O Alfaia, Bairro Alto


Utilizando como "desculpa" ver o coro do Teatro Nacional de São Carlos, no Festival ao Largo, consegui uma visita à Fragoleto, passeio pela Baixa, jantar no Bairro Alto e, last but not least, o concerto :-) Nada mau para um dia de domingo (assim que acabo de escrever esta frase liga-se o gira-discos mental e começa a tocar essa mítica canção da Joana ou Gal Costa, já não sei qual delas)


Como nada estava verdadeiramente combinado (apenas que iríamos ver o concerto) a escolha do local de jantar foi feita na hora e, segundo alguns, um bocadinho cansativa....isto porque envolveu umas quantas "voltinhas" pelas ruas do Bairro Alto :-) A indecisão imperava (quase entrámos no Louro&Sal) ma, após ter visto a minha integridade física por um fio, lá me decidi pelo restaurante que me tinha prendido a atenção logo no início da maratona (segundo dizem, não há amor como o primeiro...), O Alfaia.

O restaurante Alfaia fica na esquina da Travessa da Queimada e da Rua do Diário de Notícias,e tem um ar muito..... singelo acho que é a palavra que me ocorre à mente. Decorado em tons de pastel, dando-lhe um toque clássico e "sério", contrastando com o ambiente mais extrovertido associado com o Bairro Alto.

Mas não foi unicamente o ambiente do restaurante que chamou a atenção, a ementa (comida tipicamente portuguesa) e os preços associados aos diferentes pratos convidavam a entrar (as resmas de turistas que zumbiam por todo o restaurante também concordavam)


Tivemos que esperar um pouco por uma mesa (deu tempo para pôr conversa em dia e ver o esforço hercúleo de um jovem em angariar clientes para um restaurante que ficava longe das ruas principais, e tal era a lábia que ele lá ía passando por nós sempre com novos clientes)

Depois de nos sentar-mos começou a aventura do atendimento... não é que fossem antipáticos ou pouco prestáveis, demoravam é muito tempo para nos atenderem (julgo que este facto se tornou gritante porque tínhamos um espectáculo para atender, senão talvez não nos tivesse irritado tanto)


Escolhemos os pratos relativamente rápido, nada como termos um deadline para cumprir :-),e foram o filete de atum na brasa em azeite quente e batata a murro e o arroz de galo campestre de cabidela. Estavam os dois muito bons! Bem confeccionados e em quantidade mais que suficiente.

Entretanto, enquanto esperávamos que nos servissem os pratos principais, chegou mais uma conviva que só nos acompanhou na altura da sobremesa :-) à e tal já tinha jantado... mas a uma sobremesa nunca se nega :-) comemos tiramisu (mau!) e parfait de chocolate com gelado de baunilha (bom!)

Depois dos cafezinhos veio a conta.... 18€ pp com uma penetra. Tendo em vista o preço dos pratos acho que numa situação mais "normal" o preço pp é capaz de baixar :-)


No fim, depois de muitas demoras no serviço temíamos o pior.... já não vamos chegar a tempo..... snif snif.... mas no fim os atrasos até que correram bem pois chegámos na altura certa! quando chegámos o coro estava a começar a cantar o que realmente me tinha levado a querer vê-los - canções da Broadway :-)



Indicações
Travessa da Queimada 24,Lisboa
Tlf.213461232
Encerramento: Domingos (Almoços)
Horário: 12:00 às 02:00


Fotos do site d'O Alfaia e de mariannaF

Comentários

Anónimo disse…
Como vejo que andam muito pela zona do Chiado, como nós aliás,sugiro 2 restaurantes por nós muito frequentados, e ansiosa por uma opinião vossa, de mestres, aqui vão os nomes:
-Chezdegroote(rua detrás do hospital ordem terceira, Rua dos Duques de Bragança 4)
-trattoria Vitali, na mesma rua.
Acho que pertence ao mesmo dono.
Sofia
Anónimo disse…
Que saudades do velhinho Alfaia. Já lá estão, segundo julgo, o Sr.António, a Dona Ilda. Que será feito da Odete e da outra empregada, a Isabel dos "piriquitos"? Era ver com que rapidez traziam a comida, feita pelo Carlos, sempre aperaltadas nos seus aventais brancos engomados. Até os guardanapos eram engomados todas as tardes. Entrar e ver, direito como um fuso o Sr. Castelo Branco a sorver a sôpa com a colher bem na horizontal. Que saudades dos bifinhos à Indiana, da mioleira com tomate,do cozido etc... Que saudades das tertulias e das doideiras a "amarguinha". Olha os doces, o "espera maridos" os "marmelos assados". Odete, tens marmelos? O menino sabe que sim tenho-os todo o ano e só agora é que mos pede?.... bons tempos. Queridos amigos este foi um dos grandes restaurantes do Bairro Alto antes da onda da moda. Era acolhedor, familiar e tinha bons preços....

Mensagens populares deste blogue

Mundet Factory, Seixal

Pastelices, Seixal

Alô! Alô!