quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Natal e Ano Novo

  
Como não podia deixar de acontecer, toda a (vasta) equipa do 12h30 deseja um Natal e Ano Novo supercalifragilisticexpialidocious a todos os que com coragem, audácia e perseverança lêem o nosso pequeno (mas honesto) contributo gastronómico.

Este ano, em vez de uma foto toda pintas alusiva à quadra natalícia, vamos postar (esta palavra tem algo de bacalhau ...) o nosso primeiro vídeo do Youtube (e não, não é connosco...)! E que melhor vídeo para ilustrar o Natal, do que um com a Julie Andrews aos pinotes por montes e vales austríacos.... melhor só mesmo se fosse um video do Die Hard ou Comando (outros filmes da época de Natal).



 

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Café do Rio, Lisboa



  
Há muito, muito tempo (era eu uma criança...) fiz uma incursão ao Café do Rio, ainda ele se localizava no Parque da Nações, que não correu da melhor maneira (em abono da verdade, as condições climatéricas influíram significativamente na impressão negativa) e nunca se proporcionou dar uma segunda oportunidade.
  
Eis senão quando me deparo com a notícia que o Café do Rio mudou de local de residência, tendo-se aproximado do centro de Lisboa, mais concretamente "junto" à Casa dos Bicos (Campo das Cebolas). Em bom tempo soube desta notícia pois propiciou-se andar à procura de restaurante e lembrar-me da nova localização do Café do Rio. A decoração tenta fazer o equilíbrio entre o antigo, através de uma autêntica parede pombalina com o reboco e traves à vista, e o moderno, através das cadeiras e mesas com um design moderno. No fim, temos um ambiente simpático e acolhedor.

Na ementa, a figura principal são inquestionavelmente os hambúrgueres, existindo para todos os gostos (carnívoros, peixívoros e herbívoros) e feitios. No entanto, se alguém não quiser hambúrguer, há saladas (desde a grega à vegetariana), pastas frescas e, ao almoço, dois pratos do dia.

Na nossa visita, ficámo-nos pelo Hambúrguer Café do Rio e Hambúrguer Cogumelos. Estavam os dois óptimos e muito saborosos. Já na outra visita os hambúrgueres tinham salvo a honra da casa pois realmente são bem feitos e com muita imaginação (nada a ver com aquilo que se vende no sr. MacDonald).

A nossa visita ficou por menos de 15€ mas sem sobremesa pois com a Santini ali mesmo à mão de semear.... a vontade de passear pelas ruas da Baixa (para "desmoer" o belo do burguer) até junto de duas belíssimas bolas de gelado foi maior :-)

Atendimento regular (ainda a precisar de alguma melhoria) e atenção que o estacionamento pode não ser fácil, afinal estamos a falar da baixa de Lisboa ;-)

Localização
Rua da Alfândega nº114 (perto da Casa dos Bicos), 1100-016 Lisboa
Tlm - 218868050

Horário: Almoço: 2ª a Sáb - 12H às 15H | Jantar: 3ª a Sábado - 19H às 23H
Encerramento: Domingos e Feriados

Fotos do site e facebook do Café do Rio
   

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Fábulas, Chiado

 

É sempre um momento curioso quando alguém nos fala de um restaurante, café ou loja cuja existência desconhecemos por completo apesar de ficar numa zona que julgamos conhecer como a palma da nossa mão. Mas há que encarar estes momentos não como uma facada no ego (por afinal não conhecermos assim tão bem a zona como pensamos...) mas como uma benvinda adição ao repertório!



Foi o que me aconteceu com o Fábulas. Longe de mim imaginar que em pleno coração do Chiado, existisse um espaço labiríntico cujo ambiente (e decoração) está algures entre as masmorras de um qualquer castelo medieval e o conforto da sala de estar do Bilbo Baggins :-) Mas assim é o Fábulas, com as suas várias salas (que parecem não se esgotar) com recantos para todos os gostos. Desde poltronas e sofás confortáveis (que nos fazem sentir em casa), a mesas redondas, quadradas ou ovais com cadeiras estofadas a fazer lembrar as casas dos nossos avós, até às intrigantes (mas algo românticas) mesas com máquinas de costura antigas. As suas abóbadas e paredes descarnadas, contribuem para o espírito algo gótico-medieval do espaço.

Existem duas entradas: uma pelo número 14 da Calçada de São Francisco (escadas que ligam a Rua Ivens à Rua Nova do Almada.... porta ao lado do overrated Amo-te :) e a outra pela Rua Garrett (no canto do pátio que dá acesso à pizzaria Mezzogiorno e Taberna do Chiado).

O Fábulas é um espaço que tenta (e consegue) ser multifacetado: café, restaurante, cyber café, galeria de arte e esplanada. Devido a ser tão amplo pode-se estar confortavelmente sentado nos sofás sem ouvir a conversa do vizinho do lado, folhear livros e revistas, levar o portátil e navegar na internet, jantar ou lanchar.

Das vezes que por lá passei, já experimentei chás quentes e frios, tostas e sobremesas só ficando a faltar almoçar e/ou jantar, nevertheless está na minha to do list :-) Tudo o que consumi (assim como as pessoas que me acompanharam) estava excelente mas não posso deixar de evidenciar o fantástico bolo de chocolate do Fábulas ("Paradiso perduto")! Quando perguntei se alguém queria partilhar uma fatia, todos disseram que não estavam com vontade mas que se eu quisesse me faziam o favor.... quando o prato veio para a mesa.... bem! olhos brilharam e saliva formou-se! todos abocanharam um bocado do bolo!

O atendimento é rápido e muito simpático. Os preço são os normais para o tipo de estabelecimento comercial (um bocadinho caro mas nada que não se aguente). Aconselho vivamente como local de encontro, reencontro e desencontro :-)

E não resisto a uma farpazinha..... o nome.... Fábulas... pareceu-me estranhamente desadequado mas que isso não impeça de irem :-) E agradeço à pipinha das meias altas que apesar de residir à meia dúzia de dias em Lisboa já conhece mais do que eu :-)
 
Localização
Calçada Nova de São Francisco 14
1200-300 Lisboa

Horário: 2ª a 4ª - 10H às 00H | 5ª a Sábado - 10H às 01H | Domingo - 10H às 20H

Reservas: Excluem reservas para o próprio dia e número inferior a 6 pessoas. Se pretenderem reservar de 6 a 15 pessoas liguem para 216018472. Se pretenderem reservar acima de 15 pessoas enviar e-mail para reservas.fabulas@gmail.com

Fotos retiradas do site ou facebook do fábulas.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Petit Cabanon Café, Lisboa

 
Quem tem crianças com idades entre os 1 e os 10 anos, sabe como ninguém o valor de um sítio onde se possa ir e: eles se divirtam, onde não nos chateiam, onde pulam e correm, onde se cansam, onde podem falar alto sem estar propriamente a incomodar, e onde nós, pais "desesperados" possamos estar à conversa com amigos, ou a ler uma revista ou um livro, ou simplesmente estar... e tudo isto com o descanso mental de que "eles estão bem e à vista"...

Pois meus caros, pais e mães de família (ou tias e tios, cheguem-se à frente e levem os sobrinhos...), apresento-vos o Petit Cabanon Café! Fica situado no Parque das Nações, mesmo em frente à torre Galp, numa zona onde se estaciona com relativa facilidade, e reúne as características enunciadas.

É verdade! A mim permitiu-me num feriado chuvoso estar reunida com amigos de longa data, conversar durante quase 5 horas (5 horas, anotem bem...) e ter uma intervenção quase mínima no meu lindo P. que só tem 4 anos, mas uma energia Duracell...

A disposição do café permite de quase todas as mesas avistar um espaço com um insuflável/labirinto de bolas, escorregas e túneis, mais uma mesinha com livros e brinquedos, onde as crianças podem estar livremente a brincar e a pular! Todo o espaço é children friendly e bastante simpático...ou seja, cadeiras altas para os bebés, fraldário, zona com sofás, terraço com esplanada. Segundo li, o café também serve refeições e organiza festas de aniversário. Nós fomos só à hora do lanche e confesso que não achei nada de especial. Bebemos uns chás, um chocolate quente, comemos umas torradas. Nada de especial, íamos só lanchar, mas também não me pareceu haver uma oferta muito mais variada... Mas também não faz mal! Não é esse o objectivo...

Portanto quando se quiserem reunir com alguém e pôr a conversa em dia, não hesitem...vão ao Petit Cabanon! Garanto-vos que os miúdos vão adorar, acabam sempre por conhecer outras crianças, e vocês vão conseguir conversar (que é algo difícil de se fazer quando se leva crianças...). Até os meus amigos sem filhos acharam muito bem (até porque lá está...conseguiram conversar connosco!).


Alameda dos Oceanos Loja 3.11.08 D
1990-136 Lisboa
216 067 908

Nota: Fotos retirados da página do Facebook do Petit Cabanon Café.

 

domingo, 12 de dezembro de 2010

O Lidador, Óbidos


Na vinda do nosso passeio por terras do Oeste, fizemos uma paragem na bela localidade de Óbidos para almoçar. 
Que dizer de Óbidos....?! Óbidos é talvez uma das mais bonitas vilas de Portugal, com uma vista das muralhas muito bonita, e com um parque de estacionamento pago.... ah pois é...ainda gostava de saber porque é que vilas/aldeias/terras fora de Lisboa adoram apanhar os maus costumes da cidade... mas enfim, como é Óbidos, nós perdoamos!
 
Já tínhamos vindo a este restaurante em tempos (ainda não havia 12h30...), num dia em que estava a decorrer a Vila Natal. Nem a propósito... a não ser que tenham crianças com mais de 5/6 anos e que já saibam usufruir da pista de gelo e afins, não vão à Vila Natal! Não vale a pena, não tem nada de especial, e se forem a um fim-de-semana ainda se arriscam a filas intermináveis!

Voltando ao "Lidador", já na altura jantámos muito bem! Se a memória não me falha....nos tempos idos de 2007... :) comemos polvo à lagareiro e secretos de porco preto. Desta vez, o pequeno-almoço tinha sido tardio, e por isso saltámos todas as entradas (inclusivé o pão e as manteigas) e atacámos directamente no prato principal. Que era....



Bacalhau no Pão - migas de bacalhau, com couve, feijão encarnado e o próprio miolo do pão...um espectáculo! :) Nós nem tínhamos muita fome, mas isto estava mesmo bom!
.
.
.
.
Comemos tudo...
.
.
.
.

(confesso que tenho alguma vergonha de mostrar esta foto, mas acho que é bastante ilustrativa da qualidade da refeição...!)

O Lidador além da sala interior tem também 4 mesas cá fora, e como o tempo estava óptimo, optámos por comer na esplanada. Estava-se muito bem! :)


Por esta delícia, e bebidas e cafés, pagámos 14,5 €/pp...no entanto, como saltámos entradas e sobremesas, apontem para cerca de 20 euros/pp.

O Lidador
Rua Direita, n.º 19
2510 Óbidos
Tel. 262 959 200
 

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Rosinha de S. Paulo, Cais do Sodré


Verdade que nem sempre existe uma razão mais profunda do que a vontade de comer algo em boa companhia, para se ir jantar fora. No entanto, a incursão ao Rosinha de São Paulo (cuja existência desconhecia e, melhor, era apelidado (de forma carinhosa) por quem já lá tinha ido por porco sujo :-) resultou na escalada de violência em relação a comentários feitos ao preço que costumamos pagar nos restaurantes que colocamos no blog.

Da discussão resultou que eu escolhia o dia e quem tanto reclamou (a quem carinhosamente vou chamar scroogezinha :-) descortinava um restaurante onde se comesse bem e barato. E foi assim que demos por nós a caminhar pelas ruelas escuras e pouco sanitárias (mas com uma variedade de personalidades circulantes deveras coloridas) do Cais de Sodré, a caminho da Rosinha de São Paulo.

Como descrever a Rosinha... Restaurante atascado pequeno mas com aspecto asseado (de todo não fez jus ao termo carinhoso que lhe puseram, talvez  entretanto tenham descoberto os produtos de limpeza dos chineses) onde realmente se comeu e bebeu (excelente sangria!) bem e barato. Entre frango assado, bifes com os mais variados molhos e alheira (óptima) todos comemos muito bem.

As sobremesas também não estavam nada mais... toda a gente ciscou (palavra fantástica que aprendi com Iria durante a sobremesa) de toda a gente. Entre maçã assada bêbeda, bolo de bolacha de chocolate (?)

No fim, menos de 10€ por pessoa e muita gente feliz (por pagar tão pouco e porque a sangria era realmente boa :-). Alegremente aceitei o ar vitorioso da scroogezinha pois realmente correu muito bem.... Entretanto soube que alguns dos convivas tinham sido admoestados para não se esticarem nas entradas e sobremesas mas ignoraram o aviso :-)

Rosinha São Paulo

R. Nova Carvalho 46/8, 1200-292 Lisboa (Cais do Sodré)
Telefone: +351 213 463 818
 

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Café Ciência

 
  
Não é que eu seja a favor de greves, bem pelo contrário sou na maioria das vezes contra este tipo de reivindicação. Mas na última greve "geral" fiz greve, e por isso eu e o Sebastião decidimos aproveitar o dia e manifestarmo-nos contra a situação política e económica do país da melhor forma: indo almoçar fora.

O local que teve o prazer da nossa visita foi o Café Ciência no Pavilhão do Conhecimento, que se encontra actualmente a ser explorado pelo grupo Quinta das Lágrimas. O espaço é amplo e arejado, com uma decoração bem interessante, só peca por ser pouco acolhedor, falta ali qualquer coisa, talvez mais mesas.

Para almoço é possível escolher entre os pratos do menu da semana, que conta com sopa e 3 pratos principais que mudam diariamente, e o menu fixo onde podemos encontrar tostas, sanduíches e saladas. Optamos por uma salada variada, ou seja, um pouco de todas as saladas (menos a de salmão que o Sebastião não aprecia muito) e uma Bruschetta de Scarmoza Fumada, tomate, rúcula e oregãos. Estavam deliciosas.

Para sobremesa, após a habitual indecisão e debate, escolhemos o “Melhor Bolo de Chocolate do Mundo” e o Cheesecake, que foram servidos em fatias generosas, coisa que começa a ser rara, até parece que estamos todos em dieta. O Cheesecake apesar de não ser o tradicional estava muito bom, e nem vale a pena falar sobre o “Melhor Bolo de Chocolate do Mundo”, porque toda a gente já provou esta dádiva dos Deuses. Se ainda não provaram não percebo o que estão a fazer a ler este post e não a deliciarem-se com uma fatia.

Um senão deste espaço é o atendimento, apesar de muito simpático, é desorganizado, não se percebendo muito bem onde estão os tabuleiros, onde devemos começar a fila, onde se paga, a quem se paga, etc. Que ninguém me ouça, mas tive um certo dejá-vú com o local onde habitualmente os contribuintes deste blog almoçam, muito simpáticas, mas de uma desorganização ímpar.

No final ficou por 9.5 euros por pessoa. Pois, para almoçar todos os dias parece-me puxado, mas para um almoço de fim-de-semana ou lanche parece bastante adequado principalmente se tivermos em conta a qualidade.
 
---------------------------------------
Parque das Nações
Alameda dos Oceanos
Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva
Tel. (+351) 91 810 5250

Nota: Até tirei algumas fotos, mas a do site do Café Ciência tinham tão melhor aspecto, que me rendi à evidencia. Sendo assim, as fotos foram retiradas do site www.cafeciencia.com

______________________________________________________

Entretanto já lá voltei mais umas vezes e contínuo a gostar muito da comidinha que lá servem (desde as tostas até às belíssimas sobremesas) mas a desorganização vai-se mantendo :-) Mas como a sininho bem disse, a modos que já tou habituado por isso não estranho.

Acho realmente que a confortabilidade (se tal palavra existe) do espaço era o que mais merecia atenção de quem explora o espaço.... especialmente em relação ao que era suposto ser um banco corrido ao longo da parede e não passa de uma tábua desconfortável ao fim de algum tempo :-)

Esperemos que melhorem mas não deixa de ser um espaço com potencial! 

Sebastião
 

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Mar Bravo, Nazaré


Assim que passámos junto ao restaurante, ficou decidido imediatamente onde seria o nosso jantar! Ambos gostámos imenso do aspecto do restaurante, muito a fugir ao tradicional da Nazaré (que não tem mal nenhum, atenção!), mas com pequenos toques que o enquadram no espírito da zona. Só o nome diz tudo... Como a escolha foi feita apenas pelo aspecto e decoração, poderia ter corrido mal relativamente à comida... mas por acaso, não!
O restaurante está localizado na marginal da Nazaré, e possui umas janelas enormes que deixam ver toda a conhecida arriba e miradouro, o elevador (que não estava a funcionar...), a praia, o mar, o pôr-do-sol... que por acaso, em Outubro mas em bonitos dias de sol, é assim:


Espectáculo, não é?! Ah pois! É preciso saber escolher estes dias bonitos para uma escapadinha!

E agora deixem-me que vos mostre o porquê da nossa escolha, ou seja, a decoração...


Eu sou fã das decorações em tons de branco!

Gostei imenso deste branco todo, das cadeiras transparentes, da iluminação, e da belíssima conjugação do tema do mar com isto tudo!

 

Este peixe enorme recortado na placa de pladur que faz de parede está um espectáculo! Fica mesmo bem no restaurante, e apenas com este pormenor consegue fazer toda a ligação à tradição da Nazaré!

Para entrada ficámo-nos apenas pelo couvert (pão, azeitonas, manteigas e paté). Tudo muito bom, com uma nota muito positiva para o paté! Deixem-me que vos mostre:


E nos pratos principais, os eleitos foram Folhado de Marisco e Espetada de Lulas... Ambos muito bons, em quantidade bastante adequada, e com boa apresentação! O Folhado de Marisco vinha rodeado de molho vinagrete, que foi óptimo para quebrar um pouco o sabor do creme de marisco no interior do folhado (era bom, mas um pouquinho intenso!).



Bem, e se isto fosse num "jantar mais normal" ficaríamos por aqui....mas quando estamos fora e de férias/fim-de-semana tem de se provar tudo... e por isso, para sobremesa aqui ficou a nossa escolha:


Pois claro! Tarte de limão merengada... estava boa, com um balanço bem conseguido entre o doce e o sabor do limão, mas não sei... eu tenho de ser sincera...a tarte de limão merengada melhor do mundo continua a ser a da cantina da Gulbenkian! :) Mas esta estava também muito boa! :)

E depois disto tudo, chegou-nos a conta...que não surpreendeu! Não podemos dizer que são preços "out of Lisbon", pois que não...mas também o restaurante é um bocadinho "à moda da cidade"! e portanto pagámos 18,5 €/pp (com tudo o que falei, três refrigerantes e sem cafés).

Resumindo, posso dizer que recomendo vivamente! O Mar Bravo é também uma albergaria, e digo-vos que as fotografias deixam uma grande vontade de por lá pernoitar! Quem fica hospedado no hotel tem um desconto de 20% nas refeições no restaurante. E como este post ainda tem poucas fotos...aqui fica mais uma:


Mar Bravo
Praça Sousa Oliveira, n.º 71
2450-159 Nazaré
262 569 160

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Portas de Fora, Alcobaça

 
"Estavas, linda Inês, posta em sossego,
De teus anos colhendo doce fruito,
naquele engano da alma, ledo e cego,
Que a fortuna não deixa durar muito,
Nos saudosos campos do Mondego,
De teus fermosos olhos nunca enxuito,
Aos montes ensinando e às ervinhas
O nome que no peito escrito tinhas."
in Lusíadas, canto III


Tentar almoçar em Alcobaça não é fácil... então no centro da vila, mesmo em frente ao mosteiro, parece tarefa muito complicada! Mas parece que Inês e Pedro estiveram do nosso lado e encaminharam-nos para a rua do Portas de Fora... :) Obrigada, Inês e Pedro, porque já estávamos cheios de fome, já eram quase duas da tarde, e estava muito sol para andar a correr ruas à procura de comida!


O Portas de Fora tem uma decoração muito tradicional, com muito ferro forjado espalhado pelas paredes do restaurante, com as mesas e ementas de tecidos muito floridos e mimosos. Gostei muito do ambiente familiar (parece que é negócio de duas irmãs) e mais ainda da comida! Ambos literalmente açambarcámos a broa, o pão e as azeitonas, em jeito de fazer a cama para o prato principal que era... Lombo de porco de Outono. Muito bom! Carne de porco frita (mas não gordurosa), acompanhada de arroz de passas e castanhas.... estava óptimo! Muito saboroso, muito bem confeccionado!
 

A montra das sobremesas tinha um potencial muito grande, todas de cariz tradicional, e com muito bom aspecto. Nós não comemos a sobremesa no restaurante porque fomos aqui.

A conta ficou-se pelos 10 €/pp. Bom preço, boa localização, excelente comida e excelente atendimento! Recomendo! :)

Localização

Rua Frei António Brandão, 105-107
2460-047 Alcobaça
Tel. 262 087 208

Pastelaria Alcôa, Alcobaça

 
     
A Pastelaria Alcôa é uma nossa velha conhecida... de cada vez que vou a Alcobaça, vamos sempre a este verdadeiro antro do "pecado doceiro"! :) A pastelaria foi fundada em 1957 e tem uma grande variedade de doces conventuais disponíveis. Para os fãs dos doces conventuais, este é sem dúvida um local a visitar. Além destes doces, tem também pastelaria variada ("mais normal", mas com excelente aspecto) e bolos para diversas festas.


Desta vez, e após longos minutos de indecisão, escolhemos "Manjar dos Deuses" e "Segredos de Dona Inês". Mas são momentos muito difíceis na vida de um guloso.... :) este, aquele, ou ainda aquele ali ao fundo...muito complicado! Os doces também são uns verdadeiros pecadores porque conjugam três características: muito bons, algo pequenos, pouco baratos! :)


Deixo-vos aqui algumas imagens destas tentações... mas aviso já que as imagens são apenas uma miragem do que por lá se vende! :)
Localização
Praça 25 de Abril, n.º 44
(em frente ao Mosteiro)
Tel. 262 597 474
 

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Moma, Baixa Pombalina



Não, não fui almoçar a Nova Iorque. Não é que não me apetecesse mas só tenho uma hora para almoço, o que deixa pouco espaço de manobra caso haja algum contratempo :-)

Lisboa não é NY mas não deixa de ser uma cidade fantástica, especialmente nos dias em que o sol de Inverno incide nas sete colinas, dando calor a quem se passeia. Ir almoçar à baixa num dia de semana e, ainda por cima, levando carro, era uma tarefa fadada ao desastre (com pouco mais de uma hora de almoço, impossível!). Mas, teimoso como sou, decidi pôr os pneus em marcha e lá fui eu, convicto que, na pior das hipóteses, iria chegar à Baixa e voltava para trás sem comer. Mas só a viagem teria valido a pena :-)

As árvores da Avenida da Liberdade começam a perder a folhagem permitindo que a luz consiga (finalmente!) chegar a quem passeia, a pé ou de carro, dando vida e luz a uma Avenida, que de outra forma, é algo escura e sombria. O Rossio e as ruas que o ligam à Praça do Comércio, cheios de luz e cor, e os reflexos prateados do rio ao fundo (verdadeiro momento kodak) fizeram as delícias dos meus olhos e elevaram-me o espírito.

Ok, lamento pelo momento de má poesia mas não resisti :-) Cheguei ao Chiado, pude escolher o lugar onde queria estacionar (lugares na rua dos Armazéns do Chiado??? bizarro... o suficiente para me fazer olhar e tentar perceber se estaria a fazer algo que me levasse a multa), e, depois de pôr moedinha no parquímetro, lá fui Rua de São Nicolau a baixo à procura do 49, número da porta do restaurante Moma.




Com um aspecto bastante distinto dos restaurantes que pululam pela Rua Augusta e respectivas paralelas/perpendiculares, tornasse fácil dar conta da sua presença. Clean cut (o branco predomina, desde as paredes até às toalhas de mesa), sem decorações pitorescas ou snack-barescas e sem homens com ementa na mão a perguntar "Whant to lunch? Food very good!", não é à partida um restaurante para turistas mas para gente da terra. O Moma (para já) só serve almoços e a carta muda todos os dias.

A comida parece variar entre a típica portuguesa e a italiana mas com a rotatividade de pratos outras gastronomias poderão surgir. No dia em que decidi experimentar o Moma, fiquei-me pelos pasteis de massa tenra, arroz de coentros e salada. Estavam excelentes! Melhor só o arroz de coentros da minha mãezinha :-)

Após acabar a minha última garfada, decidi unilateralmente que dias não são dias e lá me atirei de cabeça a uma fatia de bolo de chocolate (estava ali mesmo na montra, à minha frente, a sorrir para mim). E ainda bem que o fiz, estava mesmo bom!

Depois do café, pedi a conta (10,5€) e lá fui desmoer o excelente repasto até ao carro, pensando como gostaria de aproveitar o dia para passear em vez de ir trabalhar.... mas enfim, tem de ser... Mas espero poder repetir esta proeza um destes dias!

Em nota de rodapé, o atendimento é rápido e simpático, tem esplanada e segundo dizem é conveniente reservar pois existem dias em que arranjar mesa é difícil (não tive problemas mas nunca se sabe...).


onde...
Rua de São Nicolau nº49, 1100-547, Lisboa
TLM.914417536
Horário: 11h30 às 18h00
Encerramento: Domingos

__________________________

Joana, come a papa acrescenta:

É verdade, confirma-se! Come-se muito bem, foge ao restaurante para turista, tem um ar clean e simpático! Nós optámos por filetes de pescada com arroz de berbigão e esparguete com camarão salteado (ambos muito bons!), e para sobremesa, o bolo de chocolate já referido e pannacota (muito bons, também!). Assistimos também a uma cena gira: duas estrangeiras pedem dois copos de champanhe e a dona/gerente não se ficou e disse logo que sim, que tinha...garrafa de champanhe tinha, não tinha era flûtes! Mas não se acanhou e vai a correr à "Casa" comprar os ditos para servir o champanhe... Pelo bem que comemos, pelo que pagámos (12,5 €/pp), e pela simpatia e pela boa vontade em servir...sim, recomendamos! :)
 
 

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Chez Degroote, Chiado


E pensar que a escolha do local para jantar começou no Parque da Nações.... mas graças a algumas indecisões e wrong turns acabámos no Chiado à procura de lugar para estacionar e para comer :-) Quis o destino que rapidamente encontrássemos um local legítimo para deixar o carro e que (ainda mais incrível) eu me recordasse de duas sugestões feitas num comentário ao post sobre O Alfaia. Entre o Vitali e o Chez Degroote, escolhemos o segundo.


O restaurante Chez Degroote fica na rua dos Duques de Bragança, ou seja (para os menos esclarecidos em relação à toponímia de Lisboa... como eu), ao fundo da rua do Teatro Estúdio Mário Viegas. Se o exterior do restaurante tem um ar completamente inconspicuous, já o interior é uma bomba visual :-) Cor, cor e mais cor e não, não servem comida mexicana ou sul americana. Com azulão, verde e laranja espalhado pelas paredes, ombreiras, portas, janelas e toalhas de mesa é difícil não ficar à espera que nos sirvam margherita's. Admito que é um pouco de estímulo a mais mas tolerável.

A ementa é tendencialmente portuguesa, mas passando vai desde os bifes até aos wok's. Nós ficámo-nos pelo bife Chez Degroot com arroz branco e farinheira com ovos mexidos e batatas frita. Enquanto esperávamos pelos prato atacámos o pão acabadinho de torrar e as diferentes manteigas e paté disponíveis. Nada como pão quente e coisas boas para besuntar para alegrar uma conversa :-)

Entretanto chegaram os pratos. Na generalidade ambos os pratos estavam bons, apenas o arroz que acompanhava o bife estava menos bem. As batatas fritas foram uma boa surpresa pois vinham às rodelas e com casca, duas características que gosto de ver nas minhas batatas.

Após alguma reflexão sobre o que comer para sobremesa, escolhemos tarde de maçã e bolo de chocolate. Sim, eu sei (...que tudo são recordações :-) que as escolhas não foram muito originais e, pior ainda, não foram muito satisfatórias. Mas pronto. comeram-se.

No fim, a conta rendeu 20€ pp. Tendo em vista que se bebeu vinho, atacou o couvert e se comeu prato e sobremesa, não acho excessivo. O atendimento é rápido e simpático.

Gostámos do restaurante mas não ficou no topo das preferências, quer pelo ambiente demasiado estimulante quer por uma comida regular. Necessário dizer que os wok tinham um aspecto interessante.

onde...
Rua dos Duques de Bragança, 4 - Lisboa
Telefone.213472839
Encerramento: Sábados (Almoços), Domingos e Feriados
Horário: 2ª a 6ª: almoços: 12h00 às 15h00 ou 5ª a Sáb: jantares: 19h00 às 23h00

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Amarra Ó Tejo, Almada

   
Este não é definitivamente um restaurante para todos os dias ou qualquer ocasião....como dizia a Sininho, é um "restaurante estupidamente romântico"...pois é! :) Resolvi surpreender a minha cara-metade num dia especial e pensei que o Amarra Ó Tejo seria uma boa opção. E foi!

Confesso que estava um pouco apreensiva... após a escolha, fiz uma pesquisa mais ou menos extensa na net e encontrei de tudo! Os que adoraram, os que detestaram, os assim-assim... e como o preço também não é para todos os dias, fiquei um pouco apreensiva (para mim não há nada pior que pagar muito e comer mal!). Tentei por isso não elevar muito as minhas expectativas...


Começo pela localização... que dizer?! não sei... perfeita, sensacional, fantástica... são palavras que me ocorrem! O restaurante está situado no castelo de Almada, mesmo no topo da arriba, sem nada à frente a não ser uma vista imensa sobre a cidade de Lisboa, a ponte e o rio! Quando cheguei ao restaurante já era noite e portanto ficámo-nos pelas imensas luzinhas que pontuam a cidade e a ponte. O pôr-do-sol aqui também não deve ser nada de se deitar fora... :) Contemplar a ponte 25 de Abril na quietude deste restaurante, abrigados do vento, tem muito encanto, pois que tem (sim, aqui até a ponte, local de tormento diário para mim, ganha encanto!).


Então, e porque é que o restaurante é tão romântico?! Pela localização, pela vista, pela disposição das mesas (um voltado para o outro, ambos voltados para a vista), pela luz reduzida, pelo ar intimista.

A ementa é composta maioritariamente por pratos de peixe, ficando os pratos de carne em segundo plano. Nas entradas, ficámos só pelo couvert (pão, azeitonas e azeite). As nossas escolhas recaíram na garoupa crocante em cama de legumes e pato lacado com risotto de chouriço. Devo dizer que estavam ambos excelentes! Em tudo: quantidade, qualidade, apresentação. O risotto de chouriço tinha um sabor e uma consistência perfeitos.

A carta de sobremesas é vasta, o que gera alguma dificuldade na escolha... tarte de maçã e noz e brownie de avelã, ambos com gelado de baunilha, foram as nossas opções! Pois que não sei que mais dizer... óptimas, fantásticas, "daquelas boas, mesmo boas" :)...

Nós não bebemos vinho... pagámos 29€/pp. No entanto, com uma entrada ou com vinho a conta ultrapassa facilmente os 30-35€/pp. É um pouco caro, claro que sim! Mas como eu disse, também não é para todos os dias! Refeições de família ou amigos não ficam bem aqui... é mesmo indicado para "grupos de dois"... eventualmente um almoço de negócios...

As minhas expectativas foram largamente ultrapassadas. Tudo o que nos foi servido estava de uma qualidade excelente, não nos fazendo lamentar o preço que pagámos.

Algumas notas menos positivas a assinalar: os empregados estão vestidos de um modo demasiado informal (calças de ganga, t-shirt, ...) e às vezes essa informalidade extravasa um pouquinho para o contacto com o cliente! Não condiz muito com o espaço nem com o tipo de restaurante. A melhorar...


Localização:
Jardim do Castelo de Almada
Tel. 212 730 621
Encerra à segunda-feira.
Horário: 12:30 - 15:00; 19:45 - 22:30
Reserva aconselhável.
 

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Food & Bubbles, Carnide

 
A razão para este jantar foi de grande alegria e comoção... estivemos a festejar a partida desta para melhor de três amigos e, não menos importante, fazermos a partilha dos bens (vulgo testamento) da sininho. Infelizmente, os três amigos estão bem de saúde e a divertir-se à grande algures no sudoeste asiático, mas como ainda não voltaram ainda tenho a esperança de ficar com um MacBook em 3ª mão :-)

O Food & Bubbles fica escondido entre os prédios na parte de trás do Colombo, vulgo Carnide "nova" ou antigo local para estacionar sem pagar. Já tínhamos ido jantar ao F&B depois de uma sessão de popcorn's e sofrimento vampiresco :-), e como detestámos quisemos repetir a experiência...nãaaaaaaaaaaaa... as sessões de masoquismo estão restritas aos filmes da saga Twilight, que vamos ver no cinema apesar de sabermos de antemão que vai ser bosta :-9 

O restaurante por outro lado foi uma agradável surpresa! Excelente comida, bom atendimento, espaço bem decorado e óptima localização. Mas vamos por partes. O espaço está decorado de forma simples e alegre, com espaço entre as mesas para se poder circular à vontade e poder estar no convívio sem importunar ninguém, tornando um bom local para fazer um jantar de amigos :-) por vezes algo barulhentos.


A comida é uma mistura entre comida portuguesa e internacional, com excelente resultado! A moqueca de peixe, bife à Bubbles, polvo e folhado de marisco foram as vítimas dos nossos garfos e facas assassinas... e que óptimas vítimas! A maioria concordou que a comida, em quantidade e qualidade, estava óptima (apenas houve um apontamento para umas batatas e tal).

Para sobremesa,  variámos entre tarde de chocolate e de maçã que estavam boas (não fizeram dar um pulo de eureka mas não estavam más :-)

O atendimento é simpático e rápido a servir. E a conta? Perfeitamente adequada ao ingerido... ~15€ pp. Dizem as boas línguas que as caipirinhas não são nada más...

E aqui fica mais um post de serviço público... em vez de irem aos restaurantes do Colombo e comer outra vez um frango bébé ou uma sola Portugália, atravessem as traseiras do Colombo e vão até ao F&B - apanham ar, fazem exercício e comem bem (P.S. não tenho % no restaurante :-)

onde?

Rua Adelaide Cabete 7-B, 1500-023 Lisboa (Carnide)
Telf. 214052557
Encerramento: Domingos (Jantares) e Segundas
Horário de Funcionamento: Ter - Sab: 10:00 - 23:00 | Dom: 10:00 - 16:00
 

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Restaurante Campo Alegre, Porto


  
O Restaurante Campo Alegre é um daqueles sítios tradicionais, clássicos, pequenos e intimistas, onde entramos e ficamos com a sensação imediata de que vamos comer bem! :) é uma sensação agradável... :) Melhor ainda, quando as expectativas se concretizam e nós comemos realmente bem!

A oferta culinária do Restaurante Campo Alegre baseia-se nas tradições alentejanas, mas também nas influências africanas. Por isso, é possível uma escolha variada de sabores e de pratos. Não optámos por escolher entradas...calculámos que isso iria comprometer a nossa capacidade de ingerir o que viria a seguir! Para pratos principais, as nossas escolhas recaíram em Arroz de Pescada com Camarão e Ameijoas e Filetes de Polvo com Arroz de Polvo (polvo Paul foge porque aqui pelo Campo Alegre és vítima fácil...:) muitos pratos de polvo disponíveis!). Ambos os pratos estavam excelentes! Muito bem servidos, arrozes no ponto certo, polvo tenrinho... tudo muito bom!

Para sobremesa escolhemos um semifrio de chocolate e morango. Estava bom, cumpria o objectivo...mas arrependo-me de não ter dado uma oportunidade à sericaia! A verdade é que houve imensa coisa de que me arrependo não ter dado uma oportunidade; o que é bom, não é?!

Importante também é referir o atendimento: simpático, rápido, numa voz feminina com sotaque do Porto suave.... :)

A dolorosa não foi grave, considerando tudo o que falei anteriormente. Pão+azeitonas, dois pratos, sumos, uma sobremesa, cafés = 14 euros/pessoa. Parece-me bem! :)

Localização:
Rua do Campo Alegre, 416
(junto à AXA Seguros)
Porto
Tel.: 226 097 328
 

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Churrasqueira Rocha, Mealhada

 

Finalmente voltei à Bairrada! Depois de anos a fio, a percorrer a A1 para partilhar as tradições da Páscoa em Caminha (nem sempre foi A1...ainda sou do tempo de se fazer parte do percurso na EN1...meu Deus! como era possível!), e parar obrigatoriamente na Mealhada para almoçar um belo leitão....este tempo de abstinência foi doloroso!! Durante estes anos todos, vários foram os restaurantes que experimentámos por diversas razões: o nosso já estava cheio, vamos ao do lado; uma nova recomendação; o nosso começou a esticar-se na conta, vamos experimentar outro; etc, etc... Experimentámos vários, uns mais conhecidos, outros menos. Vou optar por não enunciar os que ficaram para trás!

De há uns anos a esta parte, e por recomendação de amigos do meu pai que habitam na região, começámos a frequentar a Churrasqueira Rocha. Aparentemente igual a tantos outros (e aqui começa a dificuldade em escolher...eles são aparentemente iguais) mas, segundo parecia, com um leitão mais bem confeccionado e uns preços mais simpáticos. Fomos, comemos, e ficámos fãs....de tudo! E por isso este é o nosso restaurante na Mealhada p'ra aí há uns 13 anos. Já o recomendámos a vários amigos e todos gostaram muito!

Neste meu recente city break no Porto, planeei antecipadamente a viagem para que na vinda a passagem na Mealhada calhasse mesmo por volta das 12-13h... coincidência?! Nãaaao.... já alguém louro e magro dizia que "não há coincidências"....

Entretanto deparei-me com um restaurante totalmente renovado... antigamente tinha um ar 80's...agora tem um ar giro, do séc. XXI (condutas de ar condicionado à vista, mas giras...). A simpatia e eficiência no atendimento mantêm-se, a gestão da mesas também é muito eficaz. Sim, este pormenor é fundamental! Só para terem uma ideia: quarta-feira, dia inocente, almoço, e mesmo assim fizeram duas voltas nas mesas, e olhem que aquilo é grande... O leitão continua definitivamente na moda! E como tudo o que está na moda....está caro! É verdade...não sei se foi por ser eu a pagar, mas achei um bocadinho cara a dose de leitão (dantes, eu não pagava...haviam o pai e a mãe...agora já sou eu que estou nesse papel).

Passo a explicar: uma dose de leitão, que consiste em 3 pedaços, custa a módica quantia de 9 euros...sem guarnições, que são pagas à parte! Ou seja, duas pessoas têm de pedir duas doses...três pessoas pode ser que se orientem com as mesmas duas! Relativamente às guarnições, fiquei sem perceber muito bem como são cobradas...pela leitura da ementa pareceu-me que eram 2€/pp/guarnição. Nós pedimos batatas e salada, e só nos cobraram 4 € (pode ter sido porque a dona do restaurante achou muita graça ao P. e à S., e foi ela que fez a nossa conta...).



No que verdadeiramente interessa.... sim, o leitão continua óptimo! o pão fantástico! as batatas fritas do melhor! A pele muito crocante, muito estaladiça, a carne tão macia!

A gama de sobremesas para completar esta bela refeição é vasta, todas confeccionadas no restaurante. Além de fruta e um Pingu (kids..!), escolhemos tarte de natas. Estava muito boa, mas para meu desgosto vinha com doce de ovos, que não é muito do meu agrado (mas isso é só um problema meu!).

Para quem gosta, o vinho da região parece que é um excelente complemento para este repasto. Nós, pois que não opinamos sobre isso...

No meio disto tudo, e depois de eu ter dito que a dose de leitão era cara, a conta não ficou excessiva - 32 euros (2+1/2, que a S. ainda não consome destas iguarias). E porquê? Porque as sobremesas não são caras (cerca de 2 euros), as bebidas e o pão também não, as guarnições já expliquei...e acho que se equilibrou tudo! Mas juro, que quando vi o preço e a composição da dose, pensei que se calhar ia comer uma lagosta e não leitão! :)

Recomendo vivamente este restaurante!
 
Localização
Travessa da Churrasqueira
Fonte Nova - Mealhada
ou seja, N234 (Mealhada em direcção ao Luso)
Tel.: 231 202 357
Encerra às Terças.
Tem parque de estacionamento próprio.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Culto da Tasca, Sintra

 
Assistir ao concerto de Samuel Úria (foi excelente!), no Centro Cultural Olga Cadaval, serviu de pretexto para descobrir mais um restaurante, desta feita em Sintra. Deixei nas mãos (muito) capazes de quem me acompanhava ao concerto para descobrir um local onde pudéssemos jantar antes de assistir ao concerto. Como sintrense dos três costados, rapidamente disse Culto da Tasca.

E realmente tinha tudo o que se podia pedir de um restaurante pré-concerto: fica em frente ao Olga Cadaval, tem um atendimento rápido, e um preço muito simpático.


O Culto da Tasca é exactamente aquilo que apregoa: uma tasca. Simpática, com bom aspecto e com comida bem portuguesa :-). Bacalhau com natas e uma bela francesinha (preciso dizer qual dos pratos é que eu comi?) foram os pratos pedidos e estavam excelentes! Quantidades mais que suficientes e tudo muito bem confeccionado, uma tasca portuguesa com certeza :-)
 
Como o tempo se esgotou, não foi possível experimentar a qualidade das sobremesas mas com a frequência com que ocorrem bons concertos no Olga Cadaval tenho a certeza que existirão novas oportunidades para explorar a carta das sobremesas :-)


E no fim uns módicos 10€pp foi tudo que se pagou por farta refeição. O atendimento é rápido e simpático algo difícil de manter tal o movimento que existe no restaurante (quando saímos existia fila de espera).
 
Não posso deixar de agradecer a quem me acompanhou nesta aventura que, sem conhecer muito bem o Samuel Úria (quem?), teve a coragem de me fazer companhia :-) Obrigado V(W)

onde fica....
Horário: 12h30-15h00 e 20h00-24h00
Encerramento: domingos
Rua Veiga da Cunha, n.º 6, 2710 Sintra
Telf. 219234256 + 961304633/4