Kaprixu, Lumiar



Duas idas ao mesmo restaurante, dois dias diferentes, duas alturas diferentes do dia (primeiro almoço, depois jantar), duas companhias diferentes (almoço com a Joana, jantar com a Sininho), duas experiências diferentes mas com igual qualidade de comida (tudo óptimo).

Mas, antes de mais, deixem-me partilhar algo parvo convosco. Não sei porquê mas para mim foi muito estranho ir almoçar a um restaurante indiano. E não é por causa da comida, longe disso. Desconfio que tem mais a ver com o ambiente. A decoração e as cores que normalmente são utilizadas para decorar os restaurantes indianos causam um maior impacto de noite. É como (aqui vai mais uma constatação um bocado parva) entrar num bar de dia ou de noite, está lá tudo na mesma mas simplesmente não é a mesma coisa.

Almoçar no Kaprixu resultou da necessidade de encontrar um restaurante algures no Lumiar que não estivesse fechado para férias (Agosto, meu querido mês de Agosto) e que nos possibilitasse sair do circuito pizza/hambúrguer. Quando lancei a ideia de irmos almoçar a um indiano senti alguma resistência por parte da Joana mas, no fim, lá acabou por concordar. E (dizem as más línguas) que não se arrependeu de o ter feito.

Jantar no Kaprixu resultou dos estranhos desígnios da casualidade. A Sininho ficou em mãos com a tarefa de marcar um restaurante para jantarmos, como não conseguiu contactar-me para saber a minha opinião ou ideias acabou por marcar no Kaprixu.Dei uma bela gargalhada quando soube desta pontaria.

O Kaprixu fica em Telheiras, quase em frente do renovado Pingo Doce de Telheiras, um bocadinho escondido mas com jeitinho logo se encontra. O estacionamento não é brilhante mas o estacionamento do supermercado é sempre uma opção a ter em conta.

Assim que entramos damos de caras com uma estátua de Ganesha (Deus Indiano com tromba de elefante), tornando perfeitamente claro que estávamos a entrar num restaurante indiano, caso isso ainda estivesse em dúvida.

À hora de almoço pudemos escolher facilmente a mesa em que nos queríamos sentar, no entanto, é preciso ter em mente que era Agosto e chegámos pouco depois do meio-dia, possivelmente fora da época de férias a afluência será maior. Ao jantar a situação já foi diferente. Felizmente a Sininho fez reserva porque arriscávamo-nos a ter que ir jantar a outro sítio ou a esperar que vagasse uma mesa, isto porque o restaurante rapidamente ficou com lotação esgotada (o que torna a passagem entre as mesas algo complexo mas possível).

O restaurante não é muito grande e tem todos os espaços possíveis aproveitados com mesas, portanto se querem um local para uma conversa calma e sossegada, focando temáticas muito pessoais, talvez não seja este o restaurante que procuram. Mas se querem boa comida indiana e entabular uma conversa ligeira e descontraída então têm aqui uma excelente opção.




A comida é o mais indiana possível entre o borrego, galinha, camarão, tandoor, biryani e vegetariano as possibilidades são muitas, fazendo com que a leitura da ementa seja algo demorada. Já experimentei chicken curry, chicken korma, himalaya chicken e algo com lamb que entretanto esqueci o nome mas, no fundo, o fundamental é que nenhum desapontou em quantidade ou qualidade. A molhanca estava sempre fantástica tanto que acho que se me dessem uma taça com o molho e umas quantas carcaças já faria uma bela refeição. Para mim, os molhos da comida indiana são uma perdição.




Em nenhuma das refeições comemos sobremesa. Não por falta de oferta no restaurante (ou por não serem boas) mas porque não é uma doçaria que gostemos (e não é por falta de tentativas), mas cada um tem os seus gostos por isso não deixem de experimentar.

Em termos de custos... ao almoço a coisa faz-se por menos de 10€ (tem menu de almoço), ao jantar faz-se por volta dos 20€ (valor que pode aumentar consideravelmente se envolver pratos com camarão ou lamb).

O atendimento sempre simpático e atencioso mas... Ao jantar parece que caímos num buraco negro de azares, todos à nossa volta eram servidos menos nós, quando finalmente nos trouxeram o Naan não era o que tínhamos pedido, os pratos principais pareciam ter caído no esquecimento, no fim tivemos que dizer o que tínhamos comido para trazerem a conta correta. E esta desgraça só não descambou em maus fígados porque eu e a sininho tínhamos muita conversa para pôr em dia (e tínhamos tempo), tudo à nossa volta corria sem problemas por isso não era incompetência generalizada apenas tínhamos ficado na death zone do restaurante. Mas pediram sempre desculpa e tentaram colmatar as falhas o mais rapidamente possível. Por isso tenho todo o gosto em voltar ao Kaprixu caso tal se proporcione.


Om Shanti!





Rua Fernando Lopes Graça, 28A, Telheiras, Lisboa

Contactos | 21 2438777 | 919122103

Horário | 3ª a Dom - 12h às 15h/19h às 23h | Encerra à 2ª

FB




Comentários

Anónimo disse…
Boa tarde
Gostaria de dizer que já conheço o vosso cantinho há algum tempo, mas nunca tinha comentado, e quando decidi levar o meu marido a um restaurante indiano não hesitei e aceitei a v/sugestão do Kaprixu. Só tenho a dizer que adorámos e agradecemos a vossa ajuda preciosa. Continuem a sugerir pois são sempre bem vindas as vossas sugestões.
Obrigada
Andreia Neto
Sebastião disse…
Boa tarde!

Muito obrigado pelo comentário :-) Nada nos deixa mais contente do que alguém seguir os nossos conselhos e correr bem.

Continuação de boas garfadas

12h30

Mensagens populares deste blogue

Mundet Factory, Seixal

Pastelices, Seixal