ótimo aspeto. Como não veio um cesto com pão, tostas ou outra infraestrutura panícola que servisse de suporte a estas pastas, pressupus que era para comer com os grissinis?! Eu ainda tentei mas era mais o que caía do que o que colava ao grissini. Felizmente tínhamos pedido o bolo do caco (que estava ótimo!) por isso tudo acabou em bem, foi possível comer as cenas das tacinhas com o mínimo de classe :-)




 
E tcharam! Vieram então os nossos hambúrgueres. Uma característica que salta logo à vista é que no Italian Burguer House, os hambúrgueres são servidos sem chapéu (ou parte de cima do pão) o que  facilita o processo de comer o hambúrguer com faca e garfo mas impede de pegar no hambúrguer com as mãos e comê-lo como God intended (mas pronto, o espaço impõe algum decoro). E como estavam de sabor? Ótimos! Sumarentos, com todos os ingredientes que nos prometeram na ementa e bem condimentados, acompanhados com batatas fritas aos palitos quentes e estaladiças. Não poderíamos exigir mais.

E sobremesa, querem? Claro que sim. Ainda para mais já me tinha chegado ao ouvido quais eram as opções disponíveis. Como eram duas, a escolha não era difícil, "uma sobremesa p'ra ti, uma sobremesa p'ra mim... Olá, Olá!" e pronto estava feito! E quais eram essas opões? Crumble de banana e Pavlova coberta com morangos e iogurte.





Segundo consta, a nossa cara e postura denunciavam um grande prazer a cada colherada que dávamos na nossa sobremesa. Não posso confirmar propriamente a parte da cara e linguagem corporal mas que se fez silêncio na mesa, sem dúvida que se fez. Gosto de suspiro e este estava no ponto, sendo o seu doce contrabalançado na perfeição pelo amargo do iogurte e dos morangos. O que posso dizer, as minhas papilas gustativas estavam em êxtase. O "crumble" de banana só tinha um problema... chamar-se crumble :-) E aqui sou irredutível, se não tem nada crocante não é crumble. Mas tirando este pormenor de nomenclatura, se gostam de banana então este "crumble" vai encher-vos as medidas. A mixórdia (no bom sentido!) de banana quentinha com a bola de gelado em cima funciona na perfeição, é de comer e chorar por mais.

E com o acabar da sobremesa vem o fim da refeição, e com o fim da refeição vem o pedir da conta. Tendo em vista que comemos couvert, entrada, 2 hambúrgueres, 2 bebidas e 2 sobremesas (e estamos na avenida de Roma) seria de esperar uma conta puxadita mas tal não aconteceu (14€ pp), o que tornou toda a experiência ainda mais gratificante :-) O atendimento, talvez porque abriram à pouco tempo e querem atrair clientes, foi mais solícito e atencioso do que o normal mas logo de vê numa nova investida ao Italian Burguer House.

Nota de rodapé. O Italian Burguer House aposta forte na nova tendência da moda - os Gins, tendo-me parecido que quem gere o restaurante percebe bastante sobre esta bebida por isso para os aficionados pode ser mais um ponto a favor de uma visita.




Avenida de Roma 4 E, 1000-264 Lisboa, Portugal









5 comentários:

Diogo Marques disse...

Bom, lá vou ter que adicionar isto aos favoritos no Zomato!
-

Diogo Marques

Blog: A culpa é das bolachas! | Facebook | Instagram | Zomato

-

carolina veloso disse...

Ena ! E é na minha zona! Sim porque apesar de agora não viver em portugal, Av de roma é e será sempre a minha zona <3. Vou partilhar :)

Edgar Jorge disse...

Até que sou fotogénico :D e um bom empregado de mesa, sempre fiel ao cliente :D

Nicha disse...

É o mesno do centro comercial Vaco da Gama

Edgar Jorge disse...

Sim, mas com um serviço de prestígio e uma qualidade surpreendente