Ilhas Gregas, Madragoa





A desculpa para ir ao Ilhas Gregas foi isso mesmo uma desculpa. E como todos sabemos qualquer desculpa é valida para uma reunião de amigos. 

Assim, de forma a comemorar 2 mês de termos ido à Grécia, o grupo que em Setembro se juntou e foi ao casamento de um amigo, reuniu-se à volta da mesa para relembrar os bons velhos tempos. Já tínhamos saudades de uma boa salada grega, prato indispensável em qualquer refeição na Grécia. 

A comida

Entre tanta escolha que tínhamos à disposição, decidimos ser lambareiros e pedir o menu de degustação. Esta decisão foi a demonstração dolorosa de: ter mais olhos que barriga. Como queríamos provar de tudo o que tínhamos tido oportunidade de comer na Grécia, escolhemos tudo. O que revelou ser um exagero.




O menu de degustação inclui 4 entradas frias, 3 entradas quentes, pão pita à descrição, salada grega, prato de carne grelhada, moussaka e doce. Nem esta descrição nos alertou para o facto de que talvez fosse comida a mais.

O pão pita era divinal, veio sempre quentinho e com uma camada fina de azeite, o que permitia comer mesmo assim ou em conjunto com as entradas. Como a fome já era muita, os cestos de pão iam desaparecendo e sendo substituídos por novos a uma velocidade menos dietética. 




As entradas frias incluíram Tzatziki (iogurte grego com pepino), Hoummus e Tirosalata (feta, queijo branco, peperoni e condimentos). Todos deliciosos! Não sou especial apreciadora de pepino, mas o Tzatziki estava muito bom. 

Nas  entradas quentes tivemos direito a Dolmadakia (folha de videira recheada com arroz), e queijo feta grelhado. Descobri o Dolmadakia neste viagem à Grécia e fiquei maravilhada. A textura da folha de videira não é para todos os paladares, mas quem gosta, fica convertido.



O queijo feta grelhado era algo que ainda não tinha tido oportunidade de provar, mas também não fiquei convencida. O sabor do queijo feta cozinhado é bastante forte. 




A sala grega é um clássico, que não poderia falar na nossa mesa. Não sou grande apreciadora, pois não gosto muito de tomate e pepino e se retirarmos ambos de uma salada grega, fica muito pouco. Vá, posso sempre pescar cubinhos de queijo feta. Noticia de ultima hora: viajamos por vários pontos da Grécia e não encontramos uma salada grega com cubinhos de feta, todas com uma substancial fatia de queijo por cima da salada. 




Quando finalmente chegou o prato principal já não havia fome. Nenhuma! Nada! Até foi um pequeno sacrifico comer a mossaka e a carne grelhada. Na verdade não consegui apreciar convenientemente, mas pareceram-me bons. 




A sobremesa

Os gregos não são conhecidos pelas sobremesas e há razões para isso. Na maioria dos restaurantes gregos a sobremesa é cortesia da casa e invariavelmente é iogurte grego com mel. No Ilhas Gregas deram-nos um bolo húmido com gelado. Se o prato principal já foi de difícil ingestão, a sobremesa muito mais. Não fiquei impressionada e não o voltaria a pedir. 




A conta

Sendo que o menu é 16,90 euros por pessoa, e que bebemos várias garrafas de vinho grego (sim, é tão mau quanto soa), a conta ficou pela módica quantia de 26 euros por pessoa. Esta doeu! Doeu fundo!

A conclusão

Este é um verdadeiro restaurante grego. A visitar por quem queira conhecer a gastronomia ou matar saudades daquelas férias fantásticas na Grécia. Mas, conselho de amiga, peçam uma entrada e um prato, não se atirem ao menu, que esse doí a vários níveis. 



Ilhas Gregas
Rua das Trinas, 22, Madragoa, Lisboa
21 0993288
http://www.ilhasgregas.eu/
Terça a Sexta: 19h30 - 24h30
Sábados e Domingos: 12h30 – 15h30 e 19h30 - 24h30




Comentários

Mensagens populares deste blogue

Mundet Factory, Seixal

Pastelices, Seixal